Como nasceu “Imagine”, o já desgastado hino pacifista de John Lennon

Música lançada em 1971 conseguiu gerar polêmicas, mesmo pedindo por paz de todas as formas possíveis

É impossível dissociar a carreira solo de John Lennon de seu maior hit, “Imagine”. A música está presente no álbum de mesmo título, que foi lançado em 1971, pouco tempo após o fim dos Beatles.

Considerada um hino em prol da paz mundial, a música, que acabou se tornando desgastada pelos covers e execuções tão frequentes, surgiu em um momento nada pacífico na mente de John Lennon.

A esposa dele, Yoko Ono, teve papel importante na composição, já que a letra da música foi baseada em poemas escritos por ela. O próprio ex-Beatle mostrou arrependimento, em anos seguintes, por não tê-la creditado na composição. Anos depois da morte do artista, Ono foi à justiça e, em 2017, reverteu o erro.

A ideia de “Imagine” surgiu para a dupla por conta de um livro de orações cristãs dado a eles pelo comediante e ativista americano Dick Gregory. Um dos poemas escrito por Yoko Ono, intitulado “Cloud Piece”, chegou a ser usado na contracapa do álbum – e traz um texto que lembra bastante a famosa letra, que fala de paz mundial e união em meio a um período conturbado da sociedade.

A briga entre John Lennon e Paul McCartney

Apesar de ter sido lançada em 1971, a base da música “Imagine” foi composta entre 1968 e 1989, com os Beatles ainda na ativa, tentando gravar “Let It Be“.

O álbum ao qual ela pertence, no geral, retrata um dos períodos mais turbulentos do relacionamento de Lennon e seu agora ex-colega de banda, Paul McCartney. Uma das faixas que melhor retrata isso no disco é “How Do You Sleep?”, que fala sobre ataques que Paul teria feito ao casal, também em um trabalho solo – “Ram”, produzido junto de Linda McCartney, sua esposa, e lançado em 1970.

A treta fica ainda mais clara quando se percebe que George Harrison participa de pelo menos metade das músicas de “Imagine”, enquanto McCartney, claro, sequer foi convidado para colaborar. Isso deixou evidente o “racha” nos Beatles, que havia levado ao fim da banda e às disputas judiciais que rolavam naquele momento.

Se no cenário dos Beatles havia guerra, o espírito da época – em meio à Guerra Fria e outros conflitos – pedia por paz em um contexto mundial, sem bandeiras e sem divisões.

“E sem religião também”

Apesar de ser uma das canções mais famosas de todos os tempos, “Imagine” não está livre de sua porção de polêmica. Em um dos versos, Lennon pede que imaginemos um mundo “sem países”, “sem nada pelo qual matar ou morrer” e “sem religião também”.

Este último tópico gerou revolta em grupos religiosos, embora o músico tenha explicado o sentido da letra em várias ocasiões.

Pouco antes de sua morte, em entrevista para a revista Playboy, Lennon comentou a respeito de um pedido de uso da música por uma entidade religiosa – que, segundo ele, não entendeu a verdadeira mensagem por trás da letra.

“O conceito de oração positiva… se você puder imaginar um mundo em paz, sem denominações de religião – não sem religião, mas sem essa coisa de ‘meu Deus é maior que o seu Deus’ – então isso pode se tornar verdade. A World Church me ligou uma vez e perguntou: ‘podemos usar a letra da música e só muda-la para: Imagine uma religião?’ Isso mostrou que eles não entenderam nada. Derrubaria todo o propósito da música, a ideia inteira.”

“Imagine” foi exaustivamente tocada, regravada, adaptada, premiada e reconhecida. A música chegou a perder um pouco de sentido, já que passou a ser utilizada até mesmo em situações onde o conceito da letra não se aplica.

Ainda assim, a mensagem da faixa, por mais “batida” que seja, segue atual. A importância dessa composição é reflexo direto do legado de John Lennon para o mundo e da visão de um verdadeiro pacifista, por mais que ele próprio vivesse suas guerras pessoais.

A letra de “Imagine”

“Imagine que não existe paraíso
É fácil se você tentar
Nenhum inferno sob nós
Acima de nós apenas o céu
Imagine todas as pessoas
Vivendo para o presente

Imagine que não há países
Não é difícil
Nada para matar ou razão para morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz

Você pode dizer que sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu espero que algum dia você se junte a nós
E o mundo será como um só

Imagine que não existe posses
Eu me pergunto se você consegue
Sem necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade dos homens
Imagine todas as pessoas
Compartilhando o mundo inteiro

Você pode dizer que sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu espero que algum dia você se junte a nós
E o mundo viverá como um só”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
1
Share