O surpreendente diferencial de se trabalhar com Axl Rose, segundo Josh Freese

Baterista, atual membro do Foo Fighters, fez parte do Guns N' Roses entre 1997 e 2000 e recebeu créditos no álbum “Chinese Democracy” (2008)

Josh Freese possui uma vasta experiência musical, tanto como membro de turnês, quanto como músico de estúdio. O baterista, que agora substitui o saudoso Taylor Hawkins no Foo Fighters, já trabalhou com inúmeros artistas e bandas. Entre elas, estão Devo, Paramore e Guns N’ Roses – com quem trabalhou de maneira próxima. 

Ele entrou para o grupo em 1997, no lugar de Matt Sorum, e ficou até o ano 2000. Durante o período, participou do álbum “Chinese Democracy” — lançado mundialmente só em novembro de 2008, mesmo que a produção tenha começado uma década antes —, ganhando créditos de composição na faixa-título.

- Advertisement -

Recentemente, o baterista relembrou a experiência de colaborar com Axl Rose em entrevista ao canal de Rick Beato, transcrita pela Ultimate Guitar. No bate-papo, fez questão de não só elogiar o vocalista, como também de destacar um surpreendente diferencial em relação à sua postura profissional.

Tudo começou quando Freese recebeu uma ligação do ex-empresário do grupo, avisando que precisavam de um baterista e o convidando para fazer um teste. Apesar de incerto, aceitou o convite para conhecer Rose — e logo de cara ficou impressionado com a abertura artística concedida pelo cantor. 

“Uma das coisas que me atraiu para a banda foi que eu estava conversando com Axl quando ele precisava de um baterista e ele me disse: ‘Ei, cara, você compõe? Se você tiver uma ideia legal, vamos trabalhar nela. Estou aberto a qualquer coisa, será ótimo’. [No processo] tinha um quadro dividido, com uma lista de músicas consideradas as principais e outra com as secundárias. O tempo todo, eu tinha três ou quatro músicas na lista principal.”

Sem dúvida, o caráter colaborativo o chamou atenção. Segundo o próprio, é difícil encontrar artistas consolidados que estejam abertos a sugestões dessa maneira — ainda mais com um baterista. 

Leia também:  A opinião de David Gilmour sobre Roger Waters enquanto baixista

“Outra coisa que eu gostei muito foi que ele tinha a mente aberta sobre colaborações e sobre música. Muitas vezes em outras bandas, especialmente daquele nível, aconteceu de me dizerem: ‘você é o baterista, aqui está a música, toque bateria’. [risos] Mas Axl me disse ‘eu amo [ideias], vamos trabalhar nelas’. Não convivi com muitos caras em bandas que tivessem essa atitude.”

Em conversa com a Vice, em 2014, Freese já havia apresentado o mesmo ponto. Ele declarou:

“Quando eu o conheci, realmente gostei dele. Ele foi muito simpático. Falou comigo sobre o Devo e em vez de soltar um ‘é, eu gostava de ouvir ‘Whip It’’, falou de outras músicas. Pensei: ‘esse cara conhece mesmo a banda, ele realmente gosta de Devo’. Então continuou: ‘eu quero alguém para vir aqui e escrever comigo, não quero você apenas para ser o baterista’.”

Josh Freese e Axl Rose

Durante participação no Appetite for Distortion (um podcast com temática de Guns N’ Roses), em 2021, Josh já havia sido convidado a revelar como era trabalhar junto de Axl Rose no fim dos anos 90. O baterista afirmou que o cantor sempre foi generoso, legal e simpático no tempo em que conviveram.

Leia também:  Doug Ingle, fundador e líder do Iron Butterfly, morre aos 78 anos

“Nunca tive nenhum problema e não tenho nenhuma história engraçada para contar, exceto que me dei muito bem com ele.”

Freese entende a curiosidade em torno do assunto, mas destacou ter ficado até triste em pensar como sua saída do Guns N’ Roses poderia afetar o cantor, já que os dois se deram tão bem. Havia um grande receio de sua parte que o frontman levasse a decisão para o lado pessoal – o que, felizmente, não aconteceu.

“Desde então, só nos vimos uma vez, durante o Coachella, anos atrás. Ele foi super legal, demos risada. Foi muito bom.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO surpreendente diferencial de se trabalhar com Axl Rose, segundo Josh Freese
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades