Quando “Roots”, do Sepultura, fez Dave Grohl perder US$ 50 mil

História foi relembrada pelo vocalista e guitarrista Max Cavalera em entrevista televisiva anos atrás

Dave Grohl é abertamente um grande fã do Sepultura. O líder do Foo Fighters nunca escondeu a admiração que nutre pela banda brasileira, a usando como referência quando o assunto é seu apreço por atrações que remetem ao metal.

­

- Advertisement -

Porém, o grupo também rendeu um prejuízo que seria ainda maior caso não se tratasse de um músico extremamente bem-sucedido. A história foi contada por Max Cavalera em 2016, durante aparição no programa “The Noite com Danilo Gentili”, do SBT.

O vocalista e guitarrista disse, conforme transcrição do Whiplash:

“Verdade. Essa história está até no meu livro [‘My Bloody Roots’], está na introdução do livro, ele [Dave Grohl] conta essa história. A aparelhagem do Foo Fighters, que é a banda dele. Custou 50 mil dólares, os PAs que eles compraram, parecia uns monólitos. Ele botou o CD do ‘Roots’ e o bagulho estourou. 50 mil dólares queimados. Se queimasse 50 mil dólares, seria melhor do que o que o disco fez com o aparelho dele. Mas essa história eu acho demais. O nosso disco, que a gente fez, o nosso trabalho estourou a caixa do cara, de 50 mil dólares. Essa história ficou muito legal.”

Apesar do desfalque monetário, Cavalera enfatiza que Grohl sempre exaltou o álbum.

“E ele acha, o Dave Grohl acha o ‘Roots’ o disco de Metal mais importante dessa era de Metal, dos anos 90, final dos anos 90, começo dos [anos] 2000. Ele acha o disco o mais importante dessa época.”

Max chegou a participar de um álbum de Dave: o único do Probot, projeto com uma série de músico da cena heavy. O trabalho saiu em 2004.

Leia também:  Como “Doolittle” fez Pixies chegar ao ápice sonoro e às paradas

O amor de Dave Grohl pelos brasileiros

Conversando com a revista Mojo em 2017 (via Tenho Mais Discos que Amigos), Grohl revelou sua relação com o Sepultura e o papel da banda brasileira em sua própria trajetória profissional, desde a época em que era baterista do Nirvana:

“Em determinado momento, meu melhor amigo Jimmy descobriu o Sepultura — ‘Arise’ foi o primeiro álbum que ele comprou. Eu amava essa banda. A primeira vez que eles tocaram em Seattle, eles eram ferozes. Não era aquela estética genérica do heavy metal; eles tinham dreadlocks por toda parte e as guitarras tinham afinações diferentes pra caramba. Krist Novoselic [baixista do Nirvana] começou a gostar deles também, e naquela hora nós curtíamos a ideia de ter eles abrindo pro Nirvana. Nunca deu certo. E então o ‘Roots’ foi lançado, produzido pelo Ross Robinson e mixado pelo Andy Wallace: sonoramente, o álbum mais poderoso que eu já ouvi. Fazia todo o resto soar fraco. Aquele disco virou referência para cada álbum que o Foo Fighters fez por 10 anos. ‘Isso soa muito bem, mas vamos ver como soa em comparação ao álbum do Sepultura’. Nós nunca sequer chegamos perto de fazer igual. Mas nos dava uma perspectiva — era pesado.” 

Receber tais elogios do vocalista e guitarrista do Foo Fighters pelo “Roots” foi surreal para Max. Durante entrevista à rádio WXAV 88.3 FM em 2021, ele revelou:

Leia também:  Steve Harris revela o curioso segredo físico para seu som de baixo

“Exploramos territórios completamente desconhecidos para o estilo e os resultados foram incríveis. Acabamos sendo elogiados por pessoas como Dave Grohl e Lemmy. Era surreal ouvir meus ídolos reconhecendo minha obra.”

Sepultura e “Roots”

Lançado em 20 de fevereiro de 1996, “Roots” é o sexto álbum de estúdio do Sepultura. Mostrou a banda intensificando suas influências experimentais, com direito a incursões na música percussiva brasileira, registros com uma tribo Xavante e as então novas vertentes do heavy metal.

Foi o último trabalho de inéditas a contar com o vocalista e guitarrista Max Cavalera, que sairia após a turnê devido a desentendimentos entre os músicos e sua esposa, a empresária Gloria Cavalera.

Carlinhos Brown, Mike Patton (Faith No More), DJ Lethal (Limp Bizkit, House Of Pain), Jonathan Davis e David Silveria (Korn) participaram das gravações.

“Ratamahatta” é a primeira música autoral da banda totalmente em português. “Ambush” é um tributo ao ativista ambiental Chico Mendes. “Dictatorshit” fala sobre o golpe militar de 1964. “Endangered Species” alerta para a destruição da natureza no Brasil.

“Roots” vendeu mais de 2 milhões de cópias em todo o mundo. Ganhou discos de ouro no Brasil, Estados Unidos, Canadá, Holanda, Austrália, França e Áustria, além de prata na Inglaterra.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesQuando “Roots”, do Sepultura, fez Dave Grohl perder US$ 50 mil
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades