5 bandas que você nunca ouviu falar, mas que lançaram boas músicas hoje (28/01)

Quadro semanal apresenta novidades de artistas e grupos de rock e metal pouco comentados

Além da playlist de lançamentos e do guia de álbuns, chega ao site a seção “Você nunca ouviu falar, mas…”, também com objetivo de apresentar novidades do rock e metal. A ideia é selecionar semanalmente discos e singles recém-liberados de artistas e grupos pouco conhecidos.

Na lista a seguir, compilo cinco músicas lançadas neste dia 28 de janeiro de 2022 por bandas que você talvez nunca tenha ouvido falar, mas deveria.

Depois, não deixe de conferir:

Vamos às escolhas!

Dorothy – “Rest in Peace”

Embora seja conhecida nos Estados Unidos, pouca gente sabe de Dorothy no Brasil. A banda americana, liderada pela cantora húngara Dorothy Martin, é uma das poucas apostas rock da gravadora Roc Nation, fundada por Jay-Z. Aposta em uma sonoridade orientada ao classic rock, mas em singles mais recentes tem acrescentado influências mais contemporâneas. É o caso de “Rest in Peace”, liberada com videoclipe. “Gifts From The Holy Ghost”, terceiro álbum do grupo, será lançado ainda em 2022.

Electric Enemy – “Sweet Tooth”

Ao definir seu próprio som, esse grupo britânico pede para que os fãs imaginem uma festa com Queens of the Stone Age, Muse, Rage Against The Machine e… Abba. Ainda usam o termo “heavy pop”. Fato é que o Electric Enemy sabe fazer músicas bem radiofônicas com uma roupagem pesada, na veia do que o Royal Blood tem apresentado desde a década passada. “Sweet Tooth” é mais um dos vários singles lançados pelos caras e não foge a essa regra.

Diablo – “The Stranger”

Embora nunca tenha furado a bolha da Finlândia, país onde é realmente popular, o Diablo parece estar cada vez mais disposto a obter popularidade em outras regiões. Para isso, o som está ficando mais distante do melodic death metal para flertar com o groove metal, só que numa abordagem melódica. “The Stranger”, mais um single do futuro álbum “When All the Rivers Are Silent” (que chega dia 25 de fevereiro), reflete bem essa proposta – que, com a devida divulgação, pode dar certo.

Mustasch – “Money”

Faz um tempo que o Mustasch, boa banda sueca que vai do heavy ao stoner, não lança um álbum. Para quem divulgava discos praticamente ano após ano, um hiato de 3 anos nesse sentido parece muita coisa. E parece que eles estão confortáveis com os singles e EPs, já que o compacto “A Final Warning – Chapter One” saiu em 2021 e as próximas apostas devem sair como singles, como a recente “Money”. A faixa não é das melhores da banda, mas vale um espaço na lista.

All Them Witches – “Blacksnake Blues”

Talvez o nome de pegada mais retrô na lista, o All Them Witches tem um pé fincado na sonoridade na década de 1960. O blues rock de veia psicodélica desses americanos já foi apresentado nos seis álbuns anteriores e deve chegar em nova dose com um novo trabalho, visto que single “Blacksnake Blues” acabou de ser liberado. São 11 minutos de duração, mas confia: passa rapidinho.

Os singles estão na playlist de lançamentos do site, atualizada semanalmente com as melhores novidades do rock e metal. Siga e dê o play!

Não deixe de conferir:

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

8 comentários
  1. Já conhecia a Dorothy Martin por indicação de um amigo e o All Them Wiches, esse graças ao Bandcamp.

    Para essa seção, vou deixar a minha contribuição:
    The Savoy Truffle (existe Rock bom no Japão, feito por essa banda com nome de música dos Beatles. Não é tão fácil encontrar material deles na Internet, porque quase tudo que aparece nos resultados da pesquisa, é a música homônima dos Beatles. O principal nome, é o guitarrista Toshihiro Sumitomo. Os discos que tenho e conheço são: Roadhouse Boogie, The Savoy Truffle, Take To The Sky And Fly, To the Higher Ground – amostra: https://www.youtube.com/channel/UCKMbdvYIbqT6z2zNeNvh5iQ/featured)
    Echolyn (Uma das melhores e é quase imperdoável não ter nada aqui)
    Widespread Panic (aparece apenas citada em duas listas de lançamentos. Ótima banda!)
    Uncle Acid & The Deadbeats (Um dos melhores do gênero!)

    Blindstone
    Cold Blood (Essa banda é setentista, mas nunca vi nada por aqui. Como é possível? A vocalista – Lydia Pense – é um dos raros nomes femininos à frente de uma banda de Rock. em uma época em que elas eram ainda menos comuns do que são hoje, tal como a Suzi Quatro)
    Dead Meadow
    Elefante Guerrero Psiquico Ancestral
    Firebird
    Five Horse Johnson (ótimo Blues Rock, que flerta com Stoner e Hard)
    Gin Lady
    Gravy Train (+ um setentista muito bom!!!)
    JPT Scare Band (Acid Rock)
    Lonely Kamel (Stoner muito bom “a la Graveyard” )

    Essa lista poderia crescer MUITO, mas vou deixar apenas esses entre os que conheço e tenho 😉

    1. Obrigado pelas sugestões! Todas devidamente anotadas. Essa seção do site é semanal e depende de quando essas (e outras) bandas lançarem músicas inéditas – só incluo aquilo que tenha sido lançado na semana do artigo. Mas estarei de olho!

  2. Beleza Igor!

    Obrigado pela resposta e pelo esclarecimento! Pensei que fossem bandas que “nunca ouviram falar” apenas e não necessariamente teria que haver coisas “saindo do forno”.

    Conheci seu bom site há pouco tempo. Desde então o Google vem sugerindo diversos conteúdos, os quais acompanho quase sempre.

    Mesmo que os nomes mencionados não sirvam para essa seção, eventualmente podem servir de conteúdo para outras, ou mesmo para conhecimento seu e do seu público. É conteúdo R’n’R, não é mesmo?! Por exemplo, o Echolyn é longe de ser uma banda nova ou com pouco material, mas é pouquíssimo conhecida e eu não consigo compreender o porquê.

    Já o Cold Blood, é daqueles setentistas que a gente descobre em um sebo, que nunca antes havíamos ouvido falar, mas que é um típico – e bom – representante da época, com uma linda e competente voz feminina e instrumentos bem tocados!

    Procure por “Watch Your Step” ou “Funky On My Back” no YT e vai ter uma boa ideia da sonoridade da banda.

    Por falar em vozes femininas nos anos 70, Julie Driscoll! Ela tem parcerias com o fantástico tecladista Brian Auger!

    Grande abraço e continue nos municiando com o velho e bom R’n’R!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
16
Share