CEO do Rock and Roll Hall of Fame volta a falar sobre Iron Maiden fora

Greg Harris afirma que a banda tem grandes chances de ser introduzida no futuro: "Rage Against the Machine concorreu cinco ou seis vezes"

Desde 2005, o Iron Maiden está elegível ao Rock and Roll Hall of Fame. Por duas vezes, incluindo este ano, a banda foi indicada à instituição, mas não integrou a lista final de homenageados escolhidos pelo júri – o que gerou revolta por parte do público.

Greg Harris, CEO do Rock and Roll Hall of Fame, comentou em fevereiro que, após o Judas Priest ter conquistado o feito (ainda que em uma categoria paralela), torcia pela indução da Donzela de Ferro. Ele afirma reconhecer a influência e o impacto da banda para a música e voltou a falar sobre o assunto em entrevista à Audacy (via Blabbermouth).

- Advertisement -

Segundo o profissional, a probabilidade de um artista (nesse caso, o Iron Maiden) entrar para o Rock and Roll Hall of Fame depois de ter sido indicado pela primeira vez é muito alta, mesmo que demore certo tempo. Harris citou Rage Against the Machine, um dos selecionados desta edição, como exemplo:

“Qualquer um que seja indicado tem grandes chances de eventualmente entrar. Na verdade, acho que essas chances podem chegar a 90%. Rage Against the Machine concorreu cinco ou seis vezes antes de conseguir. Às vezes, demora um pouco. Mas vamos ver onde isso vai dar. Agora, vamos comemorar a turma desse ano e podemos começar a debater sobre a turma do ano que vem quando os holofotes estiverem fora desta edição.”

Ainda, o CEO disse não se incomodar com os comentários negativos a respeito da exclusão do Maiden. Pelo contrário:

“Nós amamos que as pessoas se importem, que elas se importem com quem entrou ou não, que os fãs se importem.”

Leia também:  Luis e Hugo Mariutti tocarão “Reason”, do Shaman, na íntegra com convidados

Willie Nelson, Rage Against the Machine, Kate Bush, Missy Elliott, Sheryl Crow, George Michael e The Spinners estão entre os homenageados da próxima cerimônia, que acontece dia 3 de novembro no Barclays Center, em Nova York, Estados Unidos. Não há detalhes sobre a transmissão até o momento, já que o contrato com a HBO acabou.

Bruce Dickinson sobre o Rock and Roll Hall of Fame

Não é só o público que tem críticas ao Rock and Roll Hall of Fame. O próprio Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, já abordou suas ressalvas em relação à instituição.

Em 2018, o cantor revelou ao jornal The Jerusalem Post que recusaria a entrada ao Rock and Roll Hall of Fame caso a Donzela de Ferro estivesse entre os eleitos. Para ele, o título estaria longe de representar uma honra.

“Na verdade, estou muito feliz de não estarmos lá, eu nunca gostaria de estar lá. Se fomos introduzidos, eu vou recusar. O rock and roll não pertence a um mausoléu em Cleveland. É uma coisa viva, que respira. Se você colocá-lo em um museu, estará morto.”

A demora para consagrar o Deep Purple e o Judas Priest e a frequente exclusão do Motörhead são outros pontos de descontentamento apontados pelos fãs. Recentemente, Courtney Love, eterna vocalista do Hole, questionou a instituição por destinar pouco espaço para as mulheres.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasCEO do Rock and Roll Hall of Fame volta a falar sobre...
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades