Como remixagem de “Revolver”, dos Beatles, só foi possível graças a Peter Jackson

Tecnologia de inteligência artificial utilizada no filme “The Beatles: Get Back” possibilitou separar instrumentos ocupando a mesma faixa nas fitas originais

A tecnologia de inteligência artificial usada para separar faixas de áudio em “The Beatles: Get Back”, documentário dirigido por Peter Jackson, se provou vital para a nova mixagem estéreo de “Revolver” (1966). Quem diz isso é o próprio Giles Martin.

Em entrevista ao Word in Your Ear (transcrita pelo Music Radar), o produtor contou que o uso da tecnologia desenvolvida por Emile de la Rey no documentário chamou muito a sua atenção. Ele chegou ao ponto de acreditar na possibilidade de aplicá-la em discos.

“Ele desenvolveu esse sistema e chegou ao ponto que se tornou incrível. E ao final de ‘Get Back’ eu disse para Emile: ‘Eu tenho esse álbum ‘Revolver’ – você quer tentar fazer algo com isso?’.”

- Advertisement -

Por causa de limitações tecnológicas da época em que foram gravados, “Revolver” e seu antecessor “Rubber Soul” (1965) até então eram vistos como impossíveis de mixar em estéreo. Durante o processo de cada disco, os Beatles costumavam colocar vários instrumentos diferentes juntos para aproveitar ao máximo as quatro faixas disponíveis em gravadores da época.

Ainda durante a entrevista, Martin descreveu o resultado do teste inicial da tecnologia no disco:

“Eu mandei ‘Taxman’ para ele, e ele literalmente me mandou guitarra, baixo e bateria separadamente – você consegue até ouvir o rangido do pedal do Ringo no bumbo. É alquimia… e nós aperfeiçoamos, trabalhando juntos nisso, e acabou sendo a situação onde eu poderia ter mais do que as quatro faixas para trabalhar. É por isso que pudemos fazer a mix estéreo de ‘Revolver’. Abriu a porta.” 

Leia também:  Fã chileno viaja 11 mil km para ver o Pearl Jam — e acaba tocando com a banda

Inteligência artificial também ajuda Paul McCartney

A tecnologia de separação de áudio desenvolvida em “The Beatles: Get Back” já havia demonstrado suas aplicações além do filme. Em sua atual turnê, “Got Back”, Paul McCartney tem feito um dueto “ao vivo” de “I’ve Got A Feeling” com imagens de arquivo de John Lennon.

Peter Jackson explicou à revista Variety (via Music Radar) como se deu o processo de colocar Lennon em sincronia com a banda. Para tal, foi preciso literalmente ensinar os computadores sobre o que iriam processar.

“Desenvolvemos um sistema de aprendizado para a máquina. Ensinamos como soa uma guitarra, como soa um baixo, como soa uma voz. Na verdade, ensinamos ao computador como é o som de John e como é o som de Paul.

Então, podemos pegar essas faixas mono e dividir todos os instrumentos – podemos apenas ouvir os vocais, as guitarras. Você vê Ringo tocando bateria ao fundo, mas não ouve a bateria. Isso nos permite remixar de maneira realmente limpa.”

Beatles e a remixagem de “Revolver”

A nova edição remixada de “Revolver” sai dia 28 de outubro. Mais detalhes podem ser conferidos clicando aqui. Ouça abaixo a versão estéreo de “Taxman”.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasComo remixagem de “Revolver”, dos Beatles, só foi possível graças a Peter...
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades