A opinião de Phil Collins sobre músicas solo e do Genesis em “Psicopata Americano”

Protagonista do filme, personagem de Christian Bale chega até mesmo a mencionar o nome do músico durante a obra

Lançado em 2000, o filme “Psicopata Americano” adapta o romance de Bret Easton Ellis, publicado em 1991. A trama se passa na Nova York de 1987.

A estrela da obra é Patrick Bateman, personagem interpretado por Christian Bale que possui uma segunda vida como um horrível assassino em série durante a noite. O roteiro se propõe a analisar os elementos psíquicos e sociais que transformam um homem em um monstro.

- Advertisement -

Tendo em vista o ano em que tudo se desenvolve, seria necessário fazer alusões ao período. Sendo assim, não se surpreende que Phil Collins seja a trilha de fundo, tanto em carreira solo quanto com o Genesis. Há até menções do protagonista ao trabalho do artista e uma música citada como sua favorita – “Sussudio”, do álbum “No Jacket Required” (1985).

Mas o que o próprio músico pensava sobre as referências? Ele sabia que seria envolvido na película?

Em 2016, o próprio respondeu ao Stereogum, conforme resgate do Rock and Roll Garage:

“Todos nós recebemos o livro quando saiu. Na época eu pensei: ‘É exatamente disso que precisamos, outro filme de serial killer’. Mas eu não li o livro. Eu estava morando na Suíça e alguém me disse: ‘Você viu Psicopata Americano? Você tem que ir ver porque eles fazem muitas coisas com a sua música.’ Então eu assisti e gostei do filme. Tenho que assistir de novo para decidir se fiquei ofendido ou não.”

Durante um webchat conduzido pelo The Guardian no mesmo ano, Collins se mostrou ainda mais entusiasmado com o tributo.

“Fiquei lisonjeado. Fui ver o musical. Em primeiro lugar, fiquei muito surpreso por eles terem feito um. Estava bom. Para ser honesto, se a minha música é considerada representativa de uma época, então isso é mais do que pensei que aconteceria comigo quando tinha 13 ou 14 anos. Achei o filme bem engraçado. Não sei se era para ser. Mas não acho que ele ser um psicopata e gostar da minha música esteja relacionado. Ela apenas era onipresente naquela época.”

Christian Bale e Phil Collins

Curiosamente, Christian Bale já disse que Phil Collins se recusou a conhecê-lo. A revelação aconteceu também em 2016, à Rolling Stone.

“Uma vez eu estava em um programa de TV na Itália em 2010 e o único outro convidado era Phil Collins. Um dos meus publicitários disse: ‘Você quer conhecê-lo?’ E eu disse: ‘Claro’. Meu publicitário volta e eu digo: ‘O que aconteceu?’ Ele diz: ‘Oh, nada, nada, nada’. Eu digo: ‘O que aconteceu?’ E ele diz: ‘Ele realmente não quer conhecer você.’”

A informação, de acordo com o astro, foi confirmada pela filha do músico.

“Então encontrei a filha dele, Lily, em uma festa há cerca de um ou dois anos. Ela me contou como adorava o filme, mas que seu pai ficou chateado com a coisa de Genesis e Phil Collins nele. Contei que ele não quis me conhecer e ela apenas riu disso.”

Leia também:  Deep Purple tem ciúmes do sucesso do Led Zeppelin e do Black Sabbath? Ian Gillan responde

“Psicopata Americano” e sua trilha

“Psicopata Americano” não obteve aprovação unânime de público e crítica. Ainda assim, arrecadou mais de US$ 34 milhões em bilheteria, superando com folga os US$ 7 milhões investidos em sua produção.

O álbum contendo a trilha sonora conta com as seguintes faixas:

  1. “You Spin Me Round (Like a Record)” – Dope (Dead or Alive cover)
  2. “Monologue 1” – John Cale
  3. “Something in the Air” (American Psycho Remix) – David Bowie
  4. “Watching Me Fall” (Underdog Remix) – The Cure
  5. “True Faith” – New Order
  6. “Monologue 2” – John Cale
  7. “Trouble” – Daniel Ash
  8. “Paid in Full” (Coldcut Remix) – Eric B. & Rakim
  9. “Who Feelin’ It” (Philip’s Psycho Mix) – Tom Tom Club
  10. “Monologue 3” – M. J. Mynarski
  11. “What’s on Your Mind” (Pure Energy Mix) – Information Society
  12. “Pump Up the Volume” – M/A/R/R/S
  13. “Paid in Full” (Remix) – The Racket
  14. “Monologue 4” (hidden track)

Outras canções que aparecem no filme mas não no álbum. São elas:

  • “Walking on Sunshine” – Katrina and the Waves
  • “I Touch Roses” – Book of Love
  • “Hip to Be Square” – Huey Lewis and the News
  • “The Lady in Red” – Chris de Burgh
  • “If You Don’t Know Me by Now” – Simply Red
  • “In Too Deep” – Genesis
  • “Sussudio” – Phil Collins
  • “Secreit Nicht” – Mediæval Bæbes
  • “Red Lights” – Curiosity Killed the Cat
  • “Simply Irresistible” – Robert Palmer
  • “Greatest Love of All” – Whitney Houston (Instrumental Version)
  • “Al Mirar Tu Cara” – Santiago Jimenez Jr.
  • “Enjoy the Silence” – Depeche Mode

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA opinião de Phil Collins sobre músicas solo e do Genesis em...
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades