Os Rolling Stones vão continuar sem Charlie Watts? Mick Jagger responde

Turnê foi iniciada com Steve Jordan na vaga de Watts; futuro é incerto, mas integrantes não descartam continuar sem baterista original

A morte de Charlie Watts, anunciada no último dia 24 de agosto, colocou fim a um dos vínculos mais duradouros do rock. O baterista fez parte dos Rolling Stones de forma ininterrupta desde 1963, o que colocou o grupo em um dilema.

Os Stones estão hoje em uma turnê sem Watts, ausência que já havia sido anunciada antes mesmo da morte do músico. Com problemas de saúde, ele havia sido afastado dos shows, sendo substituído por Steve Jordan.

Apesar das apresentações terem sido mantidas, será que os Rolling Stones vão continuar de vez? Ou só vão cumprir as datas marcadas e encerrar atividades?

Rolling Stones sem Charlie Watts

A respeito do futuro, o vocalista Mick Jagger e os guitarristas Keith Richards e Ronnie Wood conversaram com a revista Rolling Stone. Jagger, em especial, respondeu de forma um tanto vaga, mas deu a entender que a sequência das atividades da banda seria a solução mais provável – desde que tudo funcione bem.

“Fazem essa pergunta (se os Rolling Stones vão acabar) desde que tenho 31 anos. E a resposta é a mesma: eu não sei. Quer dizer, tudo pode acontecer. Você sabe, se as coisas estiverem bem no próximo ano e todos estiverem se sentindo bem com a turnê, tenho certeza que faremos shows. Estou apenas tentando me concentrar nesta turnê de agora.”

Na ocasião, Mick também falou da perda de Charlie Watts e destacou a importância do baterista para a estabilidade dos Stones. A banda preserva a mesma formação desde 1993, quando o baixista Bill Wyman saiu.

“Charlie sempre estava lá, sempre tocava lindamente e sempre estava disposto a discutir o que fazer a respeito – como ele poderia fazer melhor. Ele manteve a banda unida por tanto tempo, musicalmente, porque ele era a rocha onde toda a banda foi construída em torno. Ele trouxe esse belo senso de swing que a maioria das bandas gostaria de ter. Tivemos algumas conversas muito boas nos últimos anos sobre como tudo isso aconteceu com a banda. É uma grande perda para todos nós. É muito, muito difícil.”

Steve Jordan, o substituto

No último domingo (26), os Rolling Stones deram início a uma nova etapa da turnê “No Filter”. Para a bateria, o convidado foi o veterano Steve Jordan, que já tocou no X-Pensive Winos, banda solo do guitarrista Keith Richards, além de produzir seus álbuns solo.

Na mesma entrevista à Rolling Stone, Mick Jagger também falou sobre a importância de poder contar com Jordan. Segundo ele, o baterista tenta aprender como Charlie Watts tocou ao vivo nos últimos anos. O primeiro show com ele já foi feito, como aquecimento para a turnê, no último dia 20 de setembro, no Reino Unido.

“Ele é muito respeitoso com Charlie. Ele tocou com Keith antes de começarmos os ensaios e depois fez o dever de casa, ouvindo as músicas. Quando falamos sobre o que Charlie fez em determinada música, ouvimos o disco original e depois ouvimos as versões ao vivo. Há certas coisas feitas por Charlie que queremos fazer. Existem certas viradas de bateria que nem todos notam, mas fazem parte da melodia da mesma forma que uma linha de baixo ou guitarra.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
39
Share