Venom Inc canta os horrores inomináveis do pós-pandemia em “There’s Only Black”

Satanismo de outrora sai de cena nas letras; morte, doenças e denúncias compõem o cenário do segundo álbum do trio

Em 2002, Cronos e Mantas concluíram pela enésima e derradeira vez que não dava para os dois estarem num mesmo ambiente. Houve, assim, a cisão na qual o vocalista e baixista ficou com o nome Venom e o guitarrista saiu levando a assinatura sonora que fez da banda um dos alicerces do que hoje se entende por metal extremo.

Sob a égide de Cronos, o Venom lançou cinco álbuns: “Metal Black” (2006), “Hell” (2008), “Fallen Angels” (2011), “From the Very Depths” (2015) e “Storm the Gates” (2018). Segue, também, capitalizando em cima do passado glorioso por meio de relançamentos deluxe, compilações de outtakes e box-sets.

- Advertisement -

Já Mantas, passados uns anos, uniu forças com o velho conhecido Tony Dolan, o “Demolition Man”, que substituiu Cronos na formação do Venom responsável pela trinca “Prime Evil” (1989), “Temples of Ice” (1991) e “The Waste Lands” (1992). O primeiro esforço conjunto dos caras foi o M:pire of Evil, que divulgou dois álbuns — “Hell to the Holy” (2012) e “Crucified” (2013) — antes de mudar de nome para Venom Inc. Em agosto de 2017, quatro meses após a assinatura do contrato com a Nuclear Blast Records (cujos lançamentos são trazidos ao Brasil via Shinigami Records), o grupo fez sua estreia pela gravadora alemã com o elogiado “Avé”.

Dado o histórico recente de produtividade, ninguém poderia imaginar que a sequência levaria cinco anos para ficar pronta. Pedras no caminho houve de montão — a pandemia, por exemplo —, mas a espera ainda assim foi demasiadamente longa. Ainda bem que “There’s Only Black” faz todo esse tempo ter valido a pena.

A capa representa o planeta Terra, provavelmente por rescaldo da Covid-19, envolto em sombras. A associação estética com essa doença que ceifou a vida de milhões e a qual muitos doutores de Google compararam a “uma gripezinha” ganha mais força quando se presta atenção a letras como a de “How Many Can Die”, que abre o disco de maneira tão malévola quanto os horrores inomináveis que testemunhamos nos últimos dois anos e meio.

Na mira de Dolan, que desde os tempos de Atomkraft se apresenta como um letrista de primeira, também aqueles que criam e disseminam fake news. “Don’t Feed Me Your Lies” e “Burn Liar Burn” são complementares em espírito e temática. Ainda nessa seara da desinformação, “Tyrant” e “Man As God” são uma cusparada na cara dos autoproclamados messias que buscam o poder a qualquer custo.

Leia também:  Richie Kotzen anuncia novo álbum “Nomad” e divulga single

As cinco supracitadas faixas já exemplificam o que de mais singular “There’s Only Black” tem, principalmente se comparado ao passado e ao presente do Venom sem Inc: sai de cena o satanismo kitsch e gratuito para a entrada de versos atentos ao mundo de carne, osso, morte e doenças. Havendo necessidade de uma síntese, a faixa-título e “Inferno” são as mais indicadas para o papel. Nelas jazem tanto a missão quanto a mensagem do Venom com Inc.

Para dar match com tudo isso, tem-se Dolan no auge de sua capacidade interpretativa, vociferando como um gargântua abatido que deteriora e apodrece num pântano úmido, e Mantas vestindo a capa do virtuoso, num último esforço para ser ouvido, ter seu exemplo perpetuado, seu legado preservado e seu nome esculpido na rocha junto aos grandes da guitarra metal.

Vale comentar que a chance é grande que essa dupla — provavelmente acompanhada pelo “War Machine” Jeramie Kling, que dá um show a parte do play ao stop — desembarque em terras tupiniquins em 2023 para promover o álbum. Apresentações agendadas para este ano, antes do lançamento do disco, foram canceladas após a produtora responsável alegar que o grupo não apresentou comprovante de vacinação contra a Covid-19 – os músicos negaram que isso seja verdade e criticaram a empresa.

No fim das contas, caso o retorno se confirme, comunique aos seus demônios que a expulsão terá dia e hora marcados.

Ouça “There’s Only Black” a seguir, via Spotify, ou clique aqui para conferir em outras plataformas digitais.

O single está na playlist de lançamentos do site, atualizada semanalmente com as melhores novidades do rock e metal. Siga e dê o play!

Venom Inc – “There’s Only Black”

  1. How Many Can Die
  2. Infinitum
  3. Come To Me
  4. There’s Only Black
  5. Tyrant
  6. Don’t Feed Me Your Lies
  7. Man As God
  8. Burn Liar Burn
  9. Nine
  10. Rampant
  11. The Dance
  12. Inferno

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioLançamentosVenom Inc canta os horrores inomináveis do pós-pandemia em “There’s Only Black”
Marcelo Vieira
Marcelo Vieirahttp://www.marcelovieiramusic.com.br
Marcelo Vieira é jornalista graduado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA), com especialização em Produção Editorial pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Há mais de dez anos atua no mercado editorial como editor de livros e tradutor freelancer. Escreve sobre música desde 2006, com passagens por veículos como Collector's Room, Metal Na Lata e Rock Brigade Magazine, para os quais realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais, cobriu shows e festivais, e resenhou centenas de álbuns, tanto clássicos como lançamentos, do rock e do metal.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades