O crime real que inspirou Eddie Munson e o Hellfire Club de “Stranger Things”

Carismático personagem da série da Netflix foi criado a partir de jovem preso por assassinatos e inocentado anos mais tarde

Se há um personagem introduzido na quarta temporada de “Stranger Things” que caiu no gosto dos fãs, este alguém é Eddie Munson (Joseph Quinn). O líder do Hellfire Club, metalhead e nerd de carteirinha, cativou muita gente com seu jeito pra lá de excêntrico e amigável.

O que poucos sabem é que sua criação está relacionada a uma curiosidade pra lá de macabra: tanto o próprio Eddie quanto o Hellfire Club foram inspirados em um crime real, ocorrido em uma cidade americana no início dos anos 1990.

*Aviso: spoilers dos primeiros episódios da 4ª temporada de “Stranger Things” abaixo.

O crime de West Memphis

No dia 5 de maio de 1993, na cidade de West Memphis, estado americano do Arkansas, três meninos de 8 anos de idade – Steve Branch, Michael Moore e Christopher Byers – desapareceram. A primeira pessoa a reportar o sumiço dos garotos foi o padrasto de Branch, que alertou a polícia às 19h.

A polícia iniciou a busca pelas crianças no dia seguinte, no local em que foram vistos pela última vez juntos, conhecido como Robin Hood Hills. Os corpos deles foram localizados em um fosso da cidade no início da tarde. Eles estavam nus e com braços e pernas amarrados. Havia sinais de violência e afogamento.

Três adolescentes foram detidos pela polícia local suspeitos pelo assassinato: Damien Echols, Jason Baldwin e Jessie Misskelley. O grupo acabou recebendo o apelido de “West Memphis Three” – que podemos traduzir como “Os Três de West Memphis” ou “O Trio de West Memphis”.

Não demorou para vir à tona a informação de que o trio de suspeitos foi descrito por pessoas próximas como adolescentes rejeitados que gostavam de ouvir heavy metal. Damien Echols ganhou atenção maior após a revelação de que tinha interesse em ocultismo e paganismo, além de ser um apreciador dos livros do renomado autor Stephen King.

Na época do crime, os Estados Unidos também vivenciavam o chamado “Satanic Panic” – ou “Pânico Satânico”, em tradução direta –, uma crença de que os cultos satânicos eram reais e uma possível ameaça ao país.

Os três acusados do caso de West Menphis, já presos

Condenação e inocência

O trio acabou condenado pelos assassinatos dos garotos. Jason Baldwin e Jessie Misskelley teriam de cumprir prisão perpétua, enquanto Damien Echols foi sentenciado à morte.

No entanto, tudo mudou em 2007, quando novas provas de DNA colocaram dúvidas no envolvimento do trio na morte dos garotos. Em 2011, o caso passou por um novo julgamento. Os três adolescentes, obviamente já adultos, foram inocentados e soltos.

Acredita-se que o estilo de vida alternativo do trio aliado à crença do “Pânico Satânico” e o fato de morarem em uma região dominada pelo conservadorismo religioso motivaram suas sentenças originais – mesmo após a investigação do crime ter sido bastante criticada na época.

O julgamento do trio foi retratado em um documentário chamado “Paradise Lost: The Child Murders at Robin Hood Hills” (no Brasil, “O Paraíso Perdido: Assassinatos de Crianças em Robin Hood Hills”), produzido e lançado pelo canal HBO em 1996. Duas sequências foram lançadas em 2000 e 2011, respectivamente.

Ligação com Eddie Munson e Hellfire Club

Em “Stranger Things”, Eddie Munson é um jovem desprezado pela sociedade, traficante de drogas e líder do próprio Hellfire Club, um grupo de fãs do popular RPG “Dungeons & Dragons” (“D&D”). No primeiro episódio da 4ª temporada, o personagem zomba dos rumores de que o jogo leva pessoas ao satanismo e as influenciam até mesmo a cometer assassinatos.

Apesar de tudo que dissemos acima, quem assistiu aos novos episódios do seriado viu que Eddie era uma pessoa de bom coração. No entanto, as coisas começam a ficar complicadas para o personagem. Afinal, ele é acusado de ter matado Chrissy Cunningham, que foi a primeira vítima do vilão Vecna.

Já deu pra notar uma grande semelhança com os assassinatos de West Memphis, não é mesmo? Não à toa, Eddie Munson foi inspirado no que aconteceu com o próprio Damien Echols.

Confirmações

Em uma publicação no Twitter, a Netflix já havia confirmado a inspiração por trás da criação de Eddie Munson.

Em entrevista à própria página da Netflix, os irmãos Duffer, criadores do seriado, confirmaram que tanto o documentário sobre o crime quanto a crença do “Pânico Satânico” contribuíram para o surgimento de Eddie. Ross Duffer afirmou o seguinte.

“Realmente queríamos explorar o pânico satânico neste novo ano (da série). Isso nos levou até o documentário ‘O Paraíso Perdido’ sobre ‘Os Três de West Memphis’ e a Damien Echols. Queríamos um personagem que fosse metalhead, que gostasse de ‘Dungeons & Dragons’, que fosse um nerd de coração. Mas que sob outro ponto de vista, pensassem: ‘ele é alguém assustador’. Foi a partir daí que a ideia para criar Eddie surgiu.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
35
Share