Por que fãs do Pink Floyd não curtem tanto “Animals”, segundo Nick Mason

Baterista também não descarta influência do punk pela época em que o álbum foi feito e sonoridade mais simples apresentada

O trabalho do Pink Floyd durante a década de 1970 é considerado como clássico pelos fãs, mas muitas vezes um desses álbuns acaba deixado de lado. Na opinião do baterista Nick Mason, é isso que acontece com “Animals” (1977), um clássico que acaba ofuscado por outros, como “The Dark Side of the Moon” (1973), “Wish You Were Here” (1975) e “The Wall” (1979).

Em conversa com o Consequence, Mason afirma gostar do álbum, mas sente que os fãs acabam por lembrar de outros lançamentos antes de chegar a ele. Para o músico, a “culpa” de tal distanciamento pode estar no conteúdo lírico mais complexo, parcialmente baseado no livro “Revolução dos Bichos” (George Orwell) e contado da perspectiva de Roger Waters.

- Advertisement -

Ele diz:

“Eu acho que liricamente é um pouco mais complicado, em termos do que Roger está dizendo nele, enquanto algo como ‘Dark Side…’ é muito mais claro, o mesmo com ‘Wish You Were Here’. Então talvez seja parte disso.”

Nick Mason também vê o disco como ligeiramente influenciado pelo punk, já que foi lançado no ano de ouro do gênero. Segundo o baterista, isso pode ser visto na estrutura mais simples das músicas, em comparação com a grandiosidade prog que o Pink Floyd vinha apresentando até então.

Leia também:  A dura crítica que Mike Dirnt (Green Day) fez ao Blink-182

Contudo, se isso aconteceu, foi de forma inconsciente.

“Foi lançado em um período onde havia muitos outros tipos de música acontecendo, todas as outras formas. A grande questão é se o punk teve alguma influência ou não, e de certa forma eu sugeriria que teve, porque é um pouco mais simples, em algumas formas, do que outras coisas. Talvez nós não quiséssemos estar nesse negócio todo do prog rock se tornando tão grandioso – apesar de nunca termos tido uma conversa da qual eu fiz parte ou me lembro sobre se o punk foi uma influência ou deve ser considerado quando estávamos fazendo o disco.”

A entrevista de Nick Mason teve o intuito de divulgar a nova edição remixada de “Animals”. A obra está liberada novamente em CD, LP, SACD e Blu-ray. A exceção é a versão deluxe, que sai apenas em 7 de outubro. Será a primeira vez que o trabalho estará disponível na tecnologia 5.1 Surround Sound.

Leia também:  Quando The Doors foi acusado de plágio pelo The Kinks e pagou por “inspiração”

Pink Floyd e “Animals”

Disponibilizado em 23 de janeiro de 1977, “Animals” foi o 10º trabalho de estúdio do Pink Floyd. É conceitual, inspirado (não baseado) na obra “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell.

As letras fazem críticas à situação social, política e econômica do Reino Unido à época. A violência racial, altos índices de desemprego e inflação são abordados.

A ideia de Roger Waters para a capa foi desenvolvida em conjunto com Storm Thorgerson e a agência Hipgnosis. Tornou-se presença marcante nos shows da banda e de seu líder em carreira solo.

Foi o único álbum completamente gravado no Britannia Row Studios, construído pela própria banda. Chegou ao 2º lugar na parada britânica e 3º nos Estados Unidos, vendendo cerca de 12 milhões de cópias em todo o planeta.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesPor que fãs do Pink Floyd não curtem tanto “Animals”, segundo Nick...
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes
André Luiz Fernandes é jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Interessado em música desde a infância, teve um blog sobre discos de hard rock/metal antes da graduação e é considerado o melhor baixista do prédio onde mora. Tem passagens por Ei Nerd e Estadão.

4 COMENTÁRIOS

  1. Tá loko meu! Uma das melhores obras do Pink Floyd…foi com esse album que conheci a banda e me tornei fã absoluto da maior banda prog de todos os tempos!!!

  2. Ele está totalmente errado…os fãs gostam muito. Ele em nada perde para os outros álbuns. Mesmo tendo sido lançado em 1977, há 45 anos, permanece relevante, e diz muito sobre o mundo atual.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades