Cantora é demitida do musical “Tina” após participação com os Rolling Stones

Chanel Haynes foi avisada de que estaria até mesmo impedida de adentrar teatros onde obra em tributo a Tina Turner estivesse sendo performada

A cantora e atriz Chanel Haynes participou do show dos Rolling Stones no estádio San Siro, em Milão, Itália, no último dia 21 de junho. Ela subiu ao palco com a banda e interpretou o clássico “Gimme Shelter”. O momento que poderia ser memorável de forma positiva se transformou em um problema para a artista. Tudo porque ela acabou sendo demitida do musical “Tina”, onde interpretava a figura celebrada, Tina Turner.

O motivo se configurou em uma justa causa quando a artista faltou a uma sessão do espetáculo para participar do concerto da banda inglesa. Com isso, Chanel foi avisada pela produtora West End em correspondência oficial que estaria até mesmo impedida de adentrar teatros onde a obra estivesse sendo performada.

Ciente do risco que corria, Haynes não quis entrar em detalhes sobre como a situação poderia ter sido solucionada ao falar com a Rolling Stone. Porém, deixou nas entrelinhas que sua ausência em uma apresentação poderia ter sido resolvida – mesmo se tratando da figura principal da dramatização.

“Em se tratando da West End, a falta de alguém nunca foi suficiente para causar algum contratempo que levasse ao cancelamento de uma apresentação. Tanto que foi o que aconteceu, a peça foi realizada no mesmo dia que o show dos Stones.”

Completamente vetada

O lamento maior foi não poder ter se despedido das crianças que fazem parte do cast, além de a família e amigos não poderem assistir sua performance quando o musical encerrar a temporada europeia em Londres. Especialmente uma pessoa não especificada, sobrevivente de abuso doméstico que ajudou Chanel a interpretar o papel de Tina com maior veracidade.

“Esta é minha maior decepção. Ela era minha musa, a pessoa que me inspirou a partir de sua perspectiva.”

Saldo positivo para Chanel Haynes

Mesmo assim, a cantora considera que o saldo foi positivo. O convite para interpretar a canção do álbum “Let It Bleed” (1969) veio quando a backing vocal Sasha Allen não pôde participar da apresentação. Conhecidos de ambas as partes intermediaram o contato. Não houve nem tempo para um ensaio apropriado, apenas uma passagem rápida nos bastidores, o que a fez procurar performances da banda com Sasha, além de Lisa Fischer, Florence Welch, Mary J. Blige e Lady Gaga.

“Queria estudar as similaridades e diferenças de cada interpretação. Será que deveria fazer como Merry Clayton na versão original? Quando chego ao estádio, Steve Jordan (atual baterista dos Stones) me cumprimenta e entrega um celular. Era a própria Merry do outro lado. Ela disse que eu deveria fazer do meu jeito, sem tentar imitar. Depois, Keith Richards falou a mesma coisa. Quase choro ao lembrar.”

Após a performance, Chanel não conseguiu conversar com nenhum dos Stones. Porém, recebeu flores e uma carta de agradecimento assinada pelos músicos.

Rolling Stones e “Sixty”

Os Rolling Stones seguem viajando pela Europa com a “Sixty”, turnê que celebra seus 60 anos de carreira. Ela se encerra em 31 de julho, com um show em Estocolmo, Suécia.

Rumores apontam para uma passagem pela América do Sul no final do ano. Porém, nada está confirmado até o momento.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
9
Share