O filme que quase fez Martin Scorsese abandonar carreira como cineasta

Diretor revelou que se tivesse de gravar novos longas da mesma maneira que o título em questão, não gostaria de continuar no ramo

“Gangues de Nova York” (2002) é um dos vários filmes de renome de Martin Scorsese. No entanto, o longa quase fez o diretor desistir de seguir com sua brilhante e renomada carreira nas telonas.

Scorsese fez a revelação em entrevista para a revista GQ. O cineasta explicou que se sentiu criativamente “estrangulado” com o longa e que teve alguns desentendimentos com o ex-produtor Harvey Weinstein — futuramente condenado a vários anos de prisão por abuso sexual — por conta da duração e o orçamento de “Gangues de Nova York”.

- Advertisement -

Por um momento, o diretor tomou a decisão de abandonar o ramo.

“Eu percebi que não conseguiria mais trabalhar se tivesse de fazer isso desta maneira novamente. Se essa fosse a única forma que me permitisse continuar gravando filmes, então eu teria parado. Por que os resultados não seriam satisfatórios. Algumas vezes, era extremamente difícil e não sobreviveria a isso. Eu estaria morto. E até decidi que tinha acabado, de verdade.”

Se não bastasse a experiência ruim, Scorsese teve de trabalhar com Weinstein novamente em “O Aviador” (2004). O cineasta revelou que neste longa, as coisas foram mais tranquilas, mas que ainda teve um desentendimento com o produtor nos momentos finais da edição.

“Eu fui contra isso (trabalhar novamente com Weinstein). Houve uma reunião e fui forçado a assumir o posto (de diretor). Já tinham me deixado ‘grávido’, como me disseram. E não havia como fugir disso. Mas as gravações foram boas e a edição estava tranquila até as semanas finais. Eles apareceram e fizeram algumas coisas que considerei extremamente maldosas.”

Leia também:  Paul McCartney faria turnê só com músicas novas ou lados B? Ele responde

No caso, Scorsese mencionou um corte de meio milhão de dólares que a Miramax, produtora de Weinstein, fez no orçamento de “O Aviador”. O diretor foi forçado a tirar esse dinheiro do próprio bolso para finalizar o filme da maneira que desejava.

Martin Scorsese e Warner Bros

Foi apenas no seu trabalho seguinte, “Os Infiltrados” (2006), que Martin Scorsese decidiu que nunca mais trabalharia junto com a Warner Bros, que fez distribuição tanto deste longa quanto de “O Aviador”. O estúdio queria dar um início a uma franquia, algo que o cineasta rejeitou.

“Eu não consigo nunca mais trabalhar aqui.”

De fato, os filmes seguintes de Martin Scorsese, como “Ilha do Medo”, “O Lobo de Wall Street” e “O Irlandês” foram produzidos por outros estúdios, como Paramount e Netflix.

Já seu próximo longa, “Assassinos da Lua das Flores” (“Killers of the Flower Moon”), é uma parceria entre Apple e Paramount. Será lançado para o Apple TV+ em 20 de outubro.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesO filme que quase fez Martin Scorsese abandonar carreira como cineasta
Augusto Ikeda
Augusto Ikedahttp://www.igormiranda.com.br
Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no mercado desde 2013 e já realizou trabalhos como assessor de imprensa, redator, repórter web e analista de marketing. É fã de esportes, tecnologia, música e cultura pop, mas sempre aberto a adquirir qualquer tipo de conhecimento.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades