Quando o Led Zeppelin complicou a vida dos Stones, segundo Charlie Watts

Opinião está na biografia oficial póstuma do músico, lançada na última terça-feira (11) no exterior

O Led Zeppelin revolucionou vários aspectos do rock em sua existência de pouco mais de uma década. Além de incorporar sonoridades “fora da caixa” em sua discografia, o grupo elevou as performances ao vivo a outro patamar, com uma série de jams e experimentações, sem se contentar em reproduzir o que gravava nos discos.

Mas nem todos ficaram satisfeitos com a nova realidade. Em sua biografia oficial póstuma “Charlie’s Good Tonight”, o baterista Charlie Watts comentou os desafios que os Rolling Stones precisaram enfrentar para mudar como atração de palcos. O trecho foi obtido e publicado pela Billboard.

- Advertisement -

Leia a seguir.

Led Zeppelin complica vida dos Rolling Stones

“Eu culpo o Led Zeppelin pelos shows de 2 horas de duração. Anteriormente tocávamos 20 minutos, todos os hits e íamos embora. Passamos de shows em clubes que são dois sets por noite, o que era muito divertido, para duas horas de palco graças ao Led Zeppelin. Se você é Jimmy Page, você pode fazer isso, com o solo de bateria de 20 minutos de Bonham. No nosso caso era uma coisa diferente. Eu não gosto de fazer solos de bateria, ponto final. Eu não ouço coisas assim.

Quando o Zep, como os chamamos, costumava fazer isso, era um trabalho duro fisicamente, porque os monitores não eram tão bons e o volume muito alto para um baterista. Hoje o equipamento de som é tão sofisticado. A coisa mais difícil nesses grandes palcos é ser ouvido. Agora tudo é feito virtualmente. A amplificação está lá, então eu apenas toco naturalmente, no volume que eu sinto vontade de tocar, nesta pequena gaiola em que moro. Os técnicos se encarregam de ajustar o volume.”

Charlie Watts
Leia também:  A melhor parceria que o Sepultura fez até hoje, segundo Andreas Kisser

A biografia de Charlie Watts

“Charlie’s Good Tonight: The Authorized Biography of Charlie Watts” tem prefácios escritos por Mick Jagger e Keith Richards, além de um prelúdio de Andrew Loog Oldham, ex-manager e produtor dos Rolling Stones. O livro foi escrito pelo jornalista Paul Sexton, que entrevistou a banda diversas vezes no período dos últimos 30 anos. O lançamento ocorreu na última terça-feira (11).

Watts morreu em 24 de agosto de 2021, após ter passado por uma série de problemas cardíacos. Os Stones seguem na estrada com Steve Jordan tendo assumido as baquetas.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesQuando o Led Zeppelin complicou a vida dos Stones, segundo Charlie Watts
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades