Foto: divulgação

Accept lança o álbum ‘Too Mean to Die’, primeiro sem Peter Baltes; ouça

O Accept lançou seu 16° álbum de estúdio nesta sexta-feira (29). Intitulado ‘Too Mean to Die’, o disco chega a público por meio da Nuclear Blast, com edição nacional via Shinigami Records.

O Accept lançou seu 16° álbum de estúdio nesta sexta-feira (29). Intitulado ‘Too Mean to Die’, o disco chega a público por meio da Nuclear Blast, com edição nacional via Shinigami Records.

O trabalho seria liberado no último dia 15 de janeiro. Entretanto, a data de lançamento precisou ser adiada em duas semanas devido a atrasos na fabricação do material físico, causados pela pandemia do novo coronavírus.

O ponto que mais chama atenção em ‘Too Mean to Die’ é a ausência do baixista Peter Baltes, que deixou o Accept em 2019. Trata-se do primeiro álbum da banda sem o músico, um dos fundadores do projeto, ainda em 1976.

A vaga deixada por Baltes foi ocupada por Martin Motnik, que estreia neste trabalho, assim como o guitarrista rítmico Philip Shouse – sim, agora o Accept é um sexteto, completo por Wolf Hoffmann e Uwe Lulis nas guitarras, Mark Tornillo no vocal e Christopher Williams na bateria.

O novo disco também é, automaticamente, o primeiro do Accept a contar apenas com o Hoffmann como integrante original ou das formações clássicas, dos anos 80. A produção do material é assinada por Andy Sneap, que também atuou nos últimos três álbuns da banda: ‘Stalingrad’ (2012), ‘Blind Rage’ (2014) e ‘The Rise of Chaos’ (2017).

As mudanças na formação não provocaram grandes alterações na sonoridade do Accept. Nos últimos anos, a banda encontrou estabilidade na parceria entre Wolf Hoffmann e Mark Tornillo, mediada pela produção de Andy Sneap.

Dessa forma, musicalmente falando, ‘Too Mean to Die’ não é tão diferente de seus antecessores. Em alguns momentos, soa mais inspirado. Em outros, nem tanto.

A pegada segue calcada no heavy metal clássico, com fortes doses de hard rock e a inevitável influência do AC/DC. As letras bobas seguem sendo compensadas pelos riffs de impacto. Canções interessantes e fillers confessos se entrelaçam em um um disco que não tem o mesmo impacto de ‘Balls to the Wall’ (1983) ou ‘Blood of the Nations’ (2010), mas que cumpre seu papel.

Sem surpresas – do jeito que o fã gosta.

Ouça ‘Too Mean to Die’ a seguir, via Spotify.

Accept – ‘Too Mean to Die’

01. Zombie Apocalypse
02. Too Mean To Die
03. Overnight Sensation
04. No Ones Master
05. The Undertaker
06. Sucks To Be You
07. Symphony Of Pain
08. The Best Is Yet To Come
09. How Do We Sleep
10. Not My Problem
11. Samson And Delilah

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share