Os 3 melhores solos de guitarra da história, segundo Slash

Curiosamente, apenas uma das escolhas pode ser considerada um tanto quanto óbvia para o ouvinte comum

Slash foi responsável por alguns dos solos de guitarra mais “cantaroláveis” das últimas décadas, especialmente nos primeiros álbuns do Guns N’ Roses. Alguns questionam sua técnica, mas é inegável que ele sabe como fazer passagens marcantes, embora nem sempre elaboradas – o que só aumenta seu mérito.

­

- Advertisement -

Em entrevista de 2019, à revista francesa L’Obs, o homem da cartola e da Les Paul foi convidado a escolher seus três exemplares preferidos no tema. O próprio reconheceu ser uma tarefa complicada, mas indicou alguns fora do habitual.

Conforme transcrição do Far Out Magazine, ele começou dizendo:

“Esta é uma pergunta difícil porque não há um solo que se destaque para mim como sendo o mais essencial de todos os tempos. Há muitos realmente importantes, mas um dos que realmente me inspirou foi o de uma música chamada ‘Blinded by the Light’, feita por Manfred Mann. Há um solo nela que é realmente épico em seu arranjo, na maneira como entrou na música. Isso seria algo que muitas pessoas provavelmente não esperariam.”

A versão original de “Blinded by the Light” foi escrita por Bruce Springsteen e marcou presença em seu álbum de estreia, “Greetings from Asbury Park, N.J.” (1973). A regravação da Manfred Mann’s Earth Band saiu quatro anos depois, chegando ao topo da parada nos Estados Unidos.

Leia também:  As melhores músicas de todos os tempos na opinião de Dave Grohl

Para sua segunda seleção, Slash nomeou “Baker Street”, composição de 1978 do escocês Gerry Rafferty.

“Este é outro solo épico dos anos 70 como parte de um grande arranjo musical. Curiosamente, nesses dois não sei quem eram os guitarristas nem nada.”

Vamos ajudar: na primeira foi Dave Flett, na segunda Hugh Burns.

Para completar, uma escolha mais óbvia: “Whole Lotta Love”, do Led Zeppelin.

“Fecho com ‘Whole Lotta Love’, do Led Zeppelin. Uma das melhores coisas sobre a forma de tocar de Jimmy Page é que ele encaixava seu estilo, pelo menos no disco, dentro do contexto da música. Não era apenas um solo de guitarra. Lembro de escutá-la aos 7 anos de idade. Atribuí aquele som – que achei ser o mais legal que já ouvi naquela época da minha vida – à Les Paul…Eu sabia que era uma Les Paul fazendo aqueles timbres de guitarra porque vi fotos de Jimmy Page segurando uma – então foi isso que me fez a associar com esse tipo de som.”

Slash no Brasil

Recentemente, Slash anunciou 4 shows no Brasil com o Myles Kennedy & The Conspirators para o ano que vem. As apresentações fazem parte da recém-anunciada “The River Is Rising – Rest of the World Tour ’24”. Eis as datas e locais:

  • 29/01 Belo Horizonte, Arena Hall
  • 31/01 São Paulo, Espaço Unimed
  • 01/02 Rio de Janeiro, Qualistage
  • 04/02 Porto Alegre, Pepsi on Stage
Leia também:  Quando “Roots”, do Sepultura, fez Dave Grohl perder US$ 50 mil

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioListasOs 3 melhores solos de guitarra da história, segundo Slash
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

3 COMENTÁRIOS

  1. Ninguém tem o direito de escrachar qualquer tipo de manifestação musical…existem vários gêneros para todos os gostos e opiniões sobre quem viveu a época de grandes nomes do rock internacional é muito mais assertivo !

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades