As “férias sexuais” de Billy Idol que acabaram com visita do exército

Cantor foi para a Tailândia em 1989 com o intuito de "se divertir muito", mas enfrentou problemas após uso de heroína

Ao longo dos anos 1980, Billy Idol vivenciou um verdadeiro sucesso. Depois do lançamento do segundo álbum de estúdio solo, “Rebel Yell” (1983), o cantor viu a carreira decolar. Em compensação, a vida pessoal, sobretudo amorosa, ia de mal a pior. 

Por isso, devido à crise no relacionamento com Perri Lister e ao esgotamento físico, em 1989, decidiu tirar “férias sexuais” na Tailândia. Como contou à Classic Rock, o plano era sair de Los Angeles junto do amigo Harry Johnson, respirar novos ares e curtir sem limites.

“Fomos para lá para nos divertirmos muito, eram férias para sexo, na verdade. Mas as coisas saíram do controle. Coisas ruins começaram a acontecer.”

- Advertisement -

A ideia não rolou como o planejado. Segundo o artista, o passeio inicialmente não envolvia qualquer droga ilícita, apenas álcool. Mas, com o passar dos dias, tanto ele quanto o colega ficaram cansados das bebidas e optaram por procurar outras substâncias.

“Perguntamos a um taxista se ele poderia nos trazer cocaína. Ele saiu e voltou com um frasco fino, com seis ou sete centímetros de comprimento. Nós nos olhamos e tentamos adivinhar o que era aquilo, porque cocaína não costuma vir em um frasco longo como aquele.”

Na verdade, o pó era heroína. Então, para consumi-la, Billy e Harry andaram pelos mercados de Bangkok, capital do país, procurando por papel alumínio. Já que não encontraram, conforme o artista, utilizaram as embalagens das barras de chocolate oferecidas no hotel.

“Essa coisa era tão forte e viciante que precisamos esperar passar o efeito antes de voltar para casa. É um voo de catorze horas e não tem como você fazer isso chapado de heroína. Fomos a uma farmácia e conseguimos vários calmantes para que apagássemos até voltarmos ao nosso estado normal.”

Leia também:  O surpreendente álbum que fez Fernanda Lira se apaixonar por rock

Do exagero ao exército

Billy Idol acabou exagerando na quantidade de remédios. Dessa forma, enfrentou problemas na hora de deixar o local.

Isso porque ele mostrou-se agressivo, precisando até do exército tailandês para tranquilizá-lo – que o fez por meio de um dardo sedativo:

“Tínhamos muito Diazepam e calmantes pesados. Eu não me dou bem com calmantes. Isso só me fez mudar completamente de personalidade. Eu ficava violento e começava a quebrar coisas. Passamos por alguns hotéis comigo assim antes que o exército tailandês me escoltasse para fora do país em uma maca.”

Sobre Billy Idol

Nascido em Stanmore, região da grande Londres, William Michael Albert Broad morou entre Estados Unidos e Inglaterra na infância. Aos 21 anos, já de volta à terra natal, se juntou ao Bromley Contingent, grupo de fãs que seguia os Sex Pistols pelo país.

Ainda em 1976 se juntou ao Chelsea como guitarrista. Após algumas semanas, saiu com o baixista Tony James. A dupla fundou o Generation X, com Billy (já Idol) assumindo os vocais. O grupo lançou 3 discos e foi um dos primeiros da cena punk a alcançar o mainstream local.

Retornou a Nova York em 1981, se lançando como artista solo sob a batuta de Bill Aucoin, empresário do Kiss. Até hoje vendeu mais de 40 milhões de discos em todo o mundo.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesAs “férias sexuais” de Billy Idol que acabaram com visita do exército
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades