Paul McCartney reforça que John Lennon foi o responsável pelo fim dos Beatles

“Não instiguei a separação. Foi John quem chegou um dia e falou: ‘estou fora’”, diz músico em recente entrevista

Apesar de ter sido quem anunciou o rompimento e acionou advogados publicamente para resolver os trâmites legais, Paul McCartney garantiu que seu maior parceiro, John Lennon, foi o responsável verdadeiro pelo fim dos Beatles. A revelação foi feita em entrevista à BBC Radio 4.

“Não instiguei a separação. Foi John quem chegou um dia e falou: ‘estou fora’.”

Mais de cinco décadas depois, o músico reforça que não tomaria tal decisão pois via a banda como sua vida.

“Era minha banda, meu trabalho, minha vida. Claro que queria continuar. Ainda fazíamos muita música boa. Mas ele simplesmente avisou que sairia. Se isso não é criar o caminho para o encerramento, não sei mais o que é.”

Ainda durante o bate-papo, Paul McCartney destacou que a confusão relacionada a quem teria causado o fim dos Beatles aumentou devido ao então novo empresário, Allen Klein. O músico era o único dos quatro integrantes que se recusava a se alinhar com o manager.

“Por alguns meses fingimos que nada estava acontecendo. Foi estranho, sabíamos que a festa tinha acabado, mas não dava para ir embora ainda. Acabei sendo quem deu a notícia ao mundo simplesmente por estar de saco cheio de ter que esconder. Assim, precisei viver com o que as pessoas me viram fazer. Só podia me defender dizendo que não era culpa minha.”

Como Paul ainda processou os Beatles enquanto empresa, para garantir o encerramento das atividades, a imagem de que ele foi o causador do rompimento da banda permaneceu. Porém, em sua visão, não seria possível trabalhar em relançamentos e outros projetos relacionado à “marca Beatles” – como o novo filme “The Beatles: Get Back“, com direção de Peter Jackson – sem essa ação judicial.

“Tive que lutar e a única maneira era processar os outros integrantes, pois eles estavam indo com Klein. E eles me agradeceram por isso anos depois. Mas não fui eu quem instiguei a separação.”

Yoko Ono causou o fim dos Beatles?

Em outras entrevistas, Paul McCartney fez questão de absolver Yoko Ono, embora muitos fãs ainda a vejam como a grande vilã da história. Porém, à BBC Radio 4, o baixista e vocalista deixou claro que, mesmo não tendo atuado diretamente, a artista foi o motivo que levou John Lennon a tomar a decisão.

“John queria construir uma nova vida ao lado de Yoko. Tinha o objetivo de meio que se libertar das regras da sociedade repressiva em que foi criado por sua tia Mimi. Sempre estava tentando romper barreiras. O próprio fim do grupo foi uma maneira de declarar independência enquanto nós, os outros membros, ficaríamos para juntar os cacos.”

Tese reforçada no passado

A tese de que John Lennon foi o responsável pela decisão de encerrar os Beatles foi reforçada por Paul McCartney em outros momentos ao longo de sua carreira. Em 2018, por exemplo, ao conceder entrevista ao programa de rádio de Howard Stern, ele declarou:

“Eu sei quem acabou com os Beatles, foi John. Não acho que ninguém tentou apontar o dedo para ninguém, mas foi dessa forma. Foi feita uma reunião em que John disse: ‘ei, pessoal, estou saindo da banda’.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
1
Share