10 álbuns lançados em fevereiro de 2021 que merecem a sua atenção

Na lista a seguir, apresento 10 álbuns de rock e metal lançados em fevereiro de 2021 que chamaram a minha atenção – e que merecem ser ouvidos por você. Há “medalhões” do segmento, bandas de destaque nos últimos anos e até mesmo artistas dos quais eu nunca ouvi falar até pouco tempo atrás.

Na lista a seguir, apresento 10 álbuns de rock e metal lançados em fevereiro de 2021 que chamaram a minha atenção – e que merecem ser ouvidos por você.

Em meio aos destaques, há os típicos “medalhões”, como Foo Fighters e Alice Cooper, além de bandas que já têm se destacado nos últimos tempos, como Inglorious e Architects, e nomes que eu nunca tinha ouvido falar até poucos dias atrás, como Jax Hollow e Joyann Parker.

Todos, porém, preservam o mesmo padrão de qualidade e são dignos de nota. Confira a seguir!

Antes, não se esqueça de seguir minha playlist de lançamentos, que já trouxe músicas de todos esses discos citados em diferentes momentos do mês. A playlist é atualizada sempre às sextas-feiras.

E, depois, não deixe de visitar os artigos a seguir:

Álbuns de destaque em fevereiro de 2021

Inglorious – “We Will Ride

O Inglorious precisou perder três de seus cinco integrantes para lançar seu álbum mais ousado e, por que não, de maior qualidade até agora.

“We Will Ride” mostra o quinteto britânico, agora com um baixista brasileiro (Vinnie Colla), ultrapassando as referências do hard rock setentista, soando mais pesado, experimental e consistente.

Foo Fighters – “Medicine at Midnight

O Foo Fighters decidiu fazer seu álbum mais dançante até aqui – e conseguiu, embora esse não seja o principal mérito “Medicine at Midnight”.

O repertório apresentado décimo álbum da banda de Dave Grohl é envolvente o bastante para funcionar tanto em uma boate quanto em uma arena lotada. É algo que falta um pouco no rock contemporâneo.

Joyann Parker – “Out of the Dark

Essa foi uma daquelas descobertas aleatórias que me fazem ter uma gratidão eterna pela internet: “Out of the Dark”, segundo álbum da cantora e guitarrista americana Joyann Parker.

O blues rock é o fio condutor, mas ela traz referências de R&B, soul e música raiz americana com muita classe. As composições são acima da média e a voz de Joyann é de arrepiar.

DeWolff – “Wolffpack

O nono álbum de estúdio desse trio holandês nasceu de um projeto inusitado: um serviço de assinatura onde fãs/clientes ganhariam três músicas novas a cada 15 dias durante dez semanas.

Parte do material resultado dessa estratégia curiosa está em “Wolffpack“, que soa menos hard rock retrô e mais soul rock que os antecessores. A dinâmica da banda continua azeitada, mas não há como não destacar os vocais suaves e delicados de Pablo van de Poel, que caíram muito bem nessa configuração.

Alice Cooper – “Detroit Stories

Ainda que não tenha me convencido por completo, “Detroit Stories” é um bom álbum e traz, especialmente em sua primeira metade, ótimas músicas por parte de Alice Cooper.

Trata-se de um disco menos elaborado e mais direto, talvez até por seu conceito: homenagear a cena rock de Detroit, que concebeu bandas importantes do proto-punk e de outras ramificações “pauleiras” do segmento.

The Nova Hawks — “Redemption”

Uma das apostas mais diferentes da gravadora Frontiers Music Srl, especializada em hard rock, é o The Nova Hawks, duo britânico de blues rock formado por Heather Leoni no vocal e Rex Roulette nas guitarras.

“Redemption”, álbum de estreia do projeto, mostra por que o selo italiano fez bem em colocar suas fichas na dupla: as canções são envolventes, muito pela boa dinâmica entre voz e guitarra.

Jax Hollow — “Underdog Anthems”

E por falar em álbum de estreia de blues rock, a cantora e guitarrista americana Jax Hollow chegou com o pé direito em “Underdog Anthems”.

Com o famoso Michael Wagener na produção, o disco é curtinho (dura 25 minutos), mas deixa uma excelente impressão, seja pela versatilidade do repertório – que vai da Americana ao hard rock num passe de mágica – ou pela boa performance de todas as musicistas envolvidas.

The Pretty Reckless – “Death By Rock and Roll

Em seu quarto álbum de estúdio, o The Pretty Reckless apostou em uma sonoridade mais orientada ao rock da década de 1990.

“Death By Rock and Roll” ainda não soa como o trabalho definitivo da banda liderada por Taylor Momsen, mas evidencia pontos de maturidade que eles já vinham evidenciando desde o bluesyu “Who You Selling For”. Vale a pena conferir, especialmente, pelos destaques isolados no início e no fim da tracklist.

Architects – “For Those That Wish To Exist

O rótulo “metalcore” é pequeno demais para o Architects e “For Those That Wish To Exist”, nono álbum dessa banda britânica, comprova isso.

O som dos caras já vinha ganhando identidade nos últimos trabalhos, porém, agora, eles apresentaram um tom expansivo, quase experimental e certamente refrescante. Um disco necessário para o metal nos dias de hoje.

Lizzard – “Eroded”

Uma grata descoberta do último mês foi “Eroded”, quinto álbum desse trio francês que apresenta uma mescla entre metal progressivo e alternativo de muito bom gosto.

A bateria de Katy Elwell é o grande destaque por aqui, mas toda a banda manda muito bem, apostando em uma abordagem técnica para músicas bem concebidas.

Bônus: 10 singles de destaque lançados em fevereiro de 2021

Mammoth WVH – “You’re to Blame

Myles Kennedy – “In Stride

Greta Van Fleet – “Heat Above

The Vintage Caravan – “Whispers”

Smith/Kotzen – “Scars

Noora Louhimo Experience – “Eternal Wheel of Time and Space”

Icon of Sin – “Shadow Dancer (banda brasileira com Raphael Mendes, vocalista conhecido no YouTube por imitar Bruce Dickinson, do Iron Maiden)

Gojira – “Born for One Thing

Black Paisley – “Damned”

Heavy Feather – “Sometimes I Feel”

Não deixe de conferir:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
0
Share