10 bandas de rock para ficar de olho em 2021 (artigo + playlist)

Na falta de grandes nomes no mainstream, aquele velho papo de que o rock morreu insiste em voltar a todo momento. A lista a seguir, que reúne 10 bandas de rock para ficar atento em 2021, mostra, novamente, que não dá para confiar nessa máxima.

Na falta de grandes nomes novos no mainstream, aquele velho papo de que o rock morreu insiste em voltar a todo momento. A lista a seguir, que reúne 10 jovens bandas de rock para ficar atento em 2021, mostra, novamente, que não dá para confiar nessa máxima.

Reuni bandas de rock e artistas solo que têm pouco material lançado e que, ao que tudo indica, vão lançar álbuns em 2021. Alguns deles ainda nem têm discos liberados – apenas EPs e singles.

Além do artigo em si, fiz uma playlist para embalar sua leitura com uma música de cada artista ou banda citado. Siga, dê o play e descubra.

Depois, não deixe de conferir:

10 jovens bandas de rock para ficar de olho em 2021

1) Joyous Wolf

Como muitas outras da atualidade, essa banda de Los Angeles surgiu na internet fazendo covers. Depois, lançaram um álbum de músicas autorais, ‘Place in Time’ (2019), apresentando um hard rock que mescla o clássico e, especialmente pelos vocais, o contemporâneo.

O disco é curtinho, praticamente um EP, o que criou expectativa para o lançamento de novos materiais. A música ‘Odyssey’, já liberada no streaming neste ano, indica que devemos ter outras novidades do Joyous Wolf em 2021.

2) Mammoth WVH

Foto: Travis Shinn / divulgação

O que esperar do “filho do homem”? Wolfgang Van Halen, filho de Eddie Van Halen e baixista do Van Halen nos últimos 13 anos, anunciou que vai lançar seu primeiro álbum solo em 2021. Ele até adotou o nome da primeira banda do pai, Mammoth, junto da sigla WVH.

Ainda sem data para sair, o álbum será lançado em 2021 pela Explorer1 Music Group e está cercado de expectativa. O primeiro single, ‘Distance‘, foi divulgado logo após a morte de Eddie, como uma homenagem ao lendário músico. Deixando a emoção de lado, a faixa indica forte influência de bandas que flertam com o post-grunge, como Black Stone Cherry e Alter Bridge – cujos músicos são amigos de Wolfie, aliás.

3) Julian Frampton Band

E por falar em referências familiares… Julian Frampton, filho do grande Peter Frampton, mostrou que tem muito a oferecer nas primeiras faixas lançadas com sua banda, a Julian Frampton Band. O projeto liberou o ótimo EP ‘EPisode 1’ em 2020 e promete divulgar mais músicas no ano que vem.

O som de Julian e seus colegas é difícil de ser definido. Traz influência do blues rock, mas tem um quê contemporâneo e um cuidado com os ganchos melódicos difícil de se encontrar por aí. Promissor.

4) Black Pantera

E vamos de Brasil: essa ótima banda mineira que mescla thrash metal, hardcore, groove metal e outras sonoridades de peso vem se destacando no underground há algum tempo. Lançaram dois álbuns nos últimos anos e chamaram atenção da gravadora Deckdisc, que resolveu apostar.

Desde então, o trio, que carrega forte mensagem social em suas letras, lançou a música ‘I Can’t Breathe’, em menção ao assassinato de George Floyd nos Estados Unidos, e o EP ‘Capítulo Negro‘, com três covers. O novo álbum sai pela Deck em 2021 e deve evidenciar ainda mais o bom trabalho dos caras.

5) Jared James Nichols

Superstar do Instagram, o guitarrista e vocalista Jared James Nichols tem se destacado pela forma peculiar como toca seu blues rock na guitarra: com força e sem palheta. Os mais de 150 mil seguidores na rede social mencionada e a maturidade já apresentada fazem parecer com que ele tenha lançado vários discos, mas só temos um, ‘Black Magic’ (2018), em seu catálogo.

Entre 2019 e 2020, Nichols liberou dois ótimos singles, ‘Nails in the Coffin’ e ‘Thre Me To The Wolves’. Soam, inclusive, ainda melhores que o material anterior, do primeiro disco. Ao que tudo indica, a ideia é lançar um grande álbum em 2021. Mal posso esperar.

6) Deaf Rat

O Deaf Rat foi uma das grandes surpresas do meu ano de 2019 com seu álbum de estreia, ‘Ban the Light’. O hard n’ heavy de peso dessa banda sueca, que chega a citar até Pantera em suas influências, soou envolvente o bastante para chamar minha atenção.

Neste ano, eles liberaram o single ‘Within the Dead Souls’, que parece antecipar o próximo álbum. A faixa aposta num groove peculiar, o que pode indicar ainda mais peso para o disco seguinte. Aguardemos.

7) Ida Mae

Outro destaque de 2019, o Ida Mae é um duo de blues rock formado no Reino Unido por Stephanie Jean e Chris Turpin. Em meio ao som tipicamente blues da dupla, há momentos de delicadeza ímpar e selvageria rara no segmento.

Tudo isso é traduzido no álbum de estreia do projeto, ‘Chasing Lights’ (2019), bem como no EP ‘Raining for You’, deste ano. Será que vem mais um álbum por aí? Tudo indica que sim.

8) The Georgia Thunderbolts

Ainda no campo do blues, mas caminhando para as influências do southern rock, há o The Georgia Thunderbolts. Os membros dessa banda, formada (obviamente) no estado americano da Georgia, têm pouco mais de 20 anos de idade e ainda estão para lançar seu primeiro álbum full-length.

Apesar disso, eles já soltaram um EP pra lá de cativante em 2020. Autointitulado ‘The Georgia Thunderbolts’, o registro apresenta cinco músicas que, além dos gêneros citados, carrega uma pegada country rock bem dosada. Já esperamos pelo disco de estreia.

9) Tadini

Foto: Livia Krassuski / divulgação

Músico brasileiro radicado em Los Angeles, Tadini lançou em 2020 seu primeiro álbum solo, ‘Collective Delusion’, que foi masterizado no lendário Abbey Road. Além da evidente pegada retrô e quase psicodélica, vinda de fontes como Beatles e Mutantes, o disco tem incursões mais tímidas ao jazz, blues e soul.

Como ‘Collective Delusion’ acabou de sair, não dá para saber se outro álbum será lançado em 2021, mas a chance de termos de outras novidades, ainda que em formato de singles ou EPs, cria expectativa em torno desse músico de apenas 24 anos. Fiquemos atentos aos próximos trabalhos.

10) The Jacks

Outro nome da Califórnia, o The Jacks parece carregar um ar contemporâneo ainda mais forte que o Joyous Wolf. Há, claro, a velha e pulsante pegada do rock americano nas poucas músicas liberadas pelo grupo, mas algumas melodias soam tão Noel Gallagher que fica difícil não perceber a influência do Oasis e outras bandas dos anos 90 e 2000.

Embora a discografia deles seja bem confusa nas plataformas de streaming – faixas se repetem nos três primeiros EPs -, há boas canções por ali. A divulgação de singles em 2020 indica que vem álbum por aí. Vale acompanhar.

Não deixe de conferir:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
1
Share