Foto: Neal Preston

Como e por que Ozzy Osbourne mordeu morcego durante show

Acidente que marcou a carreira do vocalista aconteceu em 20 de janeiro de 1982, durante apresentação em Des Moines, nos Estados Unidos

O episódio é um dos mais famosos da história do rock/metal: Ozzy Osbourne simplesmente arrancou a cabeça de um morcego na base da dentada durante um show em 1982. O que nem sempre fica claro é como e por que isso aconteceu.

O vocalista responde perguntas a respeito desse momento até hoje. Em sua defesa, diz que tudo não passou de um acidente.

Flying High Again… ou não

Era 20 de janeiro de 1982. Ozzy Osbourne fazia um show na cidade americana de Des Moines, Iowa, em mais uma parada da turnê do álbum “Diary of a Madman” (1981), seu segundo álbum solo.

A apresentação corria bem, até que o vocalista notou um suposto brinquedo de morcego que foi atirado ao palco por alguém na plateia.

Spoiler: não era um brinquedo.

Segundo Ozzy, em entrevista concedida ainda em 1982 ao programa de TV Night Flight, o tal objeto tinha um gosto salgado. Ele não se movimentava, por isso, o cantor nem pensou que poderia se tratar de um ser vivo.

Mas era um morcego de fato. Só não se sabe se o animal estava morto ou apenas atordoado pelas luzes.

O responsável por atirar o morcego

Provavelmente passou pela cabeça de Ozzy Osbourne: afinal de contas, quem jogaria um morcego real no palco?

A resposta para a pergunta é… Mark Neal. Esse é o nome do então adolescente de 17 anos que atirou o animal. O garoto deu entrevista, também na época, ao jornal Register e contou que o irmão mais novo havia trazido o mamífero voador para casa com a intenção de transformá-lo em um pet. Obviamente, não deu certo.

Dessa forma, Neal e seus amigos resolveram esconder o pequeno animal em um saco e colocá-lo em sua jaqueta para ir ao show.

As consequências para Ozzy Osbourne

Na hora da mordida, Ozzy Osbuorne que havia algo errado. Mesmo assim, seguiu o show normalmente até o fim.

Ao deixar o palco, a situação mudou de figura. O próprio artista relatou no documentário “Don’t Blame Me: The Tales of Ozzy Osbourne” (1991):

“Tive que ir direto do show para o hospital e o cara disse: ‘é melhor darmos algumas injeções antirrábicas por precaução’. Tomei uma em cada nádega, uma em cada braço e uma em cima da minha perna – e tive que tomar isso todas as noites. Para quem acha que é ‘legal’… se quiser ser um completo babaca, tente.”

Em 2001, Ozzy voltou a Des Moines pela primeira vez desde o incidente. Como era de se esperar, o grupo de amigos responsáveis por “traficar” o morcego para dentro da arena foi à apresentação.

O vocalista brinca que sempre será questionado a respeito daquele show – e que quando morrer, provavelmente vão desenterrá-lo para perguntar como aquilo aconteceu e qual era o gosto do animal.

Antes, porém…

Apesar do episódio relatado acima ser o mais famoso – e ter virado até merchandising em 2019 com um morcego de pelúcia com a logo do cantor –, essa não foi a única vez em que Ozzy Osbourne matou um animal da mesma forma. Cerca de um ano antes, em 1981, a vítima foi uma pomba branca.

A situação foi ainda pior: ocorreu em uma reunião com executivos da gravadora CBS, com a qual Ozzy acabara de assinar um contrato. A ideia era transformar o evento em algo quase “cerimonial”, com o vocalista soltando duas pombas brancas em sinal de paz, mas ele, mais chapado do que nunca, não permitiu que as coisas corressem como planejado.

Sharon Osbourne relembrou o ocorrido em entrevista ao podcast “Wild Ride!” (apresentado por Steve-O, adequadamente membro do Jackass). Conforme transcrito pelo Showbiz CheatSheet, a esposa e empresária do cantor detalhou:

“Nós dissemos: ‘Leve as pombas e deixe-as ir; é como uma oferenda de paz, todo mundo vai achar lindo, daí vamos embora’. Então Ozzy entrou. Ainda eram umas 10 horas da manhã e ele já estava bêbado. Ele tinha uma pomba em cada bolso. Ele sentou no colo dessa garota da qual ele não tinha ideia de quem era.”

A moça, seja lá quem fosse, acabou sendo a mais azarada da sala. Sharon continua com o relato.

“Ele olhou para todo mundo, todo mundo olhou para ele, e ele tirou a pomba, arrancou a cabeça fora e cuspiu no colo da garota. Era isso, game over. Então ele pegou a outra e soltou. Ela ficou voando e c*g*ndo na sala. Fomos escoltados para fora pelos seguranças e foi isso.”

Ao longo da década de 1980, Ozzy Osbourne, no auge de seus vícios, ainda iria protagonizar algumas histórias que ficaram marcadas nos anais do heavy metal. Felizmente, depois da pomba e do morcego, nenhum outro animal seria ferido.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
155
Share