Produtor do Maranhão Open Air explica 7 cancelamentos e admite culpa por 4 deles

Natanael Júnior afirma que 4 atrações deixaram de se apresentar no evento por culpa dele e de sua equipe, mas não se responsabilizou por outras 3

Em comunicado nas redes sociais, o produtor responsável pelo festival Maranhão Open Air, Natanael Júnior, se manifestou a respeito dos recentes cancelamentos de atrações. O evento acontece neste fim de semana sem sete de suas 24 atrações anunciadas originalmente: as bandas nacionais DFCVazioAzul Limão e The Troops of Doom e os grupos internacionais Satan, Omen e I Am Morbid.

No texto, Júnior declara que quatro cancelamentos ocorreram por responsabilidade do próprio evento: Omen, DFC, Azul Limão e Vazio. Já no caso dos outros três – Satan, I Am Morbid e The Troopes of Doom -, afirma não ter tido “qualquer culpa ou responsabilidade”.

“Das 24 bandas que prometemos entregar para o renascimento do MOA, consegui entregar 17 bandas. 4 das bandas canceladas foram de inteira responsabilidade nossa, Azul Limão, Omen, DFC e Vazio, tentei de tudo para segurar, mas no meio de tantas turbulências não consegui e peço desculpas por isso.

O cancelamento do Satan, I Am Morbid e The Troops of Doom não tivemos qualquer culpa ou responsabilidade. O Troops of Doom cancelou por causa do cancelamento do I Am Morbid, uma vez que os voos estavam atrelados à tour das bandas pelas cidades de Fortaleza, São Luís e Brasília, ficaria difícil para a banda voar para essas cidades sem os respectivos shows. Eles pediram um voo direto mas não tínhamos condição de arcar, estávamos sacrificados financeiramente e conseguimos.”

- Advertisement -

Os cancelamentos do I Am Morbid, devido à passagem do furacão Nicole pelo estado americano da Flórida, e do Satan foram explicados anteriormente. A situação relacionada à segunda banda citada envolveu conflito de versões: os músicos dizem que as passagens aéreas chegaram “tarde demais”, enquanto a produção afirma que as opções de viagem oferecidas a eles foram negadas e que o passaporte de um dos integrantes estava vencido.

Leia também:  Janet Gardner e Chez Kane negam que entrarão para a Vixen

Já no caso do The Troops of Doom, havia apenas a versão dos músicos, alegando problemas de logística ligados ao cancelamento da tour do I Am Morbid. A banda brasileira seria a atração de abertura do grupo estrangeiro em uma turnê que englobaria mais datas. Fortaleza e Brasília, além de São Luís, foram canceladas, enquanto Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Limeira e São Paulo seguiram mantidas.

Saúde financeira do Maranhão Open Air

No restante do comunicado, Natanael Júnior diz que a realização do Maranhão Open Air ficou comprometida por questões financeiras. O promotor de eventos afirma que a iniciativa não contou com apoio do poder público, o que dificultou sua realização conforme planejado.

“Na reta final tivemos alguns apoios prometidos que não foram concretizados e isso dificultou ainda mais a saúde financeira do festival. Um festival desse porte infelizmente precisa de apoio governamental, mas apesar de procurarmos bastante fomos ignorados.”

O empresário também indicou que os shows de Omen, DFC, Azul Limão e Vazio deixaram de ocorrer devido a um “sacríficio” para manter o restante do evento.

“Tentei de todas as formas e com todas as minhas forças segurar o festival e consegui fazer uma entrega maior do que última vez, lamento pelos cancelamentos, peço desculpas às 4 bandas que tive que sacrificar para manter o restante do festival.”

https://www.instagram.com/p/Ck6mF5lJ0Hf/

Os shows que aconteceram

O primeiro dia do Maranhão Open Air aconteceu no último sábado (12) com apresentações de Mayhem, Edu Falaschi, Doyle, Desalmado, Crypta, Cérebro de Galinha, Basttardz, Alchimist e Mutilator. O Omen estava no line-up, mas não tocou e o cancelamento não foi anunciado nem para o público presente, nem por meio das redes sociais.

Leia também:  Max Cavalera opina sobre metal atual e cita jovens bandas que gosta

Somente na manhã deste domingo (13), um dos integrantes do Omen relatou a IgorMiranda.com.br que passagens aéreas não foram enviadas para que eles seguissem até São Luís. A banda estava em São Paulo, onde havia se apresentado no Open the Road Festival junto de Mayhem (que acabou indo à capital maranhense), Flagelador (na vaga do Satan) e Vazio. A organização do MOA foi procurada, mas não respondeu às tentativas de contato do site.

O segundo e último dia do evento ocorre neste domingo (13) com shows anunciados de Richie Ramone, Shaman, Dorsal Atlântica, Ambush, Garotos Podres, Rebaelliun, Gangrena Gasosa, Scrok (trazido para suprir outras faltas) e Tanatron. Há relatos de que os portões foram abertos com atraso, somente por volta das 16h, e que as atrações estão se apresentando em apenas um palco e não em dois, como anunciado previamente.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasProdutor do Maranhão Open Air explica 7 cancelamentos e admite culpa por...
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades