Fotos: divulgação

20 álbuns de rock e metal aguardados para 2021

O ano de 2021 deve marcar um retorno à normalidade do mercado musical, especialmente no rock e metal, com shows e álbuns novos. A lista a seguir reúne alguns dos discos mais esperados para o período.

Todos os segmentos da sociedade foram afetados pela pandemia do novo coronavírus, ao longo de 2020 e até do início de 2021, mas o mercado musical se destacou nesse sentido. Além das turnês canceladas pelo mundo inteiro, diversos artistas e bandas tiveram que adiar o lançamento de músicas e álbuns novos, seja por questões logísticas, devido à prensagem de CDs e vinis, ou econômicas, já que muitos dependem dos shows para promover suas canções inéditas.

Ao que tudo indica, o ano de 2021 deve marcar uma tentativa de retorno à normalidade nesse segmento. A chegada da vacina tem deixado os promotores de eventos bem esperançosos.

Isso também deve movimentar o mercado fonográfico, com o lançamento de novos álbuns e singles. Poderemos ouvir músicas gravadas em 2019 que só agora chegarão a público, bem como canções que nasceram em meio à pandemia, já em 2020.

Na lista a seguir, separei 20 álbuns de rock e metal previstos para 2021 que estão cercados de expectativa dos fãs – incluindo este que vos escreve. Alguns desses discos já têm data de lançamento marcada, enquanto outros ainda não foram anunciados oficialmente.

Como parte do levantamento é especulativo, algumas bandas mencionadas podem nem mesmo lançar seus novos trabalhos em 2021. Porém, todos os grupos citados tiveram ao menos um integrante dizendo, em algum momento, que estão produzindo músicas inéditas – em certos casos, estabeleceram até mesmo o ano de 2021 para liberar esse material.

Depois, não deixe de conferir:

Álbuns de rock e metal esperados para 2021

The Dead Daisies – ‘Holy Ground’ (22 de janeiro)

Foto: divulgação

A lista começa com o álbum confirmado mais próximo de ser lançado: ‘Holy Ground‘, o novo trabalho do The Dead Daisies. Será a estreia de Glenn Hughes no vocal e baixo do projeto, substituindo dois antigos integrantes ao mesmo tempo: o vocalista John Corabi e o baixista Marco Mendoza. Doug Aldrich e David Lowy (guitarras) e Deen Castronovo (bateria) completam a formação.

A sonoridade será ainda mais voltada ao hard rock dos anos 1970, pelo qual Hughes transita tão bem, com fortes influências de Led Zeppelin e do Deep Purple que o veterano frontman integrou naqueles tempos.

Foo Fighters – ‘Medicine at Midnight’ (5 de fevereiro)

Foto: Danny Clinch / divulgação

Programado para sair logo na primeira semana de fevereiro, ‘Medicine at Midnight‘ é o primeiro álbum do Foo Fighters em quase 4 anos – o antecessor, ‘Concrete and Gold’, saiu em setembro de 2017. A banda de Dave Grohl já vinha mudando seu som e o novo trabalho deve consolidar de vez essa transição.

Em entrevistas, Grohl tem dito que ‘Medicine at Midnight’ apostará no groove e será como o ‘Let’s Dance’ (1983), de David Bowie, da carreira deles. Será “pra cima e divertido”, como ele apontou.

Inglorious – ‘We Will Ride’ (12 de fevereiro)

Foto: Paul Harries / divulgação

Seria ‘We Will Ride‘ o renascimento do Inglorious? Poucas bandas resistem a mudanças tão drásticas na formação: em 2019, logo após divulgarem o ótimo disco ‘Ride to Nowhere’, o grupo perdeu os guitarristas Drew Lowe e Andreas Eriksson e o baixista Colin Parkinson. Os substitutos foram Danny Dela Cruz e Dan Stevens para as guitarras e o brasileiro Vinnie Colla para o baixo.

As duas músicas liberadas como single já mostram que o novo trabalho parece manter ou até elevar o patamar de seu antecessor, o que deixa qualquer fã empolgado. E a voz de Nathan James, claro, continua fenomenal.

Alice Cooper – ‘Detroit Stories’ (26 de fevereiro)

Foto: earMUSIC / divulgação

O novo álbum de Alice Cooper tem um valor especial para o próprio vocalista. ‘Detroit Stories‘ faz uma série de homenagens a Detroit, cidade americana onde o cantor nasceu. O disco apresenta diversas participações especiais e versões para músicas de artistas da região, além de composições autorais. O cover de ‘Rock ‘n’ Roll’, clássico do Velvet Underground, está animal – e parece dar o tom para o restante do trabalho.

Evanescence – ‘The Bitter Truth’ (26 de março)

Foto: divulgação

O Evanescence está prestes a lançar seu primeiro álbum de inéditas em uma década. Entre idas e vindas da banda liderada por Amy Lee, uma nova formação se consolidou e ‘The Bitter Truth‘ busca reafirmar esse bom momento. Quatro singles já foram liberados e mostram que a sonoridade do grupo está bem madura.

Greta Van Fleet – ‘The Battle at Garden’s Gate’ (16 de abril)

Foto: Alysse Gafkjen / divulgação

Mais uma vez, o Greta Van Fleet está cercado de expectativas. A banda emplacou com seu EP ‘From the Fires’ (2017) e lançou seu primeiro álbum full-length, ‘Anthem of the Peaceful Army’ (2018), que dividiu opiniões – alguns apontaram que o grupo não fez bem ao se afastar de suas influências, enquanto outros batem na tecla de que ainda soa “Led Zeppelin demais”.

The Battle at Garden’s Gate‘ parece se distanciar ainda mais da pegada Zeppelin, mas pelos singles já lançados, indica uma firmeza maior.

Ozzy Osbourne

Foto: divulgação

Após lançar ‘Ordinary Man’, um dos melhores álbuns de 2020, Ozzy Osbourne voltou a trabalhar em estúdio, novamente com Andrew Watt na guitarra/produção e Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) na bateria. Desta vez, porém, o time de convidados é um pouco diferente: o baixista Robert Trujillo (Metallica e ex-Ozzy) e o baterista Taylor Hawkins (Foo Fighters) também estão envolvidos.

Watt revelou, em entrevista, que haverá músicas mais experimentais e longas desta vez. O disco não foi anunciado oficialmente até o momento, mas a expectativa é que saia ainda em 2021.

Ghost

Foto: reprodução / Instagram

Outra banda cercada de expectativas é o Ghost, que elevou seu patamar com os dois álbuns mais recentes, ‘Meliora’ (2015) e ‘Prequelle’ (2018). Após fazer uma grande turnê de divulgação em prol do último disco e liberar duas faixas inéditas como singles, o líder do grupo, Tobias Forge, prometeu que um novo trabalho deve chegar em 2021.

Depende da pandemia, pois Forge assegurou que nada inédito chegará às prateleiras (e plataformas) se os shows não estiverem de volta.

Red Hot Chili Peppers

Foto: divulgação

No apagar das luzes de 2019, os fãs de Red Hot Chili Peppers foram surpreendidos com o anúncio repentino da volta do guitarrista John Frusciante – e a consequente saída de Josh Klinghoffer, seu substituto. A banda já trabalhava em um novo álbum com Klinghoffer, porém, ao que tudo indica, o material foi descartado.

Frusciante passou o ano de 2020 com os Chili Peppers em estúdio (além de ter liberado trabalhos solo) e novidades podem chegar a qualquer momento.

Iron Maiden

Foto: John McMurtrie / divulgação

Já faz algum tempo que os fãs especulam sobre um novo álbum do Iron Maiden. Por enquanto, nada de concreto: a banda passou os anos de 2018 e 2019 rodando o mundo com a turnê ‘Legacy of the Beast’, que promove um jogo de videogame e revisita clássicos. O plano era o mesmo para 2020, mas a pandemia chegou e a tour parou.

Antes disso, rumores apontavam que o Maiden teria passado um tempo em Paris, na França, gravando um disco com o produtor Kevin Shirley. Nada oficial ainda, mas esse material pode chegar antes do esperado por conta das paralisações causadas pela Covid-19 – e, quem sabe, antes do Rock in Rio 2021, que trará o Maiden como um de seus headliners.

Metallica

Foto: Anton Corbijn / divulgação

Em entrevistas, integrantes do Metallica têm dito que a pandemia os “forçou” a compor material inédito. O baterista Lars Ulrich contou que as sessões da banda em videoconferência estão rendendo, embora não tenha oferecido tantos detalhes sobre o processo. Ainda não há previsão para lançar o sucessor de ‘Hardwired… To Self-Destruct’ (2016) – talvez fique para 2022 -, mas o grupo parece estar disposto a produzir músicas novas.

Megadeth

Foto: divulgação

Desde o fim de 2018, o Megadeth vinha trabalhando em seu novo álbum. Entretanto, o processo foi atrasado não só pela pandemia, como, também, por um diagnóstico de câncer na garganta que acometeu o líder Dave Mustaine, ainda em 2019. Ele se recuperou, mas a Covid-19 ainda não foi embora, então, o ritmo segue lento por lá.

Todavia, a produção do sucessor de ‘Dystopia’ (2016) já deve estar em uma etapa mais avançada. O baixista David Ellefson tem prometido, em entrevistas, que as novas canções serão “definitivamente thrash metal” e “mais progressivas e complexas”, na linha do clássico ‘Rust in Peace’ (1990). Aguardemos.

Slipknot

Foto: divulgação

O Slipknot mal lançou ‘We Are Not Your Kind’ (2019) e já pensa em um novo álbum. Não era o plano inicial – culpemos, mais uma vez, a pandemia -, mas o vocalista Corey Taylor já adiantou que um trabalho de inéditas deve chegar a público antes do esperado. O cantor citou diretamente o ano de 2021, porém, meu palpite nsete caso é 2022.

Helloween

Os fãs de Helloween devem estar se mordendo em ansiedade. Ainda em 2019, a banda anunciou que iria gravar um novo álbum com a formação que rodou o mundo com a turnê de reunião: Michael Kiske, Kai Hansen, Andi Deris, Michael Weikath, Sascha Gertsner, Markus Grosskopf e Dani Loble (os dois primeiros voltaram após décadas fora).

Os planos foram atrasados, inicialmente, para fazer uma série de shows no Brasil substituindo o Megadeth – devido ao câncer de Dave Mustaine. A pandemia não deve ter afetado as gravações, pois, ao que tudo indica, o material já está pronto desde antes disso. Eles pretendiam, inclusive, lançar em agosto ou setembro de 2020 – e adiaram, claro, já que não dá para fazer turnês. Nesse caso, acredito que não passa de 2021.

Journey

Foto: divulgação

A situação do Journey é um tanto peculiar. O baixista Ross Valory e o baterista Steve Smith foram demitidos da banda e processados no início de 2020, sob acusação de golpe, sendo substituídos respectivamente por Randy Jackson e Narada Michael Walden. Valory e Smith, claro, acionaram o grupo judicialmente “de volta” e o caso está nas mãos da Justiça americana.

Se os trâmites legais permitirem, o guitarrista Neal Schon adiantou que os fãs devem ouvir, no segundo semestre de 2021, 13 músicas inéditas gravadas pela nova formação.

Mammoth WVH

Foto: Travis Shinn / divulgação

Já faz algum tempo que Wolfgang Van Halen assinou com a gravadora Explorer1 para lançar seu primeiro álbum solo. A saúde de seu pai, o lendário guitarrista Eddie Van Halen, e a pandemia atrasaram um pouco a divulgação desse disco.

Porém, com a morte de Eddie, no último mês de outubro, Wolfie liberou a música ‘Distance’, em homenagem a Ed, e confirmou que o álbum, que o traz em todos os instrumentos, chega em 2021. Curiosamente, o projeto solo recebeu o nome Mammoth WVH, em referência ao nome que o Van Halen tinha no início dos anos 70: Mammoth.

Baroness

Foto: divulgação

Uma das melhores bandas de metal da atualidade, o Baroness utilizou o período de isolamento social, causado pela pandemia, para compor músicas. O método foi o mesmo do Metallica: o bom e (não tão) velho Zoom, com videoconferências de caráter criativo.

Os próprios músicos dizem que o ritmo de trabalho deles é muito lento, mas a ideia é ter um álbum pronto para 2021.

Mastodon

Foto: divulgação

Outro grande nome do metal contemporâneo, o Mastodon está disposto a lançar não apenas um, mas dois álbuns inéditos em 2021. Eles estão compondo há algum tempo, já que o disco mais recente, ‘Emperor of Sand’, é de 2017.

Em entrevistas, eles afirmam ter criado aproximadamente 30 músicas – e como está difícil escolher as melhores, pode ser que tudo seja lançado, até de uma vez.

Jinjer

Foto: Veronika Gusieva / divulgação

Cada vez mais populares no segmento do metalcore progressivo, o Jinjer levou um banho de água fria em 2020: a banda lançou ‘Macro’ no fim de 2019 e esperava passar todo o ano seguinte em turnê, para divulgá-lo.

Como a pandemia impediu que isso acontecesse, os músicos voltaram a trabalhar em canções inéditas, que devem chegar a público nos meses finais de 2021.

Exodus – ‘Persona Non Grata’

Foto: divulgação

E vamos de veteranos do thrash metal para fechar a lista. O Exodus, que não lança nada desde o elogiado ‘Blood In, Blood Out’ (2014), já tem até título para seu próximo álbum: ‘Persona Non Grata’, conforme revelado pelos próprios integrantes.

Trata-se do primeiro trabalho do vocalista Steve “Zetro” Souza desde seu retorno à banda, na vaga deixada por Rob Dukes, em 2014. Como habitual, eles prometeram um disco que faz justiça às origens thrash do grupo.

2 comentários
  1. Mas este baixista do Megadeth não havia sido demitido da banda ? Pelo que li Mustaine disse que não há chance dele voltar e o ex do Metallica já teria se juntado a banda…Então não entendi este pronunciamento do David sobre o novo disco

    1. Oi, Antonio. Sim, ele foi demitido e suas partes foram removidas do álbum. É que esse meu artigo foi publicado ainda no mês de janeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share