Carmine Appice recebeu notificação extrajudicial do Mötley Crüe após declarações

Baterista contou em diferentes ocasiões que Mick Mars não estava satisfeito no Crüe; tais alegações irritaram o baixista Nikki Sixx

A troca de farpas e indiretas entre Carmine Appice e o Mötley Crüe ganhou um novo capítulo. Recentemente, o baterista do Cactus e Vanilla Fudge recebeu uma notificação extrajudicial após suas polêmicas declarações sobre a saída do guitarrista e amigo Mick Mars da banda em questão.

A polêmica envolvendo Carmine Appice

Mick Mars deixou o Mötley Crüe em outubro de 2022. Na época, um comunicado explicou que o músico encerrou suas atividades com o grupo devido ao avanço da espondilite anquilosante – doença degenerativa que afeta sua coluna desde o fim da adolescência.

- Advertisement -

Não demorou para que Appice contestasse essa justificativa. Primeiro, ele afirmou que o guitarrista saiu por estar “de saco cheio” do ritmo de shows. Depois, disse que Mars se sentia infeliz por tudo nas apresentações da “The Stadium Tour” ser pré-gravado e pelo luxo excessivo dos antigos colegas enquanto excursionavam pela América do Norte.

As alegações incomodaram Nikki Sixx. Sem citar nomes, o baixista disse no Twitter que um “baterista fracassado” tenta falar pela banda e que “mídia de baixo escalão” se aproveita disso.

Appice não deixou o fato passar em branco. Também por meio de um tweet, usou o adjetivo “fracassado” sarcasticamente, destacou o próprio talento e alegou que “pelo menos” consegue tocar bem o seu instrumento – deixando nas entrelinhas que não pensa o mesmo do baixista do Crüe.

A notificação extrajudicial do Mötley Crüe

Agora, toda essa briga não está mais restrita às entrevistas e às redes sociais. Conversando com a revista Goldmine, Carmine Appice, primeiramente, destacou que o fato de Mick Mars estar processando o Mötley Crüe – sobretudo por questões financeiras – mostra como ele sempre esteve certo.

“É tudo muito triste, mas justifica a minha história, que eu nunca pensei que tomaria proporções grandes na internet. A resposta que recebi por causa disso foi incrível, mas a resposta dele [Nikki Sixx], que me chamou de ‘baterista fracassado’, foi muito louca e bastante dolorosa. Mas muitas pessoas me apoiaram, isso é bom.”

O baterista não quis entrar em detalhes da treta envolvendo Sixx. Ele contou que recebeu uma notificação extrajudicial dos advogados do Mötley Crüe e que, por isso, precisa ser cauteloso com suas falas públicas a respeito da banda.

“Recebi uma notificação extrajudicial de todos esses advogados que trabalham para o Mötley Crüe, então não posso entrar em muitos detalhes. Eu tenho que ter cuidado com o que eu digo, mas não estamos realmente falando sobre detalhes e sim sobre o que aconteceu.”

Ainda assim, revelou ter ficado surpreso com a resposta do baixista nas redes sociais, considerando a relação próxima entre os dois. Depois de tais acontecimentos, ele até tentou entrar em contato com o integrante do Crüe, mas não obteve resposta .

“Eu não achava que ele reagiria assim. Foi realmente uma coisa surpreendente porque éramos amigos. E depois disso, desafiei Nikki Sixx para fazermos uma jam, mas ele não me respondeu. O que ele disse foi triste porque éramos amigos, mas acho que não somos mais.

Recebi mensagens de Derek Sherinian dizendo: ‘Cara, o que há de errado com Nikki?’ e Stephen Pearcy aparentemente disse a Nikki: ‘Cara, o que você está fazendo? Somos todos amigos’. E então eu comecei a ver vários outros músicos dizendo que eles não gostam de Nikki.”

Mick Mars vs. Mötley Crüe

Mick Mars está processando o Mötley Crüe. O guitarrista acusa os antigos colegas de tê-lo excluído completamente do grupo e roubado uma parte de seus lucros.

Leia também:  Lollapalooza multa artistas por shows cancelados? Diretora responde

Em parte de sua argumentação, também alega que o baixista Nikki Sixx praticava “gaslighting” (forma de abuso psicológico na qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas ou inventadas para fazer a vítima duvidar de si) contra ele, especificamente no que diz respeito à sua habilidade na guitarra.

A banda postou um comunicado onde se defendeu das alegações feitas. Diz a nota:

“O processo de Mick é lamentável e completamente fora de base. Em 2008, Mick votou e assinou um acordo no qual ele e todos os outros membros da banda concordaram que ’em nenhum caso qualquer acionista renunciante terá direito a receber qualquer dinheiro atribuível a apresentações ao vivo (ou seja, turnês)’. Após a última excursão, Mick renunciou publicamente ao Mötley Crüe. Apesar do fato de que a banda não devia nada a Mick – enquanto ele devia à banda milhões em adiantamentos que não pagou – foi oferecido um generoso pacote de compensações para honrar sua história. Manipulado por seu empresário e advogado, Mick se recusou e optou por entrar com esse terrível processo público.”

Leia também:  Filho de Chorão alega ter caído em golpe; guitarristas do Charlie Brown Jr rebatem

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasCarmine Appice recebeu notificação extrajudicial do Mötley Crüe após declarações
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades