A história da morte de Karac, filho de Robert Plant falecido aos 5 anos

Perda do filho quase fez o vocalista desistir da carreira musical, além de possivelmente ter criado uma divisão na banda que durou até seus dias finais

Na segunda metade dos anos 1970, o Led Zeppelin começou a sofrer com o que parecia ser um declínio – não exatamente artístico, mas circunstancial. A banda teve vários problemas nos anos que precederam a morte do baterista John Bonham e um deles foi outro falecimento, mais chocante: Karac, filho do vocalista Robert Plant, veio a óbito em 26 de julho de 1977, aos 5 anos de idade, após ter contraído um raro vírus estomacal.

O acontecimento impactou tanto a vida do vocalista que quase foi responsável por tirá-lo do Zeppelin. De fato o grupo se viu dividido pela primeira vez naquela ocasião, já que os problemas em torno do luto de Plant intensificaram os pontos negativos de uma turnê tumultuada pelos Estados Unidos que ocorria na época do falecimento.

A turnê americana de 1977

Dois anos antes de tudo isso, em 1975, o Led Zeppelin havia cancelado uma turnê pela América do Norte depois que Robert Plant e sua esposa, Maureen, sofreram um grave acidente de carro na ilha grega de Rodes.

Passado o período de recuperação, a banda estava empolgada para voltar aos palcos em 1977, mais especificamente em fevereiro. Contudo, as coisas saíram do controle novamente por conta do vocalista, que foi acometido por uma laringite aguda.

O atraso foi tanto que a turnê, de fato, só começou em abril. Durante praticamente todo o mês de março, o Zeppelin ficou sem ensaiar porque o equipamento todo já havia sido mandado para os Estados Unidos. A apreensão entre os integrantes era grande não só por isso, como também por questões logísticas.

No fim das contas, a banda caiu na estrada, mas a turnê foi a por shows medianos e alguns episódios de violência no público, o que tornava a atmosfera ainda mais tensa. A negatividade chegou a seu máximo quando o quarteto estava prestes a tocar em Nova Orleans. Plant recebeu uma ligação da esposa, na Inglaterra, que mudaria sua vida.

A morte de Karac

Em questão de poucas horas, Maureen fez duas ligações a Robert Plant. Na primeira, o vocalista ficou sabendo que Karac estava gravemente doente em função de um vírus em seu estômago. Na segunda, veio a notícia de que o menino de 5 anos de idade, então filho mais novo do casal, havia perdido a vida.

A turnê e o show daquela noite foram obviamente cancelados. Inicialmente, as datas da excursão iriam até agosto, mas oficialmente o Led Zeppelin entrou em hiato.

De volta à Inglaterra, Plant cogitou abandonar a música para passar mais tempo com a família – a esposa Maureen e a filha mais velha, Carmen. Chegou a se candidatar para uma vaga de emprego como professor no colégio Rudolph Steiner, em Sussex.

O vocalista também afirmou à Rolling Stone que largou as drogas no exato momento em que recebeu a notícia.

“Eu perdi meu garoto. Eu não queria estar no Led Zeppelin. Eu queria estar com a minha família. Parei de tomar qualquer coisa naquele mesmo dia.

A coisa mais importante para mim é minha família e quando eu enchia a cara, era difícil ser qualquer coisa para as pessoas que significam muito para mim.”

Apoio dos colegas de Led Zeppelin

Quando Robert Plant retornou para casa, apenas um dos integrantes do Led Zeppelin o acompanhou: John Bonham. Sem expressar qualquer tipo de mágoa, o vocalista se lembraria sempre de como o baterista o apoiou naquele momento – como fez em entrevista para a Onstage Magazine, em 2013, citando diferenças culturais do guitarrista Jimmy Page e do baixista John Paul Jones, que sequer foram ao funeral.

“Durante a época mais obscura da minha vida, quando perdi meu filho e minha família estava confusa, Bonzo veio até mim. Os outros caras eram do sul da Inglaterra e não tinham o mesmo tipo de etiqueta social que acabamos tendo no norte, que poderia realmente preencher esse abismo desconfortável com toda a sensibilidade necessária… para consolar.”

É claro que, na época, a reação de Plant não foi tão cheia de compreensão. Uma reportagem da Rolling Stone relatou que o vocalista teria dito ao tour manager Richard Cole, também presente no funeral do filho, que talvez os colegas não tivessem o mesmo respeito que ele nutria por eles. Page chegou a afirmar na imprensa que daria “espaço” ao parceiro para se recuperar.

Ironicamente, o próprio Robert creditaria a Jimmy o fato não ter se aposentado da música naquele momento. Em entrevista do mesmo ano para uma revista alemã, o vocalista mostrou sua amizade com o guitarrista ao explicar como o colega também o ajudou, apesar de não estar tão presente quanto Bonham.

“Naquele momento, eu estava pensando em sair do grupo. Mas Jimmy Page me impediu de fazer isso. Ele disse que sem mim, a banda não seria nada. Ele queria que eu desse uma pausa até me sentir pronto para tocar de novo. Eu percebi que somos mais do que parceiros de negócios. Somos verdadeiros amigos.”

No entanto, para o biógrafo Mick Wall, a morte de Karac marca uma ruptura no Led Zeppelin que duraria até seus últimos dias. De um lado, Plant e Bonham, que se conheciam desde antes da formação do grupo. Do outro, Page e Jones, que tinham o controle criativo até o momento, mas passariam a ter que disputá-lo com Plant a partir daqui, já que o vocalista se via cada vez mais importante no funcionamento do grupo.

Led Zeppelin e Robert Plant seguem em frente

O Led Zeppelin teria mais 3 anos de altos e baixos até a morte de John Bonham, em 1980. Um ano antes, em 1979, Plant e Maureen teriam mais um filho, Logan, o que certamente ajudou a cicatrizar as feridas da perda de Karac.

O vocalista comentou sobre os filhos em 2018, em entrevista para Dan Rather, com transcrição do site Cheat Sheet.

“Faz muito tempo que o perdemos. 40 anos atrás. E fomos abençoados com outro garoto que veio cerca de dois anos depois, e as duas imagens se entrelaçam. A diferença entre Karac e Logan é… é difícil diferenciar, mas ele era mais um pequeno garoto da natureza, sabe? Ele era um homem da montanha.”

Karac foi a inspiração de algumas músicas da carreira de Plant. A primeira e mais óbvia, “All My Love”, foi lançada em “In Through the Out Door”, do Led Zeppelin, em 1979.

Outra é “Blue Train”, lançada com o projeto Page & Plant, em 1998, no álbum “Walking into Clarksdale”, cuja faixa-título também tem referências ao menino.

Antes disso, em 1993, Plant se inspiraria em Karac na música “I Believe”, do disco “Fate of Nations”.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

4 comentários
  1. Sou fã desta incomparável banda. Curto desde dos anos 70. Sabia da morte do filho do Robert, mas não sabia dos detalhes. Muito triste. Não sou pai! Mas posso imaginar o que é perder um filho. Ainda mais em tais circunstâncias. Em todo caso, fica meu registro. Que pena que o LED se acabou de forma tão triste. A melhor de todas no seu gênero. Uma banda completa!

  2. Led Zeppelin é alucinante, um disco diferente do outro, vários estilos musicais numa banda só: rock, blues, reggae, uma grande influência da música indiana também. Foi minha banda preferida durante muitos anos, até surgir Pearl Jam. Hoje é a segunda. Genial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
26
Share