Foto: divulgação

Os últimos dias de Joey Ramone, ídolo punk levado pelo câncer

No dia 15 de abril de 2001, o mundo perdeu o lendário Joey Ramone. O vocalista dos Ramones, que tinha 49 anos de idade, morreu após uma longa batalha contra um linfoma, tipo de câncer no sistema linfático.

No dia 15 de abril de 2001, o mundo perdeu o lendário Joey Ramone. O vocalista dos Ramones, que tinha 49 anos de idade, morreu após uma longa batalha contra um linfoma, tipo de câncer no sistema linfático.

Um dos maiores ícones da música, o eterno Joey Ramone não é só lembrado pelos fãs e amigos como um grande nome do punk rock. Ele também é mencionado como um sujeito de alma gentil, embora muito difícil de se encaixar em certos padrões de comportamento.

Joey Ramone foi diagnosticado com um câncer no sistema linfático em 1995, mesmo ano em que os Ramones lançaram seu último disco, adequadamente intitulado “¡Adios Amigos!”, e fizeram sua turnê de despedida. O show derradeiro rolou em 1996, quando o cantor já estava focado em seu tratamento.

Os dias finais de Joey Ramone

A socióloga Dra. Donna Gaines, que atua como jornalista musical e é amiga da família de Joey Ramone, é uma das pessoas que melhor definiu os dias finais do cantor. Ela escreveu uma crônica sobre a morte dele em junho de 2001, conforme publicado pela revista Spin.

Com o fim dos Ramones, Joey focou de vez em seu tratamento e também passou a trabalhar em uma carreira solo – rendendo o álbum “Don’t Worry About Me”, que acabou sendo lançado apenas em 2002, de forma póstuma.

De acordo com Donna Gaines, o vocalista manteve uma vida ativa em seus anos finais. Ele abandonou antigos vícios, melhorou sua alimentação e seguiu envolvido com a música, não só com sua carreira solo já mencionada, como, também, produzindo ou ajudando bandas iniciantes.

Apesar das mudanças de hábitos e da dedicação ao tratamento, Joey Ramone não resistiu ao linfoma. Ele morreu no domingo de Páscoa de 2001, dias após sofrer uma queda responsável por quebrar alguns de seus ossos, fragilizados pelos medicamentos. Na época, o cantor já passava por um momento difícil, pois havia perdido o pai meses antes.

Prestes a falecer, uma conexão pouco esperada veio à tona e ofereceu algum conforto a Joey: o U2, por intermédio do vocalista Bono.

“Na sexta-feira santa, 13 de abril, os entes queridos se prepararam para o pior. Joey foi transferido para a UTI, recebendo morfina. Ele teve uma infecção sanguínea que não estava respondendo a antibióticos, mas havia uma última tentativa, uma última esperança de que as coisas mudariam. Com Joey, tudo era possível.

Bono ligou para ele aquele dia e apesar de Joey estar bem fora de si, ouvir o velho fã dos Ramones o deixou muito feliz. Mas no domingo, toda a esperança se foi. Os amigos e a família se reuniram ao lado dele, incluindo o irmão de Joey, o guitarrista Mickey Leigh, e sua mãe, Charlotte Lesher. Joey tinha uma caixa de som ao seu lado, e quando ele desfaleceu, Mickey tocou para ele a música ‘In a Little While’, do U2.”

A música “In a Little While” foi lançada em 2000 pelo U2, no álbum “All That You Can’t Leave Behind”. A letra, escrita por Bono, acabou dando o tom da despedida do lendário vocalista, que morreu em Nova York, mesma cidade em que nasceu e viveu a maior parte da vida.

Um trecho dela diz: “In a little while / This hurt will hurt no more / I’ll be home, love / In a little while”. A passagem pode ser traduzida como: “Daqui a pouco / Isso não vai doer mais / Eu vou estar em casa, amor / Daqui a pouco”.

Além do já mencionado “Don’t Worry About Me”, outro álbum póstumo de Joey Ramone foi lançado. Trata-se de “Ya Know?”, divulgado em 2012 com materiais registrados entre 1999 e 2001.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
37
Share