Como Gerard Way e o brasileiro Gabriel Bá criaram “The Umbrella Academy”

Vocalista do My Chemical Romance sempre foi fã de HQs e já revelou que sua banda influenciou criação da obra, que virou série de TV pela Netflix

Você sabia que a banda My Chemical Romance e a HQ “The Umbrella Academy” – que inspirou a criação da série homônima da Netflix – têm uma coisa em comum? Tanto o grupo quanto a obra foram criados pelo cantor Gerard Way.

Sim, além de ser o vocalista da banda, Way também é escritor de quadrinhos e “The Umbrella Academy” é justamente seu trabalho mais conhecido no meio. Antes de fundar o My Chemical Romance, o cantor queria justamente trabalhar com a criação de HQs, algo que sempre admirou.

Abaixo, entenda como Gerard concebeu “The Umbrella Academy”, que contou com a contribuição do ilustrador brasileiro Gabriel Bá.

Gerard Way e os quadrinhos

Gerard Way nunca disfarçou que sempre foi um fã declarado de quadrinhos. Em entrevista à Rolling Stone, o cantor já revelou quais foram suas HQs preferidas na juventude.

“A primeira HQ que me lembro de ter ficado fissurado e comprado por conta própria foi a versão de Chris Claremont e Marc Silvestri de ‘X-Men’. Foi meio que uma grande influência no que fiz para ‘Umbrella Academy’. A maneira em que eles contaram a história, você vai pulando para os diferentes personagens por uma série de vinhetas, em que você conhece um pouco da vida deles e como se conheceram. É mais ou menos o que fiz em Umbrella Academy.

‘Watchmen’ também causou um grande impacto em mim, e existem, obviamente, alguns elementos de Umbrella que foram inspirados na HQ. ‘O Cavaleiro das Trevas’ foi importante, ‘Demolidor: A Queda de Murdock’ foi importante. E aí, conheci o trabalho de Grant Morrison em ‘Patrulha do Destino’, que influenciou minha mistura do estranho com o incrível.”

Antes de fundar o My Chemical Romance, Way criou sua primeira HQ com apenas 16 anos, que ganhou o nome de “On Raven’s Wings”.

No entanto, a editora responsável cancelou a publicação logo em sua segunda edição. Não por conta de vendas ruins, mas sim por não ter uma equipe de arte disponível para trabalhar nela.

Way também estudou na School of Visual Arts New York City, uma referência na área de artes, já que sua ideia era trabalhar justamente com quadrinhos. Ele concluiu os estudos no local em 1999.

O surgimento de “The Umbrella Academy”

Foi em 2007 que Gerard Way lançou “The Umbrella Academy”. Na versão original, além de desenvolver a história, o cantor também ficou responsável pelas ilustrações.

No entanto, antes do lançamento, o Gabriel Bá entrou na jogada e assumiu as artes do primeiro volume da HQ, que ganhou o nome de “Suíte do Apocalipse” e teve um total de seis edições.

Em entrevista para o site Fala Animal, Bá explicou como se tornou o ilustrador da HQ.

“Em 2006, recebi um e-mail do editor Scott Allie, da Dark Horse, me convidando para desenhar o projeto. Ele havia mostrado para o Gerard Way dois trabalhos meus e eles acharam que eu seria uma boa escolha para a série. Me enviaram um resumo da história, com alguns desenhos do Gerard, e eu me interessei pelo lado dramático, da relação entre as personagens, tudo isso explorando esse gênero do super-heróis.

Além disso, era um trabalho de grande visibilidade e seria meu primeiro trabalho pago de quadrinhos, o que me possibilitou parar de fazer freelances de ilustrações e focar somente nos quadrinhos.”

A publicação conta a história da equipe homônima de heróis, formada por irmãos adotivos. Eles eram parte de um grupo de 43 crianças que nasceram inexplicável e aleatoriamente de mães que não tinham qualquer sinal de que estavam grávidas até o dia do parto.

Sir Reginald Hargreeves, um extraterrestre que vivia disfarçado como um bem-sucedido empreendedor, adota sete dessas crianças ao notar que elas tinham superpoderes. Assim, as criou com o intuito de se tornarem super-heróis para proteger a Terra de qualquer ameaça.

“Suíte do Apocalipse” chegou até mesmo a ganhar o prêmio Eisner – o mais importante da indústria de HQs – de melhor série limitada em 2008.

Desde então, mais dois volumes foram lançados: “Dallas” e “Hotel Oblivion”. Um quarto volume já foi anunciado por Gerard Way e se chamará “Sparrow Academy”, mas ainda não tem uma data de lançamento.

“The Umbrella Academy” foi lançada pela Dark Horse Comics, responsável por HQs famosas como “Sin City” e “Hellboy”. No Brasil, a obra foi disponibilizada pela editora Devir.

A influência do My Chemical Romance

Quem conhece “The Umbrella Academy”, seja pela HQ ou pela série da Netflix, sabe que a equipe é pra lá de excêntrica e disfuncional. Afinal, cada um dos sete irmãos Hargreeves possuem personalidades bem distintas.

Tanto que no início da história, o público descobre que a equipe/família encerrou suas atividades e cada um foi cuidar de sua vida. No entanto, todos se reúnem novamente por conta da morte de Reginald Hargreeves, dando início às aventuras de “The Umbrella Academy”.

Na mesma entrevista à Rolling Stone, Gerard Way revelou como My Chemical Romance influenciou a criação da HQ.

“Estar em uma banda é como estar em uma família disfuncional e todas as personalidades são realmente distintas. Não apenas as pessoas de sua banda, mas também aquela que você encontra na estrada, a equipe que te apoia e por aí vai.

Uma banda é especialmente uma família disfuncional, então existe um pouco de mim em cada um dos personagens, também existe um pouco dos integrantes (da banda) nos personagens, incluindo nossos papéis na banda e suas eventuais mudanças. Estamos no meio de uma pressão de fama e notoriedade e os personagens também vivenciam isso na HQ e na série.”

Gerard Way fora da série de TV

A respeito da série inspirada em “The Umbrella Academy”, produzida e lançada pela Netflix, Gerard Way e Gabriel Bá atuam apenas como coprodutores executivos e não estão diretamente envolvidos com a parte criativa.

Em outra entrevista, agora para o Los Angeles Times, Way explicou por que não quis se envolver tanto com o seriado.

“Eu poderia estar muito mais envolvido com o show. Poderia até mesmo ser o showrunner ao lado de alguém ou dirigido alguns episódios. Isso poderia ter sido a minha vida. Mas a HQ era tão importante para mim, eu não queria mais nada para minha vida.”

Além de ter retomado as atividades do My Chemical Romance em 2019, Gerard Way também trabalha com outras HQs, com destaque para “Young Animal”, publicada pela editora DC.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
1
Share