Por que Kurt Cobain odiava “Smells Like Teen Spirit”, clássico do Nirvana

Líder da banda não queria reconhecimento mundial e sucesso massivo para sua banda, o que foi atingido justamente com essa música

A música “Smells Like Teen Spirit”, do Nirvana, se tornou o hino de uma geração, além de representar uma mudança na história do rock e das paradas de sucesso. Porém, Kurt Cobain passou a odiar sua própria criação durante seu curto tempo ainda restante entre nós.

O motivo? O reconhecimento mundial e o sucesso massivo não era o que o vocalista e guitarrista queria. Baterista do grupo no período e atual líder do Foo Fighters, Dave Grohl refletiu em uma entrevista recuperada pelo Loudwire sobre o efeito causado pelo sucesso em seu antigo colega.

“Kurt provavelmente queria vender 20 milhões de discos e estar na maior banda do mundo. Mas tenho certeza que ele não queria toda a bagagem que veio junto com isso. Ninguém se deu conta, nem eu.”

Parte dessa bagagem tinha a ver com o público considerado “mainstream”, que a partir dali começava a acompanhar o Nirvana. Era como se o bully que batesse em Kurt no colégio agora estivesse na plateia de seu show.

Em virtude disso, o músico chegou a dizer em certa ocasião:

“Eu literalmente quero jogar minha guitarra no chão e ir embora quando chega a hora de tocar ‘Smells Like Teen Spirit’. Não consigo fingir que estou me divertindo.”

Demais obras do Nirvana ignoradas

Outro problema na visão de Kurt Cobain é que “Smells Like Teen Spirit” desviou a atenção das outras músicas do Nirvana. Para ele, o hit em questão não era superior a outras de suas composições.

Inclusive, o próprio Kurt apontava “Drain You”, outra faixa do álbum “Nevermind” (1991), como exemplo de algo tão bom, se não melhor que o grande hit do grupo. Mas ele também admitiu que se essa canção tivesse obtido a mesma popularidade, ele teria perdido o amor por ela da mesma forma.

Kurt Cobain também não curtia clipe

Nem mesmo o clipe de “Smells Like Teen Spirit” agradava Kurt Cobain. Em entrevista à MTV no ano de 1994, pouco tempo antes de sua morte, o músico disse que não teve grande controle na produção do vídeo – e acabou interferindo no processo de edição para que o resultado ficasse um pouco melhor.

“Até gosto desse vídeo em geral, mas não foi como imaginei. Quando tenho ideias para vídeos, quero que seja produzido exatamente como o vejo em minha mente. Esse não foi assim. […] Ficou parecendo um comercial de Time-Life (rede de lojas de discos e livros). Ficou muito ‘contemporâneo’. Sabe aqueles comerciais onde as pessoas estão sentadas, tentando vender algo como aspirinas em um comercial da AT&T (operadora de telefonia e internet)?

Sam (Samuel Bayer) editou, enviou para mim e eu não gostei. Voltei de última hora para Los Angeles e eu mesmo editei de novo. Coloquei cenas extras que estavam guardadas. Havia muitas cenas boas que não foram usadas. A maior parte do material usado (por Bayer) parecia artificial.”

Saúde mental

Todas essas razões foram agravadas pelas doenças mentais que Kurt Cobain enfrentou até sua morte por suicídio, no dia 5 de abril de 1994. Em sua carta de despedida, o músico escreveu: “Por que você simplesmente não aproveita (o sucesso)? Eu não sei”.

Em declaração ao Los Angeles Times no último mês de setembro, a viúva Courtney Love disse:

“Se outra banda daquela geração tivesse feito sucesso antes do Nirvana, acredito que Kurt teria sobrevivido. Ele não tinha estrutura emocional para lidar com o estouro que foi ‘Smells Like Teen Spirit’. Talvez se tivessem lançado ‘In Bloom’ como single antes…”

Infelizmente, nunca saberemos.

Atenção

** No Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV), associação civil sem fins lucrativos, oferece apoio emocional e prevenção do suicídio, gratuitamente, 24 horas por dia. Qualquer pessoa que queira e precise conversar, pode entrar em contato com o CVV, de forma sigilosa, pelo telefone 188, além de e-mail, chat e Skype, disponíveis no site www.cvv.org.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
24
Share