A opinião de James Hetfield sobre Dave Mustaine, seu ex-colega de Metallica

Líder do Megadeth teve relação tumultuada com antigos parceiros de sua banda anterior; hoje, todos parecem se dar muito bem

Dave Mustaine teve uma passagem breve e polêmica pelo Metallica. O hoje líder do Megadeth fez parte da banda de James Hetfield (voz e guitarra) e Lars Ulrich (bateria) entre 1982 e 1983, como guitarrista solo, mas foi demitido em meio a brigas com seus colegas e problemas com alcoolismo e controle de raiva.

Ao longo dos anos seguintes, a mágoa de Mustaine com relação ao Metallica sempre ficou muito evidente. O músico criticava a ex-banda com frequência, além de deixar claro que havia criado o Megadeth para ser “mais pesado que o Metallica”.

- Advertisement -

Porém, desde a chegada do século 21, a situação entre Dave Mustaine e os ex-colegas ficou bem mais amistosa. Agora, um fala sobre o outro em tom de elogio, com tranquilidade, (geralmente) sem alfinetadas.

No fim de 2016, James Hetfield surpreendeu a compartilhar algumas palavras positivas a respeito de Mustaine em entrevista ao canal Musik. O frontman não costuma falar tanto à imprensa como seu parceiro Lars Ulrich, o que torna tudo ainda mais legal.

Sobre Mustaine, Hetfield declarou:

“Um grande amigo nosso, com certeza, que se deu muito bem por si só no Megadeth. Após ter sido expulso do Metallica, embarcou em uma carreira incrível. Dave é um incrível guitarrista, um ótimo compositor e fez coisas boas em sua banda.”

Em seguida, o músico do Metallica foi perguntado se mantém contato com o líder do Megadeth. A resposta foi positiva.

“Temos conversado, com certeza.”

Lars Ulrich e o ex-colega

Sempre mais disposto a dar entrevistas, Lars Ulrich é mais “falastrão” ao descrever sua relação com Dave Mustaine. Nos últimos anos, as declarações têm sido mais amenas.

Em 2009, porém, à rádio americana 94.1 FM WYSP, Ulrich contou como o vínculo era de “altos e baixos” com Mustaine.

“Altos e baixos. Sempre foi um relacionamento de altos e baixos. Sempre tive um grande respeito pelo Dave, sempre gostei dele, mas ele tem altos e baixos. Sempre respeitamos a banda dele. Sempre o respeitei como músico. Acho que ele tem ótimos músicos trabalhando com ele, além de ser um grande compositor.

Sempre houve, obviamente, uma certa postura e algumas conversas durante os anos que pra mim parecem como, jardim de infância, uma caixa cheia de areia, mas eu o respeito e o aprecio por tudo o que fez no Metallica.”

Vale lembrar que as rusgas entre Lars e Dave demoraram a se curar porque o frontman do Megadeth não gostou do fato de o bate-papo que ele teve com o baterista ter sido divulgado no documentário “Some Kind of Monster”, em 2004.

Leia também:  A opinião de Rob Halford (Judas Priest) sobre o Sleep Token

A mágoa de Dave Mustaine com o Metallica

Embora nunca tenha escondido sua admiração pelos colegas de Metallica enquanto músicos, Dave Mustaine também costuma expor que sentia mágoa e até ciúmes do que a banda se tornou sem ele. Em entrevista recente ao canal da Gibson no YouTube, ele admitiu:

“Muitas das coisas que eles fizeram, vendo eles terem sucesso… poderia ter sido qualquer coisa. Eles poderiam ter parado de tocar metal e começarem a fazer Twinkies e eu ficaria com inveja, porque éramos amigos e, do nada, não éramos mais.

Eu só sabia que queria continuar fazendo o que estávamos fazendo juntos, porque fazemos as pessoas felizes. Era como se fôssemos especiais – e eu nunca me senti especial antes na minha vida até então.”

Hoje, Mustaine enxerga toda a trajetória de sucesso do Metallica com outros olhos.

“Fico feliz em dizer que nossa amizade hoje é muito diferente daquele momento. Somos todos diferentes. Somos pais. Estamos mais velhos agora. A coisa mais chocante e mais difícil de tolerar ou aceitar no final, foi que, quando fui dispensado, meio que senti que eu parei.

Sei que não é verdade. Mas é o que um jovem pensa na hora. Eu não tinha mentores, não tinha ninguém falando comigo durante minha vida e dizendo: ‘você vai superar isso, você vai ser muito mais feliz por causa disso’.”

Leia também:  A curiosa razão pela qual Andre Matos queria tirar Kiko Loureiro do Angra

Relação atual

Em entrevista, também recente, ao podcast “Let There Be Talk”, o guitarrista Kirk Hammett, que substituiu Dave Mustaine no Metallica, detalhou como é a relação entre ambas as partes nos dias de hoje. Ele confirmou: não há mais tretas, especialmente após eles terem tocado juntos em um show que celebrou os 30 anos do grupo, em 2011.

“Quando trouxemos (o baixista original) Ron McGovney e Dave Mustaine para esses shows, algo aconteceu e melhorou muito nossa relação com aqueles caras – especialmente com Dave. Após esses shows, a atitude de Dave diante de nós mudou completamente. Ficou muito, muito melhor.”

Hammett acredita que Mustaine “encontrou um tipo de encerramento ao subir no palco e tocar com o Metallica”.

“Lembro de agir tipo: ‘Dave, toque o que quiser, pode fazer todos os solos que assumo as bases’. E ele me olhou… ficou tipo: ‘ok’. Ele não esperava ouvir aquilo de mim.

Lembro de chegar perto dele no show, ele destruindo em um solo enquanto eu tocava a base, foi um grande momento para nós dois. De repente, toda aquela energia ruim, toda aquela cisma, tudo aquilo não importava mais. Como resultado disso, seguimos amigos. A turnê do Big 4 foi ótima para estabelecer aquela parceria e mostrou a todos nós que somos pessoas que apenas amam esse tipo de som, têm paixão por tocá-la e levam essa paixão por todo lugar.”

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA opinião de James Hetfield sobre Dave Mustaine, seu ex-colega de Metallica
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma banda que tinha Mustaine e Cliff Burton seria a maior de todos os tempos no que tange à técnica! Claro, acredito que, se o Cliff estivesse vivo, o Metallica não teria flertado com estilos duvidosos, ou até mesmo não continuasse na banda após o …And Justice! Mas que seria bom de se ver, ah sim!, seria!

  2. Seria bom o grande The Smiths voltar a amizade, algo que acho impossível, pois o vocalista Morrisey é muito polêmico. E o guitarrista andou retrucando algumas coisas que ele disse. Uma turnê teria em poucas horas todos os ingressos esgotados. Acho engraçado o Pink Floyd, já se ofenderam e depois fizeram turnê juntos, porque sabem que dá muito dinheiro.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades