Foto: Renan Olivetti / I Hate Flash / Flickr Rock in Rio

Rock in Rio 2021 está mantido para setembro e outubro, dizem organizadores

A organização do Rock in Rio divulgou um comunicado nas redes sociais para declarar que as datas da edição 2021 do festival estão mantidas. Inicialmente, o evento está marcado para acontecer nos dias 24, 25, 26 e 30 de setembro e 1°, 2 e 3 de outubro, na Cidade do Rock, Rio de Janeiro.

A organização do Rock in Rio divulgou um comunicado nas redes sociais para declarar que as datas da edição 2021 do festival estão mantidas. Inicialmente, o evento está marcado para acontecer nos dias 24, 25, 26 e 30 de setembro e 1°, 2 e 3 de outubro, na Cidade do Rock, Rio de Janeiro.

Leia, a seguir, a nota na íntegra:

“É com muita atenção que acompanhamos a situação sanitária em nosso país e no mundo. Sabemos o quanto é importante seguir os protocolos de segurança e nos solidarizamos com todos que perderam pessoas queridas, vítimas da Covid-19.

É também, com muita esperança, que estamos vendo o progresso das vacinas e confiantes na possibilidade de realizar o festival em 24 de setembro, caso as condições sanitárias e de saúde se confirmem seguras para todos: público, artistas e equipe. Para que isso aconteça, estamos fazendo nossa parte. Continuamos trabalhando diariamente para viabilizar o evento, gerando empregos e trazendo esperança não só para as pessoas, mas para o setor de eventos, tão impactado pela pandemia.

Seguimos fortes, planejando o festival e anunciando bandas, que também acreditam que os eventos voltarão de forma segura em um futuro próximo. É o que todos nós do Rock in Rio acreditamos. Será o momento da grande celebração e da retomada do mundo como nosso outra vez.”

Anteriormente, dois jornalistas publicaram que o Rock in Rio 2021 seria adiado: José Norberto Flesch, em seu canal de YouTube, e Leonardo Torres, do site ‘Popline‘.

Conforme publicado pelo ‘Popline’, tanto a edição brasileira quanto a de Portugal, marcada para os dias 19, 20, 26 e 27, devem ser adiadas. O motivo, claro, tem a ver com a pandemia do novo coronavírus e a demora na vacinação.

José Norberto Flesch foi além e revelou quando o Rock in Rio será realizado no Brasil. A edição do evento está prevista para novembro e dezembro de 2021, ainda sem datas específicas agendadas.

A princípio, segundo o jornalista, as atrações confirmadas para o Rock in Rio 2021 devem ser mantidas. Caso alguém desmarque, será por incompatibilidade de agendas.

Iron Maiden, Dream Theater, Megadeth, Sepultura + Orquestra Sinfônica Brasileira e Living Colour + Steve Vai são as atrações confirmadas, até o momento, para o Rock in Rio 2021. Todos eles estão previstos para 24 de setembro, o então primeiro dia de festival, o que comporia o “dia do metal”.

Para os outros dias de evento, Flesch já havia informado que Post Malone, Queen + Adam Lambert, Khalid, Avril Lavigne, Marshmello e Justin Bieber fariam parte do line-up. Essas atrações ainda não foram anunciadas oficialmente pelo evento. O DJ Alok, confirmado ainda em 2019, também estará na escalação.

Rock in Rio 2021, pandemia e vacinação

Foto: Wesley Allen / I Hate Flash / Flickr Rock in Rio

O colunista Ancelmo Gois, do jornal “O Globo”, publicou recentemente que a organização do Rock in Rio estava na expectativa de que 50% da população brasileira estaria vacinada contra o coronavírus até setembro. Gois informou, na ocasião, que Post Malone seria anunciado para o line-up do evento nos próximos dias.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o criador do Rock in Rio, Roberto Medina, afirmou que existe a possibilidade de construir uma ideia de “festival sanitariamente responsável” caso a vacinação atrase por aqui. Uma reportagem também do “Estadão” aponta que o governo federal estima imunizar toda a população brasileira até a metade de 2022.

“Sim, existe (o conceito de um festival sanitariamente responsável). Vamos fabricar muitas máscaras, distribuir álcool em gel e seguir os protocolos”, declarou, inicialmente, revelando o planejamento do Rock in Rio para ocorrer, de fato, em 2021.

O idealizador do festival destacou, ainda, que o “poder da música” pode ser usado “para chegar a um lugar que as autoridades não chegam com essas plateias”. “Podemos fazer essa discussão com mais eficiência”, disse o empresário, sem detalhar como esse debate aconteceria.

A perspectiva de Roberto Medina para tirar do papel o Rock in Rio 2021 é, conforme apontado pela reportagem, “convencer um mundo em colapso pandêmico de que um festival de rock será, mais do que diversão, uma necessidade em 2021”. “As pessoas estarão cansadas, elas vão precisar muito disso. Só precisam ser responsáveis”, declarou o presidente da organização do evento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
0
Share