Mike Portnoy não queria Dream Theater tretado como Pink Floyd ou Genesis

Baterista diz ter aprendido com exemplo negativo dado por seus próprios ídolos ao refletir sobre seu retorno à banda

O rompimento entre Mike Portnoy e Dream Theater, em 2010, acarretou no momento de maior fragilidade da banda. Mesmo com a competência do substituto Mike Mangini, a saída de Portnoy representava a perda de um membro fundador e uma grande liderança interna.

A separação durou 13 anos: em outubro do ano passado, o músico teve seu retorno ao grupo anunciado. E eles não estão perdendo tempo: já estão em estúdio gravando um novo álbum, ainda sem data para ser lançado, e anunciaram uma turnê que celebra os 40 anos de atividade.

- Advertisement -

Em entrevista à Rolling Stone, Mike e o guitarrista John Petrucci refletiram sobre como a reunião pode servir como uma cura para uma banda “fraturada”. O baterista, inicialmente, reconheceu não apenas a passagem do tempo, como também apontou uma lição aprendida com seus ídolos — ainda que no sentido do que não fazer.

“Não quero ser excessivamente filosófico sobre isso, mas estamos todos envelhecendo. Aqui estamos nós, em nossos 50 e 60 anos. Então, você começa a pensar na realidade de: ‘Quanto tempo nos resta?’. Eu odiaria se isso se tornasse uma situação como a de Roger Waters com o Pink Floyd, ou de Peter Gabriel com o Genesis, onde os fãs querem (uma reunião), mas isso nunca acontece.”

Petrucci, por sua vez, admitiu que foi traumático perder Portnoy àquela altura. Apesar disso, o período afastado também teve a função de “cura”.

“Quando Mike saiu da banda, foi traumático para todos nós. Tínhamos que descobrir como iríamos levar nossa carreira adiante. E aqueles anos que se passaram também foram anos de cura, porque não é tão simples algo assim acontecer e, de repente, todos voltarem a ser melhores amigos uma semana depois. Há algum trauma aí que precisa ser curado. Treze anos foi tempo suficiente para isso acontecer e ficar tipo: ‘Ei, quer saber, cara? Nos amamos como se fôssemos irmãos’.”

Sobre a turnê de 40 anos

O Dream Theater anunciou, nesta segunda-feira (8), uma turnê celebrando seus 40 anos de carreira. Chamada “40th Anniversary Tour 2024-25”, a série de shows começará no próximo mês de outubro, em Londres, na Inglaterra, e deve estender-se até o ano seguinte. 

Leia também:  O melhor álbum de todos os tempos, segundo Joe Perry

No caso, a etapa europeia acaba em novembro, nos Países Baixos. O itinerário em outros continentes ainda não foi divulgado.

Será a primeira excursão desde a volta do baterista Mike Portnoy, oficializada em outubro do ano passado. Até então, a última apresentação com o integrante havia ocorrido em agosto de 2010, durante o Summersonic Festival, no Japão.

Sendo assim, à Rolling Stone, o músico revelou que a primeira data deve ser carregada de emoção, diante do simbolismo:

“Esperamos que o primeiro show seja uma experiência emocional, não apenas para nós. mas para todos na plateia. Tenho a sensação de que pessoas do mundo inteiro estarão presentes no nosso primeiro show de volta juntos. É assustador porque, em circunstâncias normais, é preciso de um monte de shows para recuperar o ritmo. Mas, nesse caso, precisamos começar bem. Esse primeiro show será analisado minuciosamente no YouTube. Não podemos errar. A pressão continua.”

A própria banda também destacou a empolgação em comunicado publicado nas redes sociais:

“Temos o prazer de anunciar a etapa europeia da nossa turnê de aniversário de 40. Essa turnê será incrivelmente especial para todos nós.” 

40th Anniversary Tour 2024-25 – Europa

  • 20 de outubro – Londres, Inglaterra, The O2
  • 22 de outubro – Berlim, Alemanha, Uber Eats Music Hall
  • 23 de outubro – Colônia, Alemanha, Palladium
  • 25 de outubro – Milão, Itália, Fórum
  • 26 de outubro – Roma, Itália, Palazzo dello Sport
  • 28 de outubro – Munique, Alemanha, Zenith
  • 29 de outubro – Zagreb, Croácia, Arena Zagreb
  • 1º de novembro – Budapeste, Hungria, Budapest Arena
  • 2 de novembro – Praga – República Tcheca, Fortuna Arena
  • 3 de novembro – Lodz, Polônia, Atlas Arena
  • 6 de novembro – Helsinque, Finlândia, Metro Areena
  • 8 de novembro – Estocolmo. Suécia, Waterfront
  • 9 de novembro – Oslo, Noruega, Spektrum
  • 10 de novembro – Copenhague, Dinamarca, Poolen
  • 12 de novembro – Luxemburgo, Rockhal
  • 13 de novembro – Zurique, Suíça, The Hall
  • 14 de novembro – Lyon, França, Halle Tony Garnier
  • 16 de novembro – Lisboa, Portugal, MEO Arena
  • 17 de novembro – Madrid, Espanha, La Cubierta de Leganés
  • 20 de novembro – Stuttgart, Alemanha, Beethovensaal
  • 21 de novembro – Frankfurt, Alemanha, Jahrhundderthalle
  • 23 de novembro – Paris, França, Adidas Arena
  • 24 de novembro – Amsterdã, Países Baixos, AFAS Live
Leia também:  Matt Sorum mudou sua visão sobre ausência da reunião do Guns N’ Roses

Mike Portnoy e Dream Theater

O Dream Theater anunciou em outubro passado o retorno do baterista Mike Portnoy, após estar fora desde 2010. Um comunicado divulgado à imprensa e também compartilhado nas redes sociais trouxe declarações dos músicos envolvidos na situação — incluindo de Mike Mangini, agora ex-integrante do grupo.

Conversando com o canal Drumeo, o membro fundador explicou como ocorreu sua volta ao grupo. Em suas palavras, após uma reaproximação gradual, retomou o contato coletivo em 2022 e foi como se o tempo não tivesse passado.

“Voltei a trabalhar com John (Petrucci, guitarrista) em sua carreira solo. Depois, nos reunimos com Jordan (Rudess, tecladista) para mais um álbum do Liquid Tension Experiment. Parecia que tudo estava começando a se encaixar no nível pessoal e depois no musical também.”

Havia, por fim, uma última rusga a ser sanada: com o vocalista. Ele continuou:

“Acho que a peça final foi eu me reconectar com James LaBrie, porque não nos falávamos há mais de uma década. Fui ver o show em Nova York em 2022 e foi a primeira vez que nos encontramos em mais de uma década. Cinco segundos depois de nos vermos foi enorme, estávamos aos beijos. Foi como se qualquer drama e besteira que aconteceu durante todos esses anos de separação, simplesmente desaparecesse imediatamente.”

Mais recentemente, eles anunciaram ter iniciado as gravações de um novo álbum. Será o primeiro com Portnoy desde “Black Clouds & Silver Linings” (2009).

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesMike Portnoy não queria Dream Theater tretado como Pink Floyd ou Genesis
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades