Jairo Guedz não foi convidado para assistir show do Sepultura em BH

Anteriormente, guitarrista havia publicado texto emocionado sobre o encerramento das atividades da banda

O guitarrista Jairo Guedz concedeu entrevista onde falou sobre o fato de não ter sido sequer convidado para o show do Sepultura em Belo Horizonte, na abertura da turnê de despedida “Celebrating Life Through Death”.

O músico que participou dos primeiros lançamentos da banda havia publicado uma emotiva homenagem ao grupo ainda em fevereiro, antes de o giro ter início. A primeira perna nacional foi encerrada no último final de semana, com shows em Porto Alegre (confira resenha clicando aqui), Curitiba e Florianópolis, pela ordem.

- Advertisement -

Disse o músico ao Rockast, conforme transcrição do Whiplash:

“Pra ser sincero, Henrique [Inglez de Souza, apresentador do canal], eu não fui nem chamado pra tocar no show de BH [Belo Horizonte]. Não fui chamado nem pra ir no show, na verdade (…). Eu tava viajando, quando eu cheguei, o pessoal da produção falou assim: ‘Cara, não tem um ingresso em Belo Horizonte. Não tem nem na mão de cambista, todo mundo já comprou, tá lotado e não tem ingresso’.”

O artista manteve a expectativa, confiando que seria lembrado pelos amigos.

“Eu falei: ‘Então não vou nem comprar ingresso, vou esperar os caras me chamarem, é claro que vai acabar rolando e tudo’. E aí não recebi o convite, cara, e eu falei assim: ‘Não tem como ir, eu não vou ligar pros caras, pedindo pra ir. Nada a ver, não quero encher o saco dos caras nessa hora’. Primeiro show da turnê, Eloy saiu nos 45 do segundo tempo, os caras com baterista novo, eu não vou encher o saco deles com isso.”

Ainda assim, Jairo deixa claro que a possibilidade de uma presença futura segue em aberto.

Leia também:  A curiosa sensação de Josh Freese ao entrar para o Foo Fighters

“Quando eles quiserem, eles me chamam e eu vou. E acabou que rolou o show em BH e eu não fui. Mas, se eu tivesse a oportunidade de ir, ou convite pra tocar alguma coisa, ou a minha banda abrindo, seria um prazer, pra mim seria um prazer.”

A carta de Jairo Guedz para o Sepultura

No dia 27 de fevereiro último, Jairo publicou um texto em seu Instagram refletindo sobre o fim do Sepultura. A postagem foi ilustrada com sua versão em LP do álbum “Schizophrenia” (1987), gravado por seu substituto, Andreas Kisser. Nela, os quatro integrantes da formação mais bem-sucedida do grupo escreveram dedicatórias ao amigo, que foram destacadas nas imagens.

Dizia o texto da postagem:

“Sempre que revisito minha coleção de álbuns do SEPULTURA eu sinto um imenso orgulho da banda que começamos lá atrás, em 1984/85 e daquilo que essa banda se tornou – um ícone do Heavy Metal mundial! O SEPULTURA levou pros 4 cantos do planeta o nome do Brasil, ultrapassando em alguns lugares o nome do próprio futebol e em vários outros, o nome da MPB, do samba, do Carnaval…deixou de ser apenas uma banda pra se tornar símbolo da possibilidade de conquista de um ‘lugar ao sol’ pra muitos artistas brasileiros, dos confins da Floresta Amazônica aos barracos e periferias das grandes cidades…inúmeros metaleiros e artistas já pensaram ‘Agora é possível! Vou continuar correndo atrás do meu sonho!’ Eu vou me sentir um pouco órfão com certeza, após essa decisão de encerrar os trabalhos da banda, mas além do respeito por eles terem tomado essa decisão, eu reafirmo meu respeito e amor por essa banda que mudou, não apenas toda a linha da minha vida, mas a forma como o mundo passou a enxergar a música vinda do Brasil. Desejo a todos do SEPULTURA e em seus novos caminhos, muita paz, muita saúde e muitas realizações. Do ex-membro, amigo, fã e ‘irmão mais velho’. Meu eterno OBRIGADO!”

Novo álbum do The Troops of Doom

O The Troops of Doom, banda de Guedz, lança o álbum “A Mass To The Grotesque” no próximo dia 31 de maio. O trabalho conta com 11 faixas em seu tracklist. As gravações aconteceram no estúdio Audio Porto, em Porto Alegre.

Leia também:  Tradição e vanguarda dão o tom do Pearl Jam em “Dark Matter”

O produtor é o multi-instrumentista e compositor André Moraes. Ele trabalhou com o Sepultura na trilha do filme “Lisbela e o Prisioneiro” (2003), além do disco “Dante XXI” (2006), último a contar com Iggor Cavalera na bateria. A distribuição internacional acontecerá através do selo Alma Mater Records, de Fernando Ribeiro, vocalista do Moonspell.

Além de Jairo, a formação conta com o baterista Alexandre Oliveira, o guitarrista Marcelo Vasco e o baixista e vocalista Alex Kafer. O grupo é atração confirmada no Summer Breeze Brasil 2024, que acontece nos dias 26, 27 e 28 de abril no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasJairo Guedz não foi convidado para assistir show do Sepultura em BH
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades