A curiosa razão pela qual o Alice in Chains não queria fazer o “MTV Unplugged”

Fora dos palcos há mais de 2 anos, banda tinha restrições com relação ao formato, que, em sua visão, já havia sido adotado por outros colegas de cena

No dia 10 de abril de 1996, o Alice in Chains fez um show histórico na Brooklyn Academy of Music, nos Estados Unidos, como parte da série “MTV Unplugged”. Como pede o quadro, a banda dispensou o peso das guitarras para apostar na sutileza dos violões.

A apresentação seria, infelizmente, uma das últimas com Layne Staley. O vocalista faleceu em 2002, aos 34 anos – e a partir de 1996, tornou-se muito recluso devido ao vício em drogas.

- Advertisement -

Embora tenha feito um dos shows mais aclamados da história “MTV Unplugged”, o Alice in Chains quase recusou a oferta para se apresentarem no quadro. O motivo, curiosamente, não tem a ver com a saúde de Staley, que já se deteriorava naquela época.

Em entrevista de 2021 à Kerrang!, o guitarrista Jerry Cantrell contou que ele e seus colegas achavam que o formato de show acústico da MTV já estava desgastado. Especialmente na cena grunge, quase todas as bandas conhecidas chegaram a se apresentar em modo “desplugado” para a emissora, como Nirvana, Pearl Jam e Stone Temple Pilots. Soma-se ainda o fato de que o Alice in Chains não subia a um palco, naquela ocasião, há 2 anos e meio.

“Nós pensávamos: ‘Com todo o respeito, mas isso já não foi feito por todo mundo? Não precisamos disso’.”

Ele contou que, na verdade, o Alice in Chains chegou a recusar as primeiras ofertas feitas pela MTV. “Um bom punhado de vezes”, em suas palavras. Em dado momento, os caras acabaram reconsiderando e toparam fazer o show.

Leia também:  As duas ocasiões em que Slash foi considerado para entrar no Stone Roses

Formato acústico combinou

O formato acústico caía bem para a banda e todos sabiam disso. Os EPs “Sap” (1992) e “Jar of Flies” (1994), onde trocam guitarras por violões, atestavam essa proficiência pelos instrumentos desplugados.

Apesar disso, Cantrell também sabia que fazer um show para o “MTV Unplugged” não seria nada fácil.

“Não há rede de segurança (em um show acústico), então, é bom que suas músicas sejam muito boas. Ao ‘ferver’ a canção, você tem acesso ao coração dela, sem todos os sinos e assobios. Se ainda soa bem, você fez um bom trabalho.”

A gravação do show rendeu um álbum e um vídeo ao vivo, também intitulados “MTV Unplugged”.

“As pessoas dizem que esse é o disco favorito delas do Alice in Chains – e isso é legal! Cada disco que faço é o favorito de alguém. Há grupos de fãs que preferem o material mais pesado, mas há quem prefira nossa parte mais acústica.”

Alice in Chains e “MTV Unplugged”

O “MTV Unplugged” do Alice in Chains foi gravado em 10 de abril de 1996, no teatro Majestic da Brooklyn Academy of Music. Foi lançado em CD em 30 de julho do mesmo ano, ganhando o formato em VHS dia 8 de outubro.

Leia também:  Andreas Kisser diz que metal é um dos estilos com maior representatividade feminina

O repertório trouxe não apenas hits como, também, canções menos conhecidas do grupo. Não há, porém, faixas inéditas no material — “The Killer is Me” foi executada, mas não entrou na transmissão original, somente em relançamentos. A versão de “Over Now” foi disponibilizada como single.

A gravação em áudio chegou ao 3º lugar da parada americana. Vendeu mais de 2 milhões de cópias no país, o que rendeu certificação de platina dupla. Além disso, conquistou disco de ouro na Austrália e no Canadá, bem como prata no Reino Unido.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA curiosa razão pela qual o Alice in Chains não queria fazer...
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

2 COMENTÁRIOS

    • Era, mas não entrou na transmissão original, nem na versão inicial do álbum/vídeo. A ausência de inéditas se referia ao lançamento do material. De toda forma, fizemos o acréscimo. Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades