Duff McKagan redescobriu violão durante a pandemia: “reduziu ataques de pânico”

Em entrevista, baixista do Guns N' Roses afirma que encontrou refúgio no instrumento durante a pandemia de Covid-19

Duff McKagan tem sido bastante transparente com relação a saúde mental nos últimos anos. Em 2020, durante uma entrevista a Lily, filha de Chris Cornell, para a série Mind Wide Open, ele contou que tem ataques de pânico desde os 16 anos.

Na ocasião, o baixista até falou sobre como o guitarrista Slash, seu parceiro de Guns N’ Roses, o ajuda em momentos de crise e se tornou uma espécie de figura de segurança para ele.

“Eu disse a Slash que tenho esses ataques de pânico. Ele me ouviu e disse: ‘ok, se voltar a acontecer, lidaremos com isso’. Já passei por muita coisa ao lado dele, e ele sabe que o melhor é falar comigo sobre qualquer coisa que não seja o ataque de pânico. Ele começa a falar coisas, tipo: ‘aí, no primeiro disco do Led Zeppelin, você já reparou que eles fizeram tal coisa?’.”

- Advertisement -

Agora, em entrevista à Guitar World, Duff voltou a falar sobre o assunto. De acordo com o músico, a pandemia de Covid-19 provocou uma “redescoberta” o violão – e voltar a tocar o instrumento o ajudou a em suas crises.

“Acho que descobri meu violão como um refúgio por causa da Covid. Muitas coisas aconteceram durante a pandemia, onde o mundo simplesmente parou, e as pessoas descobriram muitas coisas. Acho que todos nós fizemos isso. Descobri que meu violão é um refúgio sério para parar o ataque de pânico, para diminuí-lo. Tenho algumas ferramentas para fazer isso, mas essa é a minha favorita no momento.”

Luta contra o alcoolismo

Ainda durante a entrevista, Duff McKagan relembrou que, na juventude, recorreu ao álcool para lidar com os ataques de pânico. Chegava a consumir quase 5 litros de vodca por dia; depois, passou a beber dez garrafas de vinho diariamente enquanto “tentavadar uma diminuída”.

“Descobri o álcool como um mecanismo de enfrentamento não muito depois de começar a ter ataques de pânico. Faz todo sentido o porquê. Minha banda estava decolando e eu estava tendo ataques de pânico. Não tive ajuda externa. Eu não tinha nada, exceto uma garrafa.”

Os excessos cobraram o preço quando McKagan tinha 30 anos: ele parou no hospital com uma crise de pancreatite aguda por causa de seu consumo excessivo de bebidas alcoólicas. À BBC, em 2011, o baixista disse que foi naquele momento que decidiu ficar sóbrio – não só pela saúde, mas para agradar a mãe.

“Sou o último de oito filhos. Minha mãe veio ao hospital. Ela tinha Parkinson e seu filho mais jovem estava em um hospital com tubos entrando e saindo dele. Eu estava à beira da morte e sabia que a ordem das coisas estava absolutamente errada.”

Duff McKagan atualmente

Em maio último, Duff McKagan lançou um EP solo intitulado como “This is the Song”. O trabalho, que conta com três músicas inéditas, faz uma homenagem ao Mês da Conscientização da Saúde Mental nos Estados Unidos.

Leia também:  Kid Rock é acusado de colocar arma no rosto de repórter durante entrevista

A faixa-título do EP foi escrita em meio a um ataque de pânico e lançada com um vídeo contendo uma mensagem sobre saúde mental. Já a música “It Can’t Come Too Soon” é inspirada em uma colaboração de Duff McKagan com Sam Cooker. “Pass You By” surgiu após uma experiência vivenciada quando o músico estava andando de motocicleta no interior do noroeste do Pacífico com um amigo.

O Guns N’ Roses de McKagan está em uma nova turnê mundial. Ainda não há informações se a tour passará ou não pelo Brasil. Vale lembrar que, em 2022, o Guns realizou um total de 10 shows no país, passando por Manaus, Recife, Goiânia, Belo Horizonte, Ribeirão Preto, Florianópolis, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Leia também:  “Rumours”, novo filme de Cate Blanchett, teve nome inspirado no Fleetwood Mac

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasDuff McKagan redescobriu violão durante a pandemia: “reduziu ataques de pânico”
Letícia Höfke
Letícia Höfkehttps://igormiranda.com.br/
Letícia Höfke é jornalista, formada pela PUC-Rio, e escritora com três livros publicados até o momento. Já trabalhou no SBT Games, no Caderno B do Jornal do Brasil e no Clube do Videogame. Letícia ama música e é muito fã de rock e metal desde a adolescência.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades