Do abuso ao mosh: “Sex Type Thing”, a polêmica música do Stone Temple Pilots

Canção anti-estupro escrita sob a ótica de um estuprador atraiu ainda mais críticas à banda no início da carreira

O Stone Temple Pilots era uma banda que colecionava polêmicas. Críticos no início da carreira os odiavam por ver o grupo como uma cópia ruim de artistas grunge e o vocalista Scott Weiland era comparado desfavoravelmente a Eddie Vedder e Kurt Cobain. Uma das músicas mais responsáveis por chamar atenção negativa ao conjunto foi “Sex Type Thing”.

Composta sob o ponto de vista de um estuprador, a faixa do álbum de estreia do grupo, “Core” (1992), foi composta como uma denúncia da mentalidade masculina, tal qual “Polly” serviu o mesmo propósito ao Nirvana em “Nevermind”. Porém, a imprensa não deu a mesma colher de chá ao Stone Temple Pilots e interpretou a letra como literal.

- Advertisement -

Durante uma entrevista para a Rolling Stone em 1993, Weiland falou sobre sua insatisfação de ter sido arrastado para uma polêmica fajuta:

“Era como: ‘Certo, a polêmica de ‘Cop Killer’ [single do Body Count que atraiu controvérsia por pregar a morte de policiais violentos e racistas], vamos tentar encontrar outra coisa’… Eu nunca pensei que pessoas pensariam seriamente que eu era um apoiador de estupro.”

Stone Temple Pilots e “Sex Type Thing”

O problema é que as pessoas ou interpretavam a letra literalmente ou nem ligavam pra ela. Numa entrevista à Spin em 2011 (via Ultimate Classic Rock), Scott Weiland falou sobreseu incômodo com fãs completamente alheios ao significado da canção, mais interessados nos riffs pesadose formar rodinhas:

“A história sobre ser uma canção anti-estupro era bem conhecida, mas tiveram alguns shows onde eu estava vestindo um vestido de avó dos anos 60, e esses brutamontes enormes estavam fazendo mosh. Eles sequer notaram a mensagem na música… Então me entristece quando vejo pessoas fazendo rodinha durante a canção. É basicamente o oposto do que tínhamos em mente quando a compomos.”

No fim das contas, o Stone Temple Pilots conseguiu transcender as acusações de serem posers e a polêmica com “Sex Type Thing”, se estabelecendo como uma das bandas americanas mais populares dos anos 90. Contudo, a fala sobre rodinhas de Scott Weiland provavelmente valeu para o cantor até sua morte, em 2015, e segue válida para os fãs até os dias de hoje.

Leia também:  Jake E. Lee disse a Bruce Dickinson que “esgrima é meio gay” e quase se encrencou

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesDo abuso ao mosh: “Sex Type Thing”, a polêmica música do Stone...
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades