Genesis fará o último show de sua carreira neste sábado (26)

Apresentação conclui a turnê “The Last Domino?”, que marcou reencontro de Phil Collins, Tony Banks e Mike Rutherford e também deve selar despedida

A carreira do Genesis chega ao fim no próximo sábado, 26 de março de 2022. O show na O2 Arena, em Londres, encerra a “The Last Domino?”, turnê que marcou o reencontro de Phil Collins, Tony Banks e Mike Rutherford.

É sabido que o lugar comum de bandas que anunciam suas despedidas é acabar retornando em algum momento. Porém, as idades avançadas do trio e principalmente os constantes problemas de saúde do vocalista e antigo baterista são um obstáculo forte no caminho. Phil tem se apresentado sentado e vem sendo substituído pelo filho, Nic Collins – que também toca em sua banda solo.

Em setembro do ano passado, o músico revelou uma frustração à BBC:

“Adoraria fazer um duo de bateria com meu filho nos shows do Genesis. Mas a verdade é que mal consigo segurar uma baqueta atualmente.”

O setlist básico dos concertos recentes contam com o repertório listado abaixo.

Repertório do Genesis em seus últimos shows

Set 1

  1. Behind the Lines / Duke’s End (do álbum Duke, 1980)
  2. Turn It On Again (Duke, 1980)
  3. Mama (Genesis, 1983)
  4. Land of Confusion (Invisible Touch, 1986)
  5. Home by the Sea (Genesis, 1983)
  6. Second Home by the Sea (Genesis, 1983)
  7. Fading Lights (We Can’t Dance, 1991)
  8. The Cinema Show (Selling England By the Pound, 1973)
  9. Afterglow (Wind & Wuthering, 1976)

Set acústico

  1. That’s All (Genesis, 1983)
  2. The Lamb Lies Down on Broadway (The Lamb Lies Down On Broadway, 1973)
  3. Follow You Follow Me (And Then There Were Three, 1978)

Set 2

  1. Duchess (Duke, 1980)
  2. No Son of Mine (We Can’t Dance, 1991)
  3. Firth of Fifth (Selling England By the Pound, 1973)
  4. I Know What I Like (In Your Wardrobe) (Selling England By the Pound, 1973)
  5. Domino (Invisible Touch, 1986)
  6. Throwing It All Away (Invisible Touch, 1986)
  7. Tonight, Tonight, Tonight (Invisible Touch, 1986)
  8. Invisible Touch (Invisible Touch, 1986)

Bis

  1. I Can’t Dance (We Can’t Dance, 1991)
  2. Dancing With the Moonlit Knight (Selling England By the Pound, 1973)
  3. The Carpet Crawlers (The Lamb Lies Down On Broadway, 1973)

Fãs saudosistas do período mais progressivo, com Peter Gabriel nos vocais, sentirão falta de outros sons dos anos 1970. Mas desde que se tornou um fenômeno pop na década seguinte, o grupo desconsiderou boa parte de sua obra nesta era. Então, não dá para dizer que é realmente uma surpresa.

Além da dinastia Collins, Rutherford e Banks, a formação atual conta com o guitarrista e baixista Darryl Stuermer, que acompanha a banda desde 1977. Daniel Pearce e Patrick Smyth fazem backing vocals.

A pandemia impediu maiores viagens, o que concentrou a excursão na América do Norte e Europa. Com isso, o grupo conclui sua história tendo passado apenas uma vez pelo Brasil, em maio de 1977. A visita contou com dois shows em Porto Alegre, quatro no Rio de Janeiro e seis em São Paulo. À época, o ainda quarteto contava com o guitarrista Steve Hackett e divulgava “Wind & Wuthering”, seu oitavo álbum de estúdio.

O Genesis se despede 55 anos após seu surgimento, com 15 álbuns de estúdio e mais de 150 milhões de discos vendidos em todo o planeta.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
146
Share