Foto: Luuk Wouters / Unsplash

Por que o Dia Mundial do Rock só é comemorado no Brasil

Embora tenha “Mundial” no nome, data não é celebrada em outros países fora o nosso

Praticamente todo brasileiro fã de rock já memorizou que 13 de julho é o Dia Mundial do Rock. O que nem todo mundo sabe é que a celebração, apesar de levar “Mundial” no nome, só acontece mesmo no Brasil.

A origem da data vem de 1985, mas o dia só começou a ser comemorado no país durante a década de 1990 – e por aqui ficou, sem ser lembrada em nenhum outro lugar do mundo.

O dia 13 de julho de 1985 marca a realização do Live Aid, festival beneficente de música que aconteceu simultaneamente nos Estados Unidos e no Reino Unido. Organizado por Bob Geldof, o evento tinha o objetivo de levantar fundos para o combate à fome em países da África.

Os palcos ficavam no estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra, e no estádio John F. Kennedy, na Filadélfia, Estados Unidos. As apresentações foram transmitidas pela TV para o mundo todo.

Shows históricos no Live Aid e a sugestão de Phil Collins

Entre os artistas que tocaram no Live Aid, estiveram Queen (em apresentação histórica), Elton John, U2, David Bowie, The Who, B.B. King, Judas Priest, Madonna, Duran Duran, Bob Dylan e Black Sabbath, em reunião da formação original.

Naquela ocasião, apenas um artista conseguiu se apresentar ao vivo nos dois palcos: Phil Collins, que tocou com o Led Zeppelin nos Estados Unidos e com Eric Clapton na Inglaterra, entre outros artistas. E foi do baterista e vocalista do Genesis, também responsável por fazer sets solo nos dois países, que partiu a ideia de celebrar o rock em uma data específica.

Em uma de suas aparições, o músico sugeriu, despretensiosamente, que o dia 13 de julho ficasse marcado como o Dia Mundial do Rock. Além de transmitida, a fala foi citada por veículos de imprensa que faziam a cobertura, porém, caiu em esquecimento – exceto no Brasil, onde foi relembrada no início da década de 1990.

Enquanto isso, nas ondas do rádio…

Duas rádios brasileiras se destacavam entre o público de rock dos mais diversos subgêneros na década de 1990: a 89 FM e a 97 FM. Em suas programações, ambas as estações começaram a relembrar a tal fala de Phil Collins durante o Live Aid, anos antes.

Dessa forma, nasceu a data, que acabou caindo no gosto do brasileiro e é muito lembrada até hoje – apesar de muitos não saberem que se trata de um fenômeno exclusivamente nacional.

Fora do Brasil, existem propostas para a criação de um Dia Mundial do Rock. Nenhuma delas tem a ver com o dia 13 de julho, com o Live Aid ou com Phil Collins.

Dia Mundial do Rock: as alternativas

Há três datas cogitadas e até consideradas por parte dos fãs de rock pelo mundo afora para se celebrar uma data dedicada ao gênero, por assim dizer.

A primeira é até próxima da data brasileira: 5 de julho. O motivo seria o aniversário da gravação de “That’s All Right”, composição de Arthur Crudup, por Elvis Presley e dois músicos de apoio: o guitarrista Scotty Moore e o baixista Bill Black.

A segunda opção seria o dia 9 de fevereiro, data da primeira apresentação dos Beatles nos Estados Unidos, no programa de Ed Sullivan, em 1964. Considera-se, nessa ocasião, o início da chamada “Beatlemania” e a consolidação do rock no país.

Os americanos, por sinal, têm uma terceira opção de data, voltando ao mês de julho, no dia 9. Nesse caso, a celebração teria como base a estreia do programa de TV American Bandstand, apresentado por Dick Clark, considerado um dos maiores responsáveis pela popularização do rock no país em seus primeiros anos de existência.

1 comentário
  1. Bobagem. Se há uma data sobre a origem do “roque” a ser considerada, terá obrigatoriamente que fazer referência à mãe do rock, Sister Rosetta Tharpe, que em 1938 já era famosa nesse estilo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
156
Share