7 álbuns vencedores do Grammy 2021 que você deveria ouvir

O Grammy perdeu credibilidade há tempos, mas sua lista de indicados ainda é uma fonte interessante para conhecer artistas e álbuns novos. Dessa forma, selecionei 7 discos que venceram algum troféu na edição 2021 para recomendar a você.

O incidente envolvendo o cantor The Weeknd e o Grammy 2021 mostra que a premiação já perdeu relevância há um bom tempo. Fora o fan service a admiradores de determinados artistas – geralmente americanos -, serve para pouca coisa.

Uma dessas utilidades é descobrir alguns artistas e bandas atuais que, seja por qual razão, passavam despercebidos em nossos radares. Já conheci muita coisa legal zapeando listas de indicados ao Grammy.

Quem se dispôs a descobrir artistas ou álbuns novos com os concorrentes ao Grammy 2021, cuja cerimônia de premiação ocorreu no último domingo (14), certamente, encontrou material interessante, especialmente fora das categorias principais. Algumas delas já foram indicadas por aqui, inclusive.

Na lista a seguir, separei sete bons álbuns que renderam prêmios a seus respectivos artistas no Grammy 2021. Há, ainda, um curioso injustiçado que certamente deveria ter recebido algum troféu.

Obviamente, não quer dizer que sejam os únicos trabalhos interessantes em todas as categorias. São apenas dicas que podem agradar a seus ouvidos. Confira a seguir!

Depois, não deixe de conferir:

Fantastic Negrito – “Have You Lost Your Mind Yet?”

O melhor álbum de 2020, em minha modesta opinião, conquistou o prêmio de Melhor álbum de blues contemporâneo no Grammy. Não é novidade para Fantastic Negrito, que ganhou esse mesmo troféu em 2016 e 2019 por seus últimos dois discos.

Todavia, há algo de diferente dessa vez. Se já era difícil categorizar o trabalho de Fantastic Negrito nos discos anteriores, “Have You Lost Your Mind Yet?(clique no título para ler resenha) chegou para misturar tudo – e deixar ainda mais interessante.

Além de trazer uma expressão artística ainda mais ampla, que alia rock, blues, hip hop, funk, soul, R&B e muito mais, esse álbum carrega muitas reflexões em suas letras sobre o racismo e outros problemas vivenciados na América atualmente. O repertório é inspirado e traz uma mensagem forte, duas características essenciais para um disco de alta qualidade.

Body Count – “Carnivore”

Finalmente, o Grammy resolveu reconhecer uma das bandas mais urgentes do metal: o Body Count, que mescla thrash metal, groove metal, hip hop, uma pitada de hardcore e elementos alternativos em geral. Em seus mais de 30 anos de carreira, só agora a banda liderada por Ice-T foi indicada à premiação.

Com justiça, faturou o troféu de Melhor Performance de Metal, pela música “Bum-Rush”, presente em seu álbum mais recente, “Carnivore”. Como amostra de que os almofadinhas do Grammy não estão lá muito atentos, dá para dizer que esse disco não foge muito do que é apresentado há décadas pelos caras.

No todo, porém, há uma versatilidade ainda maior, pelas participações de Amy Lee (Evanescence) e do saudoso Riley Gale (Power Trip) e pelo reaproveitamento de duas faixas da carreira solo de Ice-T enquanto rapper: “Colors” e “6 in the Morning”. Fora as letras, cada vez mais contemporâneas.

Fiona Apple – “Fetch the Bolt Cutters”

Já era esperado que Fiona Apple vencesse ao menos uma das três categorias às quais foi indicada. Acabou levando duas: Melhor álbum de música alternativa, por “Fetch the Bolt Cutters”, e Melhor performance de rock (primeira vez que a categoria só teve mulheres), por uma de suas faixas, “Shameika”.

Talvez o trabalho mais experimental dessa lista, “Fetch the Bolt Cutters” mostra que Fiona Apple não deveria ficar tanto tempo sem gravar discos. É ousado e desafiador, tanto que não me caiu bem na primeira audição.

Sua sonoridade é guiada bem mais pelo ritmo do que pela melodia, trazendo algumas sacadas bem “fora da caixinha”. Vale a pen

Brittany Howard – “Jaime”

Uma das artistas mais reconhecidas pelo Grammy foi Brittany Howard, que conquistou seis indicações diferentes por seu primeiro álbum solo, “Jaime”, ou por faixas isoladas dele.

Pelo disco, competiu por Melhor álbum de música alternativa e Melhor engenharia de som. Por canções separadas, disputou nas categorias de Melhor performance de R&B (“Goat Head”); Melhor performance de american roots (“Short and Sweet”), e Melhor performance de rock e Melhor música de rock (ambas por “Stay High”). Acabou sendo premiada apenas na última.

Não importa. “Jaime” é um bom álbum e retrata toda a versatilidade de Brittany, que conquistou destaque anteriormente pelo ótimo trabalho com a banda Alabama Shakes. Soa versátil o bastante para conquistar indicações a categorias de três gêneros diferentes (ainda flertando com o folk e outros segmentos alternativos) e contemporâneo o suficiente para impor a artista como um dos grandes nomes do momento.

Taylor Swift – “Folklore”

Em uma rara ocasião, o trabalho vencedor de uma das categorias principais, Álbum do ano, não é ruim. Mais uma amostra de como o ano de 2020 foi louco – ainda mais por trazer não só um, como dois discos folk de Taylor Swift.

O primeiro, “Folklore(clique no título para ler resenha), acabou sendo o premiado da última edição do Grammy. Em meio aos indicados, dá para dizer que foi uma conquista justa, embora HAIM, Black Pumas e Post Malone também tenham feito bons trabalhos.

Em suma, “Folklore” soa bem arranjado, autêntico e condizente com esses tempos de isolamento. Volta a mostrar que mesmo a música pop não deve ter fórmulas e amarras. Dá para soar original até com uma proposta simples e direta.

Harry Styles – “Fine Line”

Lançado ainda em 2019, o álbum “Fine Line(clique no título para ler resenha), segundo da carreira solo de Harry Styles, rendeu ao cantor ex-One Direction o prêmio de Melhor performance pop solo. A conquista foi obtida por meio da faixa “Watermelon Sugar”, um dos grandes hits do ano passado.

Felizmente, o disco não se resume a seu principal single de sucesso. “Fine Line” é uma boa sequência do surpreendente álbum de estreia de Style e volta a apostar nas referências ao pop/rock britânico.

As influências de Elton John e Fleetwood Mac se aliam a um toque indie, a uma abordagem pop orgânica que prioriza instrumentos em vez das batidas digitais e até algum toque de psicodelia e rock dos anos 1960. Uma amostra de que dá para incluir rock num caldeirão pop e chegar a um bom resultado.

Bobby Rush – “Rawer Than Raw”

Em 2017, aos 83 anos de idade e mais de 60 de carreira, o veterano do blues Bobby Rush venceu seu primeiro Grammy. Ele havia batido na trave em outras três ocasiões, mas a quarta não lhe fugiu: conquistou o prêmio de Melhor álbum de blues tradicional com o elogiado “Porcupine Meat”.

Rush foi indicado à mesma categoria em 2020, com o disco “Sitting on Top of the Blues”, mas não levou. Agora, em 2021, voltou a ser reconhecido. “Rawer Than Raw” venceu o mesmo prêmio e tornou a coroar um artista que nunca fez o sucesso devido.

“Rawer Than Raw” é uma espécie de continuação de seu trabalho de 2007, “Raw”, com uma temática clara: homenagear a história do blues de Mississippi, com versões para clássicos de Robert Johnson (o homem que começou muita coisa), Howlin’ Wolf e Muddy Waters.

Não há banda, apenas Bobby com sua voz e seu violão. Tudo foi gravado em pouquíssimos takes. Definitivamente, não havia forma melhor de se prestar tributo às origens do estilo.

Bônus: Black Pumas – “Black Pumas Deluxe”

Poderia jurar que o Black Pumas levaria algum prêmio para casa. Seria justo, já que passaram em branco em 2020, na categoria de Artista revelação.

A edição deluxe de seu álbum de estreia, “Black Pumas”, concorreu aos troféus de Álbum do anoe Melhor performance de american roots. “Colors”, um de seus singles, disputou pela Gravação do ano. Derrota nos três.

Novamente, não importa. O Black Pumas é uma das novidades mais efervescentes da música contemporânea. Seu R&B/soul psicodélico carrega ousadia, seja pelas saídas melódicas do guitarrista Adrian Quesada, seja pela voz do incrível Eric Burton, que era músico de rua até pouco tempo atrás e fez teste por telefone para entrar na banda.

Todos os vencedores do Grammy 2021

Álbum do Ano

Chilombo – Jhene Aiko
Black Pumas Deluxe – Black Pumas
Everyday Life – Coldplay
Women in Music Pt III – Haim
Future Nostalgia – Dua Lipa
Folklore – Taylor Swift – VENCEDOR
Hollywood’s Bleeding – Post Malone
Djesse Vol 3 – Jacob Collier

Música do Ano

Cardigan – Taylor Swift
Circles – Post Malone
Everything I wanted – Billie Eilish
If The World Was Ending – JP Saxe Feat Julia Michaels
I Can’t Breathe – H.E.R. – VENCEDOR
The Box – Roddy Rich
Black Parade – Beyoncé
Don’t Start Now – Dua Lipa

Gravação do Ano

Black Parade – Beyoncé
Colors – Black Pumas
Rockstar – DaBaby feat. Roddy Rich
Say So – Doja Cat
Everything I Wanted – Billie Eilish – VENCEDOR
Don’t Start Now – Dua Lipa
Circles – Post Malone
Savage – Megan Thee Stalion Ft. Beyoncé

Melhor Novo Artista

Noah Cyrus
Megan Thee Stallion – VENCEDOR
Doja Cat
Ingrid Andress
Phoebe Bridgers
Chika
D Smoke
Kaytranada

Melhor Álbum Pop Vocal

Fine Line – Harry Styles
folklore –  Taylor Swift
Chromatica – Lagy Gaga
Future Nostalgia – Dua Lipa – VENCEDOR
Changes – Justin Bieber

Melhor Performance Pop Duo/Grupo

Dynamite – BTS
Intentions – Justin Bieber e Quavo
Un Dia (One Day) – J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy
Exile – Taylor Swift e Bon Iver
Rain On Me – Lady Gaga e Ariana Grande – VENCEDOR

Melhor Performance Pop Solo

Yummy – Justin Bieber
cardigan – Taylor Swift
everything i wanted – Billie Eilish
Don’t Start Now – Dua Lipa
Say So – Doja Cat
Watermelon Sugar – Harry Styles – VENCEDOR

Melhor Álbum Vocal de Pop Tradicional

Blue Umbrella – Daniel Tashian
True Love: A Celebration of Cole Porter – Harry Connick Jr
American Standart – James Taylor – VENCEDOR
Unfollow The Rules – Rufus Wainwright
Judy – Renée Zellweger

Melhor Performance de R&B

Lighting & Thunder – Jhené Aiko Feat. John Legend
Black Parade – Beyoncé – VENCEDOR
All I Need – Jacob Collier Feat. Mahalia & Ty Dolla $ign
Goat Head – Brittany Howard
See Me – Emily King

Melhor Performance de R&B Tradicional

Sit On Down – The Baylor Project Feat. Jean Baylor & Marcus Baylor
Wonder What She Thinks of Me – Chloe x Halle
Let Me Go – Mykal Kilgore
Anything For You – Ledisi – VENCEDOR
Distance – Yebba

Melhor Música de R&B

Better Than I Imagine – Robert Glasper Feat. H.E.R. & Meshell Ndegeocello – VENCEDOR
Black Parade – Beyoncé
Collide – Tiana Major9 & EARTHGANG
Do It – Chloe x Halle
Slow Down – Skip Marley & H.E.R.

Melhor Álbum de R&B Progressivo

Chilombo – Jhené Aiko
Ungodly Hour – Chloe x Halle
Free Nationals – Free Nationals
F*** Yo Feelings – Robert Glasper
It is What It Is – Thundercat – VENCEDOR

Melhor Álbum de R&B

Happy 2 Be Here – Ant Clemons
Take Time – Giveon
To Feel Love/d – Luke James
Bigger Love – John Legend – VENCEDOR
All Rise – Gregory Porter

Melhor Gravação de Dance

On My Mind – Diplo e Sidepiece
My High – Disclosure Feat. Aminé e Slowthai
The Difference – Flume Feat. Toro y Moi
Both of Us – Jayda G
10% – Kaytranada Feat. Kali Uchis – VENCEDOR

Melhor Álbum Dance/Eletrônico

Kick I – Arca
Planet’s Mad – Baauer
Energy – Disclosure
Bubba – Kaytranada – VENCEDOR
Good Faith – Madeon

Melhor Performance de Rap

Deep Reverence – Big Sean Feat. Nipsey Hussle
Bop – DaBaby
What’s Poppin – Jack Harlow
The Bigger Picture – Lil Baby
Savage – Megan Thee Stallion Feat. Beyoncé – VENCEDOR
Dior – Pop Smoke

Melhor Performance de Rap Melódico

Rockstar – DaBaby feat. Roddy Ricch
Laugh Now, Cry Later – Drake Feat. Lil Durk
Lockdown – Anderson .Paak – VENCEDOR
The Box – Roddy Ricch
Highest In The Room – Travis Scott

Melhor Música de Rap

The Bigger Picture – Lil Baby
The Box – Roddy Rich
Laugh Now, Cry Later – Drake Feat. Lil Durk
Rockstar – DaBaby Feat. Roddy Ricch
Savage – Megan Thee Stallion Feat. Beyoncé – VENCEDOR

Melhor Álbum de Rap

Black Habits – D Smoke
Alfredo – Freddie Gibbs & The Alchemist
A Written Testimony – Jay Electronica
King’s Disease – Nas – VENCEDOR
The Allegory – Royce Da 5’9″

Melhor Performance de Rock

Shameika – Fiona Apple – VENCEDOR
Not – Big Thief
Kyoto – Phoebe Bridges
The Steps – Haim
Stay High – Brittany Howard
Daylight – Grace Potter

Melhor Performance de Metal

Bum-Rush – Body Count – VENCEDOR
Underneath – Code Orange
The In-Between – In This Moment
Boodmoney – Poppy
Executioner’s Tax (Sing of The Axe) Live – Power Trip

Melhor Música de Rock

Kyoto – Phoebe Bridgers
Lost In Yesterday – Tame Impala
Not – Big Thief
Shameika – Fiona Apple
Stay High – Brittany Howard – VENCEDOR

Melhor Álbum de Rock

Fontaines DC – A Hero’s Death
Michael Kiwanuka – Kiwanuka
Grace Potter – Daylight
Sturgill Simpson – Sound e Fury
The Strokes – The New Abnormal – VENCEDOR

Melhor Álbum de Música Alternativa

Fiona Apple – Fetch the Bolt Cutters
Beck – Hyperspace
Phoebe Bridges – Punisher
Brittany Howard – Jaime
Tame Impala – The Slow Rush

Melhor Performance Country Solo

Stick That In Your Country Song – Eric Church
Who You Thought I Was – Brandy Clark
When My Amy Prays – Vince Gill – VENCEDOR
Black Like Me – Mickey Guyton
Bluebird – Miranda Lambert

Melhor Performance Country Duo/Grupo

All Night – Brothers Osborne
10,000 Hours – Dan + Shay & Justin Bieber – VENCEDOR
Ocean – Lady A
Sugar Coat – Little Big Town
Some People Do – Old Dominion

Melhor Música Country

Bluebird – Miranda Lambert
The Bones – Maren Morris
Crowded Table – The Highwomen – VENCEDOR
More Hearts Than Mine – Ingrid Andress
Some People Do – Old Dominion

Melhor Álbum Country

Lady Like – Ingrid Andress
Your Life is a Record – Brandy Clark
Wildcard – Miranda Lambert – VENCEDOR
Nightfall – Little Big Town
Never Will – Ashley McBryde

Melhor Álbum New Age

Songs From The Bardo – Laurie Anderson, Tenzin Choegyal & Jesse Paris Smith
Periphery – Priya Darshini
Form/Less – Superposition
More Guitar Stories – Jim “Kimo” West – VENCEDOR
Meditations – Cory Wong & Jon Batiste

Melhor Solo de Jazz Improvisado

GUINEVERE – Christian Scott Atunde Adjuah
PACHAMAMA – Regina Carter
TOMORROW IS THE QUESTION – Julian Lage
CELIA – Gerald Clayton
ALL BLUES – Chick Corea – VENCEDOR
MOE HONK – Joshua Redman

Belhor Álbum de Jazz Vocal

ONA – Thana Alexa
SECRETS ARE THE BEST STORIES – Kurt Elling Featuring Danilo Pérez – VENCEDOR
MODERN ANCESTORS – Carmen Lundy
HOLY ROOM: LIVE AT ALTE OPER – Somi With Frankfurt Radio Big Band
WHAT’S THE HURRY – Kenny Washington

Melhor Álbum de Jazz Instrumental

ON THE TENDER SPOT OF EVERY CALLOUSED MOMENT – Ambrose Akinmusire
WAITING GAME – Terri Lyne Carrington And Social Science
HAPPENING: LIVE AT THE VILLAGE VANGUARD – Gerald Clayton
TRILOGY 2 – Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade – VENCEDOR
ROUNDAGAIN – Redman Mehldau McBride Blade

Melhor Álbum de Jazz em grande elenco

DIALOGUES ON RACE – Gregg August
MONK’ESTRA PLAYS JOHN BEASLEY – John Beasley
THE INTANGIBLE BETWEEN – Orrin Evans And The Captain Black Big Band
SONGS YOU LIKE A LOT – John Hollenbeck With Theo Bleckmann, Kate McGarry, Gary Versace And The Frankfurt Radio Big Band
DATA LORDS – Maria Schneider Orchestra – VENCEDOR

Melhor álbum de Jazz Latino

TRADICIONES – Afro-Peruvian Jazz Orchestra
FOUR QUESTIONS – Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra – VENCEDOR
CITY OF DREAMS – Chico Pinheiro
VIENTO Y TIEMPO – LIVE AT BLUE NOTE TOKYO – Gonzalo Rubalcaba & Aymée Nuviola
TRANE’S DELIGHT – Poncho Sanchez

Melhor Álbum de Pop Latino/Urban

Bad Bunny – YHLQMDLG – VENCEDOR
Camilo – Por Primera Vez
Kany García – Mesa Para Dos
Ricky Martin – Pausa
Debi Nova – 3:33

Melhor Álbum Latino de Rock ou Alternativo

AURA – Bajofondo
MONSTRUO – Cami
SOBREVOLANDO – Cultura Profética
LA CONQUISTA DEL ESPACIO – Fito Paez – VENCEDOR
MISS COLOMBIA – Lido Pimienta

Melhor Álbum de Música Regional Mexicana

HECHO EN MÉXICO – Alejandro Fernández
LA SERENATA – Lupita Infante
UN CANTO POR MÉXICO, VOL. 1 – Natalia Lafourcade – VENCEDOR
BAILANDO SONES Y HUAPANGOS CON MARIACHI SOL DE MEXICO DE JOSE HERNANDEZ – Mariachi Sol De Mexico De Jose Hernandez
AYAYAY! – Christian Nodal

Melhor Álbum Latino Tropical

MI TUMBAO – José Alberto “El Ruiseñor”
INFINITO – Edwin Bonilla
SIGO CANTANDO AL AMOR (DELUXE) – Jorge Celedon & Sergio Luis
40 – Grupo Niche – VENCEDOR
MEMORIAS DE NAVIDAD – Víctor Manuelle

Melhor Álbum de Música Global

FU CHRONICLES – Antibalas
TWICE AS TALL – Burna Boy – VENCEDOR
AGORA – Bebel Gilberto
LOVE LETTERS – Anoushka Shankar
AMADJAR – Tinariwen

Melhor Música/Performance Gospel

WONDERFUL IS YOUR NAME – Melvin Crispell III
RELEASE (LIVE) – Ricky Dillard Featuring Tiff Joy
COME TOGETHER – Rodney “Darkchild” Jerkins Presents: The Good News
WON’T LET GO – Travis Greene
MOVIN’ ON – Jonathan McReynolds & Mali Music  – VENCEDOR

Melhor Música/Performance de Música Cristã Contemporânea

THE BLESSING (LIVE) – Kari Jobe, Cody Carnes & Elevation Worship
SUNDAY MORNING – Lecrae Featuring Kirk Franklin
HOLY WATER – We The Kingdom
FAMOUS FOR (I BELIEVE) – Tauren Wells Featuring Jenn Johnson
THERE WAS JESUS – Zach Williams & Dolly Parton – VENCEDOR

Melhor Álbum Gospel

2ECOND WIND: READY – Anthony Brown & group therAPy
MY TRIBUTE – Myron Butler
CHOIRMASTER – Ricky Dillard
GOSPEL ACCORDING TO PJ – PJ Morton – VENCEDOR
KIERRA – Kierra Sheard

Melhor Álbum de Música Cristã Contemporânea

RUN TO THE FATHER – Cody Carnes
ALL OF MY BEST FRIENDS – Hillsong Young & Free
HOLY WATER – We The Kingdom
CITIZEN OF HEAVEN – Tauren Wells
JESUS IS KING – Kanye West – VENCEDOR

Melhor Álbum Gospel Roots

BEAUTIFUL DAY – Mark Bishop
20/20 – The Crabb Family
WHAT CHRISTMAS REALLY MEANS – The Erwins
CELEBRATING FISK! (THE 150TH ANNIVERSARY ALBUM) – Fisk Jubilee Singers – VENCEDOR
SOMETHING BEAUTIFUL – Ernie Haase & Signature Sound

Melhor Performance de American Roots

COLORS – Black Pumas
DEEP IN LOVE – Bonny Light Horseman
SHORT AND SWEET – Brittany Howard
I’LL BE GONE – Norah Jones & Mavis Staples
I REMEMBER EVERYTHING – John Prine – VENCEDOR

Melhor Música de American Roots

CABIN – The Secret Sisters
CEILING TO THE FLOOR – Sierra Hull
HOMETOWN – Sarah Jarosz
I REMEMBER EVERYTHING – John Prine – VENCEDOR
MAN WITHOUT A SOUL – Lucinda Williams

Melhor Álbum de Americana

OLD FLOWERS – Courtney Marie Andrews
TERMS OF SURRENDER – Hiss Golden Messenger
WORLD ON THE GROUND – Sarah Jarosz – VENCEDOR
EL DORADO – Marcus King
GOOD SOULS BETTER ANGELS – Lucinda Williams

Melhor Álbum de Bluegrass

MAN ON FIRE -Danny Barnes
TO LIVE IN TWO WORLDS, VOL. 1 – Thomm Jutz
NORTH CAROLINA SONGBOOK – Steep Canyon Rangers
HOME – Billy Strings – VENCEDOR
THE JOHN HARTFORD FIDDLE TUNE PROJECT, VOL. 1 – Various Artists

Melhor Álbum de Blues Tradicional

ALL MY DUES ARE PAID – Frank Bey
YOU MAKE ME FEEL – Don Bryant
THAT’S WHAT I HEARD – Robert Cray Band
CYPRESS GROVE – Jimmy “Duck” Holmes
RAWER THAN RAW – Bobby Rush – VENCEDOR

Melhor Álbum de Blues Contemporâneo

HAVE YOU LOST YOUR MIND YET? – Fantastic Negrito – VENCEDOR
LIVE AT THE PARAMOUNT – Ruthie Foster Big Band
THE JUICE – G. Love
BLACKBIRDS – Bettye LaVette
UP AND ROLLING – North Mississippi Allstars

Melhor Álbum Folk

BONNY LIGHT HORSEMAN – Bonny Light Horseman
THANKS FOR THE DANCE – Leonard Cohen
SONG FOR OUR DAUGHTER – Laura Marling
SATURN RETURN – The Secret Sisters
ALL THE GOOD TIMES – Gillian Welch & David Rawlings – VENCEDOR

Melhor Álbum de Música Roots Regional

MY RELATIVES “NIKSO KOWAIKS” – Black Lodge Singers
CAMERON DUPUY AND THE CAJUN TROUBADOURS – Cameron Dupuy And The Cajun Troubadours
LOVELY SUNRISE – Nā Wai ʽEhā
ATMOSPHERE – New Orleans Nightcrawlers – VENCEDOR
A TRIBUTE TO AL BERARD – Sweet Cecilia

Melhor Álbum Reggae

UPSIDE DOWN 2020 – Buju Banton
HIGHER PLACE – Skip Marley
IT ALL COMES BACK TO LOVE – Maxi Priest
GOT TO BE TOUGH – Toots & The Maytals – VENCEDOR
ONE WORLD – The Wailers

Melhor Álbum de Música Infantil

ALL THE LADIES – Joanie Leeds – VENCEDOR
BE A PAIN: AN ALBUM FOR YOUNG (AND OLD) LEADERS – Alastair Moock And Friends
I’M AN OPTIMIST – Dog On Fleas
SONGS FOR SINGIN’ – The Okee Dokee Brothers
WILD LIFE – Justin Roberts

Melhor Álbum Falado (Poesia, Audiobooks, Narração)

ACID FOR THE CHILDREN: A MEMOIR – Flea
ALEX TREBEK – THE ANSWER IS… – Ken Jennings
BLOWOUT: CORRUPTED DEMOCRACY, ROGUE STATE RUSSIA, AND THE RICHEST, MOST DESTRUCTIVE INDUSTRY ON EARTH – Rachel Maddow – VENCEDOR
CATCH AND KILL – Ronan Farrow
CHARLOTTE’S WEB (E.B. WHITE) – Meryl Streep (& Full cast)

Melhor Álbum de Comédia

BLACK MITZVAH – Tiffany Haddish – VENCEDOR
I LOVE EVERYTHING – Patton Oswalt
THE PALE TOURIST – Jim Gaffigan
PAPER TIGER – Bill Burr
23 HOURS TO KILL – Jerry Seinfeld

Melhor Álbum de Teatro Musical

AMÉLIE
AMERICAN UTOPIA ON BROADWAY
JAGGED LITTLE PILL – VENCEDOR
LITTLE SHOP OF HORRORS
THE PRINCE OF EGYPT
SOFT POWER

Melhor Compilação de Trilha Sonora para Mídia Visual

A Beautiful Day in The Neighborhood
Bill & Ted Face The Music
Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga
Frozen 2
Jojo Rabbit – VENCEDOR

Melhor Música Escrita para Mídia Visual

Beautiful Ghosts – Cats
Carried Me With You – From Onward
Into The Unknown – Frozen 2
No Time to Die – 007 – Sem Tempo para Morrer – VENCEDOR
Stand Up – Harriet

Melhor Clipe

Brown Skin Girl – Beyoncé – VENCEDOR
Life is Good – Future feat Drake
Lockdown – Anderson.paak
Adore You – Harry Styles
Goliath – Woodkid

Melhor Filme Musical

Beastie Boys Story – Beastie Boys
Black is King – Beyoncé
We Are Freestyle Love Supreme – Freestyle Love Supreme
Linda Ronstadt: The Sound of My Voice – Linda Ronstadt – VENCEDOR
That Little Ol’ Band From Texas – ZZ Top

Melhor Álbum de Instrumental Contemporâneo

Axiom – Christian Scott Atunde Adjuah
Chronology of a Dream: Live at The Village Vanguard – Jon Batiste
Take The Stairs – Black Violin
Americana – Grégoire Maret, Romain Collin & Bill Frisell
Live At The Royal Albert Hall – Snarky Puppy – VENCEDOR

Melhor Engenharia de Som, Não-clássico

BLACK HOLE RAINBOW – Devon Gilfillian
EXPECTATIONS – Katie Pruitt
HYPERSPACE – Beck – VENCEDOR
JAIME – Brittany Howard
25 TRIPS – Sierra Hull

Produtor do Ano, Não-Clássico

Jack Antonoff
Dan Auerbach
Dave Cobb
Flying Lotus
Andrew Watt – VENCEDOR

Melhor Engenharia de som, Clássico

Danielpour: The Passion of Yeshua
Gershwin: Porgy and Bess
Hynes: Fields
Ives: Complete Symphonies
Shostakovich: Symphony Nº 13, ‘Babi yar’ – VENCEDOR

Produtor do ano, Clássico

Blanton Alspaugh
David Frost – VENCEDOR
Jesse Lewis
Dmitriy Lipay
Elaine Martone

Melhor Remixagem

DO YOU EVER (RAC MIX) – RAC, remixer (Phil Good)
IMAGINARY FRIENDS (MORGAN PAGE REMIX) -Morgan Page, remixer (Deadmau5)
PRAYING FOR YOU (LOUIE VEGA MAIN REMIX) – Louie Vega, remixer (Jasper Street Co.)
ROSES (IMANBEK REMIX) – Imanbek Zeikenov, remixer (SAINt JHN) – VENCEDOR
YOUNG & ALIVE (BAZZI VS. HAYWYRE REMIX) – Haywyre, remixer (Bazzi)

Melhor Composição Instrumental

BABY JACK – Arturo O’Farrill & The Afro Latin Jazz Orchestra
BE WATER II – Christian Sands
PLUMFIELD – Alexandre Desplat
SPUTNIK – Maria Schneider – VENCEDOR
STRATA – Remy Le Boeuf’s Assembly Of Shadows Featuring Anna Webber & Eric Miller

Melhor Arranjo, Instrumental ou Acapella

BATHROOM DANCE – Hildur Guðnadóttir
DONNA LEE – John Beasley – VENCEDOR
HONEYMOONERS – Remy Le Boeuf’s Assembly Of Shadows
LIFT EVERY VOICE AND SING – Jarrett Johnson Featuring Alvin Chea
URANUS: THE MAGICIAN -Jeremy Levy Jazz Orchestra

Melhor Arranjo, Instrumentos e Vocais

ASAS FECHADAS – Maria Mendes Feat. John Beasley & Orkest Metropole
DESERT SONG – Säje
FROM THIS PLACE – Pat Metheny Feat. Meshell Ndegeocello
HE WON’T HOLD YOU – Jacob Collier Feat. Rapsody – VENCEDOR
SLOW BURN – Becca Stevens Feat. Jacob Collier, Mark Lettieri, Justin Stanton, Jordan Perlson, Nic Hard, Keita Ogawa, Marcelo Woloski & Nate Werth

Melhor Embalagem

EVERYDAY LIFE – Coldplay
FUNERAL – Lil Wayne
HEALER – Grouplove
ON CIRCLES – Caspian
VOLS. 11 & 12 – Desert Sessions – VENCEDOR

Melhor Embalagem de Edição Especial Limitada

FLAMING PIE (COLLECTOR’S EDITION) – Paul McCartney
GIANTS STADIUM 1987, 1989, 1991 – Grateful Dead
MODE – Depeche Mode
ODE TO JOY – Wilco – VENCEDOR
THE STORY OF GHOSTLY INTERNATIONAL – Various Artists)

Melhor Recado de Álbum

AT THE MINSTREL SHOW: MINSTREL ROUTINES FROM THE STUDIO, 1894-192 – Various Artists
THE BAKERSFIELD SOUND: COUNTRY MUSIC CAPITAL OF THE WEST, 1940-1974 – Various Artists
DEAD MAN’S POP – The Replacements – VENCEDOR
THE MISSING LINK: HOW GUS HAENSCHEN GOT US FROM JOPLIN TO JAZZ AND SHAPED THE MUSIC BUSINESS – Various Artists
OUT OF A CLEAR BLUE SKY – Nat Brusiloff

Melhor Álbum Histórico

CELEBRATED, 1895-1896 – Unique Quartette
HITTIN’ THE RAMP: THE EARLY YEARS (1936 – 1943) – Nat King Cole
IT’S SUCH A GOOD FEELING: THE BEST OF MISTER ROGERS – Mister Rogers – VENCEDOR
1999 SUPER DELUXE EDITION – Prince
SOUVENIR – Orchestral Manoeuvres In The Dark
THROW DOWN YOUR HEART: THE COMPLETE AFRICA SESSIONS – Béla Fleck

Melhor Performance de Orquestra

ASPECTS OF AMERICA – PULITZER EDITION – Carlos Kalmar, Oregon Symphony
CONCURRENCE – Daníel Bjarnason, Iceland Symphony Orchestra
COPLAND: SYMPHONY NO. 3 – Michael Tilson Thomas, San Francisco Symphony
IVES: COMPLETE SYMPHONIES – Gustavo Dudamel, Los Angeles Philharmonic –  VENCEDOR
LUTOSłAWSKI: SYMPHONIES NOS. 2 & 3 – Hannu Lintu, Finnish Radio Symphony Orchestra

Melhor Gravação de Ópera

DELLO JOIO: THE TRIAL AT ROUEN – Boston Modern Orchestra Project; Odyssey Opera Chorus
FLOYD, C.: PRINCE OF PLAYERS – Milwaukee Symphony Orchestra; Florentine Opera Chorus
GERSHWIN: PORGY AND BESS – The Metropolitan Opera Orchestra; The Metropolitan Opera Chorus –  VENCEDOR
HANDEL: AGRIPPINA – Il Pomo D’Oro
ZEMLINSKY: DER ZWERG – Orchestra Of The Deutsche Oper Berlin; Chorus Of The Deutsche Oper Berlin

Melhor Performance de Coral

CARTHAGE – The Crossing
DANIELPOUR: THE PASSION OF YESHUAH – James K. Bass, J’Nai Bridges, Timothy Fallon, Kenneth Overton, Hila Plitmann & Matthew Worth; Buffalo Philharmonic Orchestra; Buffalo Philharmonic Chorus & UCLA Chamber Singers – VENCEDOR
KASTALSKY: REQUIEM – Joseph Charles Beutel & Anna Dennis; Orchestra Of St. Luke’s; Cathedral Choral Society, The Clarion Choir, Kansas City Chorale & The Saint Tikhon Choir
MORAVEC: SANCTUARY ROAD – Joshua Blue, Raehann Bryce-Davis, Dashon Burton, Malcolm J. Merriweather & Laquita Mitchell; Oratorio Society Of New York Orchestra; Oratorio Society Of New York Chorus
ONCE UPON A TIME – Sarah Walker; Skylark Vocal Ensemble

Melhor Performance de Música de Câmara/Conjunto pequeno

CONTEMPORARY VOICES – Pacifica Quartet – VENCEDOR
HEALING MODES – Brooklyn Rider
HEARNE, T.: PLACE – Ted Hearne, Steven Bradshaw, Sophia Byrd, Josephine Lee, Isaiah Robinson, Sol Ruiz, Ayanna Woods & Place Orchestra
HYNES: FIELDS – Devonté Hynes & Third Coast Percussion
THE SCHUMANN QUARTETS – Dover Quartet

Melhor Solo de Instrumental Clássico

ADÈS: CONCERTO FOR PIANO AND ORCHESTRA – Boston Symphony Orchestra
BEETHOVEN: COMPLETE PIANO SONATAS – Igor Levit
BOHEMIAN TALES – Charles Owen; Symphonieorchester Des Bayerischen Rundfunks
DESTINATION RACHMANINOV – ARRIVAL – The Philadelphia Orchestra
THEOFANIDIS: CONCERTO FOR VIOLA AND CHAMBER ORCHESTRA – Richard O’Neill (Albany Symphony) – VENCEDOR

Melhor Álbum Vocal Clássico Solo

AMERICAN COMPOSERS AT PLAY – WILLIAM BOLCOM, RICKY IAN GORDON, LORI LAITMAN, JOHN MUSTO – Stephen Powell
CLAIRIÈRES – SONGS BY LILI & NADIA BOULANGER – Nicholas Phan
FARINELLI – Cecilia Bartoli
A LAD’S LOVE – Brian Giebler
SMYTH: THE PRISON – Sarah Brailey & Dashon Burton – VENCEDOR

Melhor Compêndio Clássico

ADÈS CONDUCTS ADÈS – Mark Stone & Christianne Stotijn
SAARIAHO: GRAAL THÉÂTRE; CIRCLE MAP; NEIGES; VERS TOI QUI ES SI LOIN – Clément Mao-Takacs, conductor; Hans Kipfer, producer
SEREBRIER: SYMPHONIC BACH VARIATIONS; LAMENTS AND HALLELUJAHS; FLUTE CONCERTO – José Serebrier, conductor; Jens Braun, producer
THOMAS, M.T.: FROM THE DIARY OF ANNE FRANK & MEDITATIONS ON RILKE – Isabel Leonard; Michael Tilson Thomas, conductor; Jack Vad, producer – VENCEDOR
WOOLF, L.P.: FIRE AND FLOOD – Matt Haimovitz; Julian Wachner, conductor; Blanton Alspaugh, producer

Melhor Composição Clássica Contemporânea

ADÈS: CONCERTO FOR PIANO AND ORCHESTRA – Thomas Adès
DANIELPOUR: THE PASSION OF YESHUA – Richard Danielpour
FLOYD, C.: PRINCE OF PLAYERS – Carlisle Floyd
HEARNE, T.: PLACE – Ted Hearne
ROUSE: SYMPHONY NO. 5 – Christopher Rouse – VENCEDOR

(Lista de vencedores via Revista Quem)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share