A principal causa para o fim do Slayer, segundo Kerry King

De acordo com o músico, banda — recentemente reunida — não acabou só pelo desejo do frontman Tom Araya de ficar mais tempo com a família

Recentemente reunido para uma sequência de aparições em festivais americanos, o Slayer havia encerrado suas atividades em 2019. À época, a banda apresentou como uma das justificativas a vontade do vocalista e baixista Tom Araya de parar com as turnês e ficar mais tempo com a família. Por isso, realizaram uma extensa série de shows de despedida, intitulada “The Final World Tour”.

Segundo o guitarrista Kerry King, a principal causa para o fim do grupo, de fato, envolveu o colega mencionado – com quem não fala desde a última apresentação, em novembro de 2019. No entanto, de acordo com o músico, a questão vai além, já que, ao seu ver, o parceiro decidiu parar principalmente por se sentir abalado com a morte do também guitarrista Jeff Hanneman, ocorrida em 2013. 

- Advertisement -

Ele declarou para a Total Guitar (via Guitar):

“Se Jeff ainda estivesse aqui, haveria outro disco do Slayer? Quem sabe? A morte de Jeff pesou muito em Tom e acho que o fato de Jeff não estar mais aqui influenciou a saída de Tom do Slayer. Mas se Jeff ainda estivesse vivo, ele iria querer que continuássemos tocando. Tenho certeza. E se eu tocasse meu álbum solo [‘From Hell I Rise’] para Jeff, ele adoraria.”

O próprio revelou que também teve dificuldades para aceitar o término, como mencionado em seguida:

Leia também:  Skid Row realiza primeiro show com Lzzy Hale nos vocais; veja vídeos

“Não estar no Slayer é uma m#rda. Eu quero que o Slayer exista, então se essa é a única maneira, sei como agir. Para mim, seria estranho fazer qualquer outra coisa.”

Tom Araya e Jeff Hanneman

Jeff Hanneman faleceu em 2 de maio de 2013, aos 49 anos, de cirrose hepática. Além de guitarrista, foi um dos principais compositores da banda, criando vários dos clássicos, como “Angel of Death” e “Die by the Sword”. Gary Holt ficou encarregado de substitui-lo, primeiro de maneira temporária e, depois, permanentemente.

Conversando com o site chileno Futuro (via Wikimetal) em 2017, Tom havia manifestado que sentia muita falta do saudoso companheiro, em nível pessoal e profissional:

“Eu sinto falta dele. Vira e mexe eu penso nele. Éramos colaboradores. Nós trabalhávamos juntos… Ele me permitia trabalhar com ele em suas ideias. Eu penso em tudo que ele passou em seus últimos dois anos. Eu gostaria que ele estivesse com a gente. Gostaria que ele estivesse aqui, ponto final. Eu sinto que ele era uma grande parte da banda. Queria que ele estivesse aqui, ele faria tudo mais fácil.”

A volta do Slayer

De qualquer forma, o Slayer anunciou em fevereiro uma breve reunião. A série de shows começa no Riot Fest, em Chicago, entre os dias 20 e 22 de setembro. O Louder Than Life Festival ocorre uma semana depois em Louisville, Kentucky, no dia 27. Por fim, eles encerram essa passagem 10 de outubro no Aftershock, marcado na cidade de Sacramento, California. Louder Than Life e Aftershock são eventos da Dammy Wimmer Presents.

Leia também:  Por que o Black Sabbath mudou em “Tyr”, segundo Tony Martin

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | TikTok | Facebook | YouTube | Threads.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA principal causa para o fim do Slayer, segundo Kerry King
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades