Como Andreas Kisser conheceu trabalho de Greyson Nekrutman

Americano de 21 anos, conhecido pelo trabalho no Suicidal Tendencies, virou baterista do Sepultura após saída inesperada de Eloy Casagrande

Com a saída inesperada de Eloy Casagrande, o Sepultura precisou procurar às pressas outro baterista para substituí-lo na turnê de despedida “Celebrating Life Through Death”. O americano Greyson Nekrutman, antes integrante do Suicidal Tendencies, acabou sendo escolhido para a função e anunciado oficialmente no grupo no fim de fevereiro.

Desde o início, ele era a opção favorita de Andreas para as baquetas. Em entrevista à Rádio Transamérica, transcrita por Mateus Ribeiro para o Whiplash, o guitarrista revelou que conheceu o trabalho do novo colega por meio de seu filho, Yohan. Dessa forma, ficou impressionado com o talento e experiência de Greyson, apesar de jovem, e logo de cara o considerou para a vaga.

- Advertisement -

Andreas declarou:

“Se você observar os vídeos dele, o cara tem 21 anos de idade e é sensacional. O Yohan, meu filho do meio, tinha me mostrado ele. Disse que o cara tocava com o Suicidal. Ficou no meu radar. Foi o primeiro nome que me veio à cabeça. Falei com ele e em dois dias fechamos. Ele conversou com o Suicidal, conversamos sobre o cronograma e o projeto de despedida. Ele pegou 25 músicas no primeiro show e destruiu. Foi um momento muito emocionante.”

Para além da parceria profissional, os membros também têm se dado bem no âmbito pessoal. Segundo Andreas, Nekrutman já está se acostumando à cultura brasileira:

Leia também:  Entre a luz e as trevas: a história de “Headless Cross”, do Black Sabbath

“Temos muita sorte com bateristas. Temos que agradecer por nossos bateristas. O Greyson virou brasileiro! Todo domingo ele ia para a Avenida Paulista dar rolê e tocar com uma galera lá. Ele experimentou torresmo, foi no Mercado Municipal de BH com o Paulo (Xisto, baixista). Experimentou jiló. Ele estava com o Suicidal Tendencies e tem uma raiz de jazz.”

A turnê de despedida do Sepultura

Após 40 anos de atividades, o Sepultura se prepara para seu encerramento. A banda brasileira começou em 1º de março a turnê “Celebrating Life Through Death”, que promete ser a despedida dos palcos. A ideia é rodar o Brasil e a América do Sul nessa primeira parte do giro, que vai até este mês.

A partir de setembro, o Sepultura faz mais algumas datas no país antes de seguir para a Europa, onde fica até o fim de novembro. A turnê de despedida deve durar cerca de um ano e meio, com mais datas a serem anunciadas.

Leia também:  Sepultura terá ex-membros participando dos shows de despedida? Andreas Kisser responde

Eloy Casagrande no Slipknot?

Enquanto isso, o destino de Eloy Casagrande segue um mistério. Há tempos ele é cotado para a vaga do Slipknot, que demitiu Jay Weinberg — hoje integrante do Suicidal Tendencies — ainda em 2023. Nenhuma confirmação foi dada até o momento, embora um post nas redes sociais dos mascarados tenha dado indícios de que o brasileiro realmente tocará com o grupo.

Caso o rumor se confirme, haverá uma troca de três bateristas entre três bandas. A saber:

  • Jay Weinberg, demitido do Slipknot, entrou para o Suicidal Tendencies;
  • Eloy Casagrande, que deixou o Sepultura repentinamente, é especulado no Slipknot;
  • Greyson Nekrutman saiu do Suicidal Tendencies para se juntar ao Sepultura.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasComo Andreas Kisser conheceu trabalho de Greyson Nekrutman
Maria Eloisa Barbosa
Maria Eloisa Barbosahttps://igormiranda.com.br/
Maria Eloisa Barbosa é jornalista, 22 anos, formada pela Faculdade Cásper Líbero. Colabora com o site Keeping Track e trabalha como assistente de conteúdo na Rádio Alpha Fm, em São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades