Documentário sobre o Nickelback estreia nos cinemas brasileiros em março

Dirigido pelo cineasta Leigh Brooks, “Nickelback, Hate to Love” ficará em cartaz por apenas dois dias

Popularmente, o Nickelback é conhecido como “a banda mais odiada de todos os tempos”. Seja pelas músicas consideradas enjoativas e clichês, pela opinião da crítica especializada ou até por nenhum motivo aparente, o grupo lida com reações negativas há muitos anos. Todo esse cenário será explorado no novo documentário oficial “Nickelback, Hate to Love”.

Dirigida pelo cineasta britânico Leigh Brooks, a produção abordará toda a carreira do grupo, formado em 1995. Entre os tópicos, estarão a ascensão do Nickelback ao topo das paradas com o álbum “Silver Side Up” (2001), e, principalmente, a negatividade surgida após o sucesso comercial.

- Advertisement -

No Brasil, “Nickelback, Hate to Love” será exibido em diferentes cidades e redes de cinema nos dias 27 e 30 de março. Para conferir sessões e comprar ingressos, clique aqui. A sinopse diz:

“O filme conta a história real da banda desde seu início humilde em Alberta até o explosivo sucesso global de ‘How You Remind Me’ em 2001 e os recordes de sucesso que se seguiram e continuam até hoje. Em um relato aberto, honesto e revelador, a banda discute a concepção do Nickelback e sua incrível ascensão ao topo nos anos 2000.”

As filmagens para “Nickelback, Hate to Love” terminaram em junho de 2022. Em postagem no Linkedin na época, Brooks – responsável por comandar anteriormente os documentários “The Sound of Scars” (da banda Life of Agony) e “Wired Up and Scary” (da banda Terrorvision) – escreveu:

Leia também:  Mark Tremonti faz 50 anos; veja outros fatos da música em 18 de abril

“Seis anos filmando o documentário do Nickelback. A banda e a sua equipe são ótimas pessoas. Sou eternamente grato ao grupo por nos deixar documentar esse filme incrível. Em alguns momentos eu pensei que esse dia não chegaria e, por mais que o trabalho esteja acabando, estou muito animado para o que está por vir.”

Chad Kroeger e as críticas

Durante a divulgação de “Get Rollin’”, décimo álbum de estúdio do Nickelback disponibilizado em novembro de 2022, Chad Kroeger comentou como se sente em relação ao hate sofrido pela banda. Ao G1, opinou que o sucesso comercial invalida críticas negativas. 

“Se você não faz sucesso e todo mundo diz como odeia sua banda, é muito ruim. Aí acho que deve te afetar mesmo. Mas se você faz sucesso e recebe todo esse ódio dos críticos, não me importo. Toco em arenas pelo mundo, milhares de pessoas toda noite cantam minhas músicas. Acha que vou ficar lá 2 horas pensando: ‘Vamos receber uma crítica ruim…’? Não! Não me importo! Eu tenho um trabalho bom. Essas são as pessoas que têm o trabalho de m#rda.”

Veja também:

Leia também:  Tarantino desiste de fazer “The Movie Critic” como seu último filme

Nickelback e “Get Rollin’”

“Get Rollin’”, álbum de estúdio mais recente do Nickelback, saiu pela gravadora BMG. Em nota oficial, a banda declarou:

“Passamos os últimos anos gravando em um ritmo que nos deu liberdade para criar e mal podemos esperar para que todos ouçam as novas músicas. Sentimos falta dos fãs e estamos ansiosos para dar vida às novas músicas no palco, então Get Rollin’!”

“Get Rollin’” chegou ao Top 10 em 7 paradas entre a Europa e Oceania, com destaque para o 4º lugar no Canadá, terra natal do Nickelback. Nos Estados Unidos, o disco ficou em 30º, pior posição desde os dois primeiros álbuns, lançados de forma independente.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasDocumentário sobre o Nickelback estreia nos cinemas brasileiros em março
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades