Com letra alterada, Scorpions regrava “Wind of Change” com Yoshiki

Nova versão promove “Under the Sky”, documentário que gira em torno da figura do músico japonês

O Scorpions disponibilizou uma nova versão para “Wind of Change” em parceria com o músico japonês Yoshiki.

A canção promove o documentário “Under the Sky”, centrado na figura do compositor, multi-instrumentista e líder do X Japan. O filme teve estreia mundial em setembro passado, durante sessão em Nova York, Estados Unidos.

- Advertisement -

A grande novidade do registro fica por conta da mudança na letra em comparação à original, presente no álbum “Crazy World”. Considerada um hino extraoficial da abertura do mundo soviético para o ocidente no início dos anos 1990, a canção agora presta solidariedade aos ucranianos, em vista da invasão russa, que desencadeou um conflito que já dura quase dois anos.

Ouça a seguir.

A mudança na letra de “Wind of Change”

Em entrevista ao Loudwire Nights, realizada em abril de 2022, o vocalista Klaus Meine explicou a decisão pela mudança, ocorrida durante os shows da temporada “Sin City Nights”, em Las Vegas.

“Antes de virmos para Las Vegas, eu estava pensando em como seria tocar ‘Wind of Change’ do jeito que costumávamos por tantos anos. Concluí que não era o momento, com essa terrível guerra na Ucrânia, de romantizar a Rússia com letras como ‘Follow the Moskva / Down to Gorky Park’, sabe? Eu queria fazer uma declaração para apoiar a Ucrânia, então a música começa agora com: ‘Now listen to my heart / It says Ukraine, waiting for the wind to change (Agora ouça meu coração / Ele diz Ucrânia, esperando pelo vento da mudança)’.”

Um mês depois, em conversa com o programa televisivo TSN, do canal 1+1, da já citada Ucrânia (transcrita pelo Blabbermouth), o cantor se mostrou pessimista ao ponto de não acreditar mais no que cantou na balada.

Leia também:  As dicas de Tom Morello para se tornar um guitarrista melhor

“Escrevi ‘Wind of Change’ na época em que o Scorpions foi pela primeira vez à União Soviética em 1988, quando fizemos 10 shows em Leningrado. Depois de todos esses anos vivendo à sombra do Muro de Berlim e da Cortina de Ferro, víamos a chance de construir pontes e realmente nos unirmos através da música. Então, ela foi muito inspirada por esse momento de esperança por um mundo mais pacífico. Tantos anos depois, acho que a música perdeu o significado de ser um hino de paz, uma canção de esperança.”

O cantor também lembrou como o Muro de Berlim afetou a banda em seus primeiros anos.

“Fomos criados em Hannover, na Alemanha Ocidental. Ficava a 100 quilômetros do primeiro posto de controle, em Helmstedt. Quando o Muro de Berlim foi construído muitas pessoas foram baleadas e perderam suas vidas tentando ir do leste ao oeste, apenas para viver em um mundo livre. Por isso a queda foi um momento muito, muito especial. E foi uma revolução pacífica, sem um tiro disparado.”

Sobre o hit do Scorpions

Com 15 milhões de cópias comercializadas, “Wind of Change” é um dos singles mais vendidos de todos os tempos, sendo o número um absoluto quando se trata de bandas do segmento hard rock/heavy metal.

Leia também:  Os músicos que Flea escolheria para sua banda dos sonhos

Uma de suas principais características é o assobio de Klaus Meine ditando a melodia. Curiosamente, ele quase não entrou na versão definitiva, como pode ser conferido clicando aqui.

Yoshiki e “Under the Sky”

Dirigido pelo próprio Yoshiki, “Under the Sky” promoveu uma reunião virtual de músicos de todo o planeta em meio ao isolamento causado pela pandemia. Além do Scorpions, nomes como The Chainsmokers (EUA), St. Vincent (EUA), Sarah Brightman (Inglaterra), Hyde (Japão), Sugizo (Japão), Sixtones (Japão), Jane Zhang (China), Lindsey Stirling (EUA) e Nicole Scherzinger (EUA) participaram da iniciativa.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasCom letra alterada, Scorpions regrava “Wind of Change” com Yoshiki
João Renato Alves
João Renato Alveshttps://twitter.com/vandohalen
João Renato Alves é jornalista, 40 anos, graduado pela Universidade de Cruz Alta (RS) e pós-graduado em Comunicação e Mídias Digitais. Colabora com o Whiplash desde 2002 e administra as páginas da Van do Halen desde 2009. Começou a ouvir Rock na primeira metade dos anos 1990 e nunca mais parou.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades