A morte de Bruce Lee, lenda das artes marciais

Ator nos deixou muito cedo aos 32 anos, mas causa de seu falecimento sempre foi motivo de questionamentos

Um dos mais famosos artistas marciais de todos os tempos, Bruce Lee estrelou diversos filmes do gênero de lutas e contribuiu para sua popularização ao redor do mundo. Tudo isso fez com que o ator também se tornasse um ícone cultural em todo o planeta e mudar a percepção que muitas pessoas tinham dos asiáticos no cinema.

No entanto, Lee nos deixou cedo demais: ele morreu com apenas 32 anos, em 20 de julho de 1973, pouco tempo após finalizar aquele que é considerado seu filme mais famoso. No entanto, a causa de sua morte sempre foi motivo de questionamentos e levantou diversas dúvidas e teorias.

- Advertisement -

A seguir, vamos contar como foram os dias e horas finais de Bruce Lee, além destas questões levantadas a respeito de sua morte.

Desmaio dias antes de falecer

Em 10 de maio de 1973, pouco mais de dois meses antes de sua morte, Bruce Lee estava em Hong Kong e participava de uma sessão de regravação de algumas falas de “Operação Dragão” – considerado o principal filme de sua carreira e o último que conseguiu finalizar – quando sofreu convulsões e desmaiou. Ele foi rapidamente encaminhado ao Hospital Batista de Hong Kong.

No local, os médicos descobriram que o ator estava com um edema cerebral, que é o excesso de fluidos nos espaços do cérebro, o que pode comprimir os tecidos do órgão e as veias. 

Para solucionar a condição, os médicos administraram manitol, um medicamento usado justamente para reduzir a pressão intracranial. Pouco tempo mais tarde, o artista marcial acordou, foi liberado e pôde voltar para casa. 

Alguns dias mais tarde, Lee foi até Los Angeles se consultar com médicos para compreender melhor o que havia acontecido com ele. Durante sua recuperação, o ator apenas reclamava de algumas dores de cabeça, mas nada que causasse grande preocupação entre sua família e amigos próximos.

Últimas horas e morte de Bruce Lee

Eis que chegamos a 20 de julho de 1973, dia em que Bruce Lee faleceu. No entanto, se considerarmos sua agenda daquela data, ninguém jamais imaginaria que ele morreria pouco tempo depois.

Lee estava em Hong Kong, onde gravava a maior parte de seus filmes, para jantar com o ator George Lazenby – que interpretou James Bond em um único filme do espião secreto. Os dois planejavam trabalhar juntos em breve.

O dia começou com um encontro com o produtor e colaborador Raymond Chow, em sua casa, às 14h. Os dois discutiram alguns planos e ideias para o filme “Game of Death” (ou “Jogo da Morte”, em tradução para o português). A produção já havia iniciado suas gravações no ano anterior, mas Lee optou por paralisá-la para filmar “Operação Dragão”, o primeiro filme de kung fu bancado por um estúdio de Hollywood – e que tinha um orçamento enorme perto de outros trabalhos do gênero.

Lee e Chow pararam duas horas mais tarde e em seguida, foram para o apartamento da atriz Betty Ting Pei, onde apresentaram o roteiro do filme para ela. A artista coestrelava o longa junto de Lee e havia quem a apontasse como sua amante. 

Não demorou muito para o artista marcial reclamar de uma nova dor de cabeça. Foi neste momento que Betty deu a ele um comprimido do analgésico Equagesic, que contém, em sua composição, aspirina e um tranquilizante conhecido como meprobamato, usado para tratar casos de ansiedade e depressão.

Por volta de 19h, ainda sofrendo com a dor de cabeça, Bruce Lee decidiu tirar um cochilo no quarto da atriz e pouco depois, Raymond Chow foi para o jantar com George Lazenby, onde esperaria encontrar o parceiro mais tarde.

No entanto, Betty tentou, sem sucesso, acordar Bruce para o compromisso e alertou Raymond, que retornou ao apartamento da atriz e também não conseguiu despertar o ator.

O médico particular de Betty foi chamado e constatou que Bruce estava em coma, com pulso quase indetectável e não respirava. O profissional tentou reviver o ator por dez minutos antes de pedir uma ambulância, que encaminhou o astro ao Hospital Queen Elizabeth. 

Os médicos até tentaram revivê-lo, mas era tarde demais: a lenda das artes marciais teve sua morte confirmada com apenas 32 anos de idade.

Causa da morte de Bruce Lee (e teorias)

A autópsia feita em Bruce Lee constatou que o cérebro do ator estava consideravelmente inchado – aproximadamente 13% maior que o normal. Além disso, o Equagesic ainda estava presente em seu sistema. 

Leia também:  A reação de Eloy Casagrande à ideia de máscara do Fofão para o Slipknot

Também foram encontradas pequenas quantidades de haxixe no estômago e intestino delgado do ator – tudo indica que ele fazia uso dela para poder relaxar, pois já vinha reclamando que se sentia estressado e não conseguia dormir direito. Não havia qualquer sinal de violência no corpo do ator.

De acordo com Raymond Chow, Lee morreu por conta de uma reação alérgica ao meprobamato. O certificado de óbito do ator considerou a situação como “acidental”, causada justamente pelo problema.

No entanto, não demorou muito para diversas teorias e dúvidas surgirem sobre a morte de Lee. Afinal, como alguém tão saudável e atlético como ele pode ter morrido de forma tão repentina?

Uma teoria que ganhou força é a de que o astro, na realidade, morreu envenenado. O ator, por mais que fosse querido e popular, também colecionou diversos desafetos na indústria cinematográfica de Hong Kong e entre a máfia local, que teriam encontrado uma maneira de matá-lo intoxicado.

Outra muito citada é a de que Lee morreu em decorrência de um aneurisma cerebral. O problema seria fruto de várias pancadas na cabeça que o artista marcial recebeu durante as gravações de seus filmes. Também havia quem dissesse que ele sofria de uma epilepsia jamais diagnosticada que contribuiu para sua morte.

Análise de patologista forense

Para o programa “Autópsia de Famosos”, do canal Discovery, o patologista forense Michael Hunter disse acreditar que Lee morreu em decorrência de uma crise adrenal. Trata-se de uma incapacidade de produção do hormônio cortisol pelas glândulas adrenais, o que resulta na desregulação do equilíbrio entre sal e água no nosso corpo. Ela apresenta diversos sintomas – incluindo alguns dos relatados pelo artista marcial e pessoas próximas, como dores de cabeça, sudorese e perda de memória – e pode resultar em parada cardíaca. 

Hunter lembrou que em 1970, Bruce foi diagnosticado com uma hérnia de disco que colocou em risco sua carreira. Para contornar o problema, o ator passou a tomar injeções de analgésicos e do esteróide cortisona. 

Segundo o médico, a lenda das artes marciais continuou injetando a cortisona em seu corpo até sua morte. O uso contínuo e excessivo do esteroide pode inibir justamente a produção do cortisol, o que causa a crise adrenal.

“Assim que a crise começou, o sistema cardiovascular entrou em colapso. A temperatura começou a subir e aí, ele bebeu refrigerante (Lee ingeriu a bebida pouco antes do medicamento no dia de sua morte) para se refrescar. Isso levou a um desequilíbrio de fluidos nos tecidos do corpo, que ficaram supersaturados. Quando a dor de cabeça começou, Bruce tomou o analgésico e, depois, foi se deitar, mas seu sistema vascular continuou em colapso e seu corpo continuou a hiperidratar. Logo depois, ocorreu a crise, paralisando sua circulação e ele teve um edema cerebral e o coma fatal.”

Hunter ainda afirmou que Lee, provavelmente, sofreu com o mesmo problema durante a dublagem de “Operação Dragão”, mas que se salvou justamente com a injeção de manitol aplicada pelos médicos. Por fim, lembrou que a obsessão da lenda foi o principal fator que contribuiu para sua morte.

“Embora Bruce Lee tenha morrido de crise adrenal pelo excesso de esteroides, parece que o que realmente o matou foi seu empenho exagerado e sua ambição implacável.”

Muita água?

Em 2022, o Clinical Kidney Journal publicou um estudo que levantou mais uma hipótese para a morte da lenda das artes marciais: o edema cerebral pode ter sido causado por uma hiponatremia, que é a baixa quantidade de sódio no corpo e causada pelo excesso de água.

Para defender o ponto, os cientistas envolvidos no estudo lembraram que Bruce Lee tinha o costume de ingerir bebidas ricas em proteína na sua dieta. Além disso, a ingestão de maconha – encontrada no corpo do ator durante a autópsia – também pode ter contribuído, já que ela costuma aumentar a sede. 

O velório de Bruce Lee ocorreu em Hong Kong e mobilizou uma multidão de fãs que queriam se despedir do herói local. 

Linda Lee Cadwell, a esposa de Bruce Lee, optou por enterrar o corpo do marido no Cemitério Lake View, na cidade americana de Seattle, que contou com a presença dos colegas Steve McQueen e James Coburn. Ao lado do astro, está enterrado seu filho, Brandon, que morreu tragicamente durante as gravações de “O Corvo” em 1993. 

*Texto com informações de Wikipedia, The Ringer, All That’s Interesting e “Autópsia de Famosos”.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Threads | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA morte de Bruce Lee, lenda das artes marciais
Augusto Ikeda
Augusto Ikedahttp://www.igormiranda.com.br
Formado em jornalismo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no mercado desde 2013 e já realizou trabalhos como assessor de imprensa, redator, repórter web e analista de marketing. É fã de esportes, tecnologia, música e cultura pop, mas sempre aberto a adquirir qualquer tipo de conhecimento.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades