A briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu Patolla

Vocalistas do Charlie Brown Jr e Los Hermanos chegaram às vias de fato em julho de 2004, em viagem para o Piauí

A briga entre Chorão e Marcelo Camelo, vocalistas respectivamente do Charlie Brown Jr e Los Hermanos, é um dos capítulos mais emblemáticos do rock brasileiro. Os dois chegaram às vias de fato em julho de 2004, quando suas bandas viajavam para se apresentar em um festival no Piauí.

O produtor e guitarrista Tadeu Patolla relembrou a situação em entrevista ao canal de Yanna C Brasil no YouTube, no ano de 2021. Ele tocava com o Charlie Brown Jr na época, assumindo o violão-base no álbum ao vivo “Acústico MTV”, de 2003.

- Advertisement -

Como já havia gravado o trabalho, Patolla fez a turnê de divulgação do trabalho junto da banda. O produtor testemunhou toda a situação e compartilhou o caso com detalhes. As falas foram transcritas por este redator para o Whiplash.Net.

A origem da treta

De acordo com Tadeu, a situação teve início na semana anterior ao evento, durante um ensaio do Charlie Brown Jr.

“Estávamos ensaiando para alguns shows na casa do Marcão (guitarrista). Tocou o telefone e era o Camelo. O Chorão ficou surpreso. Ele atendeu e falou: ‘pô, do c***lho você ligar para mim, sou teu fã’.”

Marcelo Camelo fez contato com Chorão naquele dia para explicar que revista teria distorcido uma fala dele em uma entrevista. A publicação teria divulgado supostas críticas do vocalista do Los Hermanos ao Charlie Brown Jr por participar de uma ação publicitária da Coca-Cola, associando o grupo a algo “comercial”, “vendido”, entre outros adjetivos do tipo. Tadeu comenta:

“O Camelo falou: ‘estou ligando porque você sabe como é jornalista… a gente falou um negócio para uma revista e o jornalista escreveu errado, não foi daquele jeito, escreveram que eu falei que você é um vendido, por causa da Coca-Cola’. Daí o Chorão: ‘filho da p#ta, você falou mal de mim, vai se f#der’. Ele atirou o telefone e acabou quebrando.”

De acordo com o produtor, todos da banda ficaram do lado do Chorão, pois entenderam que, mesmo se a revista alterasse algum detalhe da fala, Marcelo Camelo teria dito algo próximo do que foi publicado.

“Já falei que não quero papo”

Na semana seguinte, Charlie Brown Jr e Los Hermanos compartilharam um mesmo voo para o Piauí, onde as duas bandas iriam se apresentar em um festival. O grupo O Rappa também estava no avião. Inicialmente, Tadeu Patolla refletiu:

“Todo mundo de cara amarrada, às 8h da manhã, por ter de acordar cedo, um dia inteiro de viagem… falei: ‘c***lho mano, isso não vai dar certo’.”

Antes do voo, Marcelo Camelo tentou conversar com Chorão, mas o vocalista do Charlie Brown Jr repreendeu o frontman do Los Hermanos.

“Logo que o Camelo viu o Chorão na entrada, antes de entrar no avião… eu não vi, mas os caras falaram: ‘o Camelo foi falar com o Chorão e o Chorão deu uma carraspana (bronca) nele’.”

Leia também:  O grande problema dos primeiros anos do Kiss, segundo Paul Stanley

Dentro do avião, Marcelo insistiu em sua abordagem.

“Vi o Camelo levantar lá da frente e vir até aqui atrás. Ele parou para falar com o Chorão, mas o Chorão falou: ‘meu, já falei que não quero papo contigo’. Daí o Camelo foi ao banheiro, voltou e falou de novo: ‘Chorão, eu queria pedir desculpas’. E o Chorão: ‘c***lho, não quero falar com você’. Aí já virou um climão. (Risos)”

A briga entre Chorão e Marcelo Camelo

Tadeu Patolla relembrou que a briga em si não aconteceu no Piauí, mas, sim, no Recife. Os músicos precisaram descer na capital do Pernambuco para fazer uma conexão, já que o voo de São Paulo até Teresina não seria direto.

“As bandas desceram separadas, uma de cada vez. Ficamos no saguão esperando a chamada para o voo, sentados nas cadeiras enfileiradas. Do outro lado do saguão, estava o Los Hermanos junto com O Rappa.”

De repente, a mesma cena do avião aconteceu no saguão do aeroporto no Recife: Marcelo Camelo se deslocou da área em que estava o Los Hermanos para tentar conversar com Chorão, que, nas palavras de Tadeu, “começou a esfumaçar”.

“Quando o Camelo se aproximou, o Chorão só levantou e deu uma cabeçada no Camelo. Foi tão rápido. Na mesma hora, os caras da banda colaram junto.”

Chorão também apanhou

Um detalhe curioso que nem sempre é mencionado quando se conta a história da briga entre Chorão e Marcelo Camelo é que o vocalista do Charlie Brown Jr também foi agredido. Porém, o golpe veio de um terceiro envolvido: Rodrigo Amarante, guitarrista do Los Hermanos.

“O Amarante chegou no meio e deu um soco no queixo do Chorão, que mordeu a língua, e saiu correndo. Eu saí correndo atrás do Amarante, mas ele correu pra c***lho, ninguém achou. Tinha uns 10 atrás dele, ia ser f#da se pegasse. Daí veio polícia, televisão… teve a baldeação, mas foi em outro voo. Ficamos um tempão no aeroporto, pois tivemos que ir para a delegacia.”

Em função disso, tanto Marcelo Camelo quanto Chorão tiveram seus shows comprometidos no festival.

“O Camelo foi para o hospital do aeroporto, uma enfermaria, e o Chorão também foi. O Camelo ficou mal. Ele cantou com o olho todo assim, roxo, e o Chorão com a língua gorda, sangrando no microfone pra c***lho.”

Leia também:  Jake E. Lee disse a Bruce Dickinson que “esgrima é meio gay” e quase se encrencou

O cuidado com o Charlie Brown Jr

Após a situação, houve uma cautela adicional com relação ao Charlie Brown Jr. A primeira decisão foi enviar Los Hermanos e O Rappa para voos separados da banda de Chorão.

No dia seguinte ao festival, os músicos do Charlie Brown deixaram o hotel separados dos outros artistas e sequer passaram pelo saguão do aeroporto: foram deixados de van na porta do avião.

Chorão se arrependeu?

Será que, depois de tudo, Chorão demonstrou algum tipo de arrependimento pela briga? De acordo com Patolla, não – embora o cantor tenha se retratado publicamente.

“Acho que o Chorão não se arrependeu. Ainda tentou colocar a culpa na gente, tipo: ‘a culpa foi de vocês, vocês não me seguraram’. Eu falei: ‘c***lho, como que te segura, a gente ainda te avisou que ele estava vindo’.”

Na visão de Tadeu, o Charlie Brown Jr acabou desenvolvendo certa “marra” depois desse caso.

“Nessa hora, fica uma coisa meio de: ‘não era para ter acontecido, mas a gente é Charlie Brown, ficamos todos juntos’. “O Chorão também poderia ter entendido o que o Camelo queria dizer, mas o Camelo de fato falou, ele quis falar aquilo. Fica aquela coisa de: ‘Charlie Brown é bandinha, mas a gente não se vende’. Se f#der… quer ter atitude, tenha, não seja escroto.”

O vídeo em que Tadeu Patolla conta toda a briga pode ser conferido no player a seguir.

O que dizem Chorão e Marcelo Camelo

Chorão, que faleceu em 2013, participou de um programa da TV Cultura no fim dos anos 2000 para compartilhar sua versão sobre a briga. A versão contada pelo vocalista do Charlie Brown Jr é bastante parecida com a relatada por Tadeu Patolla.

Assista a seguir.

Marcelo Camelo, por sua vez, falou sobre o caso em entrevista à TV Brasil, em 2005. Assista.

Uma reportagem da época mostra Marcelo Camelo após a agressão. Confira.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesA briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu Patolla
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Curiosidades