Conheça as raízes heavy metal do Charlie Brown Jr.

O Charlie Brown Jr. se notabilizou por ser a primeira banda de skate punk no Brasil a fazer sucesso de verdade.

Evidentemente, o CBJr misturava outras influências, algo natural se considerarmos que o skate punk não é uma criação nacional – logo, é praticado de forma híbrida por aqui. Ou seja, há elementos de rap e reggae em sua sonoridade. Ainda assim, é uma banda de rock com bases fincadas no skate punk.

- Advertisement -

No entanto, poucos sabem que as raízes do Charlie Brown Jr. estão ligadas, também, ao heavy metal. Há pistas de que o metal esteve presente na formação dos músicos, mesmo em seus momentos mais distantes do gênero.

A própria história aponta a conexão entre Charlie Brown Jr. e o metal. A carreira musical do vocalista Chorão começou ainda no fim dos anos 1980. No início da década seguinte, ele conheceu Champignon, até então com apenas 12 anos, e, juntos, formaram a banda What’s Up.

Não há registros da What’s Up disponíveis na internet, mas a banda, segundo relatos. praticava um som ligado ao thrash metal, hardcore e crossover. As letras eram em inglês e a pegada era semelhante a de bandas como Biohazard e Suicidal Tendencies.

Leia também:  Entre a luz e as trevas: a história de “Headless Cross”, do Black Sabbath

O Charlie Brown Jr. foi, enfim, montado em 1992, com o baterista Renato Pelado e os guitarristas Marcão e Thiago Castanho. Pelado era fã de bandas de rock progressivo, como Rush, e Marcão e Castanho gostavam de nomes como Steve Vai e Yngwie Malmsteen.

Como é possível notar pelas influências citadas, os três estavam de olho nos nomes que eram referências técnicas em seus instrumentos. Não à toa, são músicos muito técnicos, que sempre demonstraram domínio enquanto tocavam.

A sonoridade híbrida do Charlie Brown Jr. ganhou força com o próprio background de Chorão, que também gostava de hip hop e de bandas como Sublime, Bad Brains e Rage Against The Machine. Ou seja: uma baita salada mista.

As misturas musicais, porém, não se faziam presente nos primeiros anos de banda. Em um trecho de um clipe divulgado no programa “A tarde é sua”, de Sônia Abrão (prima de Chorão), é possível ver os músicos do grupo tocando um som pesado e ostentando cabelos longos.

Confira a primeira demo do Charlie Brown Jr., ainda com uma sonoridade mais pesada:

A partir do primeiro disco do Charlie Brown Jr., “Transpiração Contínua Prolongada” (1997), a mistura de influências tomou conta. Esse foi, de certa forma, um dos pontos de consagração da banda, visto que, com um mix de hardcore, pop rock, hip hop e reggae, o som adquiriu características únicas.

Leia também:  Os maiores diferenciais do Pearl Jam, segundo o produtor Andrew Watt

No entanto, momentos isolados da trajetória do Charlie Brown Jr. apontam o gosto do grupo por sons mais pesados. Seja por solos de Marcão ou Thiago Castanho ou por passagens rítmicas, especialmente, de Renato Pelado.

Na discografia, o momento mais claro é “Malokero Sk8 Board”, do álbum “Tamo Aí Na Atividade” (2004). É quase um thrash metal. “Liberdade Acima de Tudo”, de “Imunidade Musical” (2005), também tem um peso peculiar, que caminha para o nu metal.

Já as músicas “Fichado”, do disco “Nadando Com Os Tubarões” (2000), e “Tarja Preta”, do álbum “Bocas Ordinárias” (2002), mostram o apreço do grupo por nomes como Rage Against The Machine. Não é algo exatamente heavy metal, mas, com certeza, soa mais pesado do que os hits da banda.

Veja também:

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioCuriosidadesConheça as raízes heavy metal do Charlie Brown Jr.
Igor Miranda
Igor Miranda
Igor Miranda é jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital. Escreve sobre música desde 2007. Além de editar este site, é colaborador da Rolling Stone Brasil. Trabalhou para veículos como Whiplash.Net, portal Cifras, revista Guitarload, jornal Correio de Uberlândia, entre outros. Instagram, Twitter e Facebook: @igormirandasite.

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades