Capital Inicial mobilizou mais que Guns no Rock in Rio, diz Roberta Medina

Organizadora do festival admitiu que não viu muitos shows esse ano, mas fez questão de exaltar nomes nacionais após uma semana de críticas feitas por Anitta

O Rock in Rio 2022 já passou e para Roberta Medina, o Capital Inicial foi a banda que uniu todas as tribos. Numa entrevista para a Veja Rio (via Whiplash), a organizadora fez um balanço do festival e destacou o show de Dinho Ouro Preto e companhia como o ponto alto.

Uma comparação com o Guns N’ Roses chegou a ser feita pela filha do idealizador do evento, Roberto Medina.

“Um dos shows que eu mais gostei de assistir foi Capital Inicial. Eu acho que Capital fala com a nossa essência. Eu sou uma geração Capital Inicial, então as músicas todas são muito marcantes. Mas eles têm uma capacidade de mobilizar as pessoas… Se você olhar, o show do Guns não mobilizou como o deles. A capacidade que eles têm de puxar a galera! E coisas que o Dinho faz umas coisas que eu piro: ‘duzentas mil mãos no ar’. Foi tão bonito, foi tão poderoso. Uma lavada de alma.”

- Advertisement -

Esse comentário vem após uma semana em que o festival foi alvo de críticas públicas feitas por Anitta acerca do tratamento e espaço na programação dado a artistas brasileiros, especificamente de funk e outros gêneros normalmente associados à periferia.

Roberta também admitiu que não tem tempo de ver tudo, destacando shows que ela fez questão de ver:

“Ah, Luísa Sonza foi incrível. Foi muito bom o show. Eu não consigo ver muitas coisas, né? Capital eu vi porque era o que eu queria ver. Vi ontem com o Theo, meu filho, porque ele queria ver Maneskin,  e foi um showzaço, eles têm muita energia. E vi Luísa Sonza porque a minha filha queria ver. Eu acabo não pegando todos, mas ela me surpreendeu para caramba, um showzaço.” 

Leia também:  Nirvana lançou “Bleach” há 35 anos; veja outros fatos da música em 15 de junho

Por fim, a empresária disse quais artistas ela sonha para o festival.

“Eu sempre sonho com o Bruno Mars, porque é bom demais. Para mim, qualquer lugar em que ele possa estar é bom. Eu tinha muita vontade de levar a P!nk para Lisboa, a gente não conseguiu. Aqui temos a eterna tentativa de Lady Gaga. A gente fica tentando e paquerando várias vezes alguns artistas.”

Rock in Rio e The Town

O Rock in Rio volta a acontecer no Brasil em 2024, ainda sem datas marcadas. O evento terá sua edição em Lisboa no ano que vem.

Também em 2023, haverá a primeira realização do The Town, festival nos moldes do evento carioca, mas realizado em São Paulo. As datas e as primeiras atrações já foram anunciadas – clique aqui para saber mais.

Clique para seguir IgorMiranda.com.br no: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube.

ESCOLHAS DO EDITOR
InícioNotíciasCapital Inicial mobilizou mais que Guns no Rock in Rio, diz Roberta...
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda
Pedro Hollanda é jornalista formado pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso e cursou Direção Cinematográfica na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Apaixonado por música, já editou blogs de resenhas musicais e contribuiu para sites como Rock'n'Beats e Scream & Yell.

1 COMENTÁRIO

  1. Na minha opinião, os organizadores do evento derivam dar mais atenção para as bandas brasileiras…deveriam colocar uma banda brasileira de rock para tocar no útlimo dia do show, deveria colocar para fechar o show…seria o correto!!!! valeu

DEIXE UMA RESPOSTA (comentários ofensivos não serão aprovados)

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Últimas notícias

Curiosidades