Foto: divulgação

O que Paul Stanley sentiu ao ter que passar “God of Thunder” para Gene Simmons

Starchild cedeu sua composição ao colega após recomendação do produtor Bob Ezrin e se tornou um clássico do Kiss

A história mostra que Paul Stanley e Gene Simmons, as principais mentes por trás do Kiss, sempre fizeram questão de cantar as próprias composições. Porém, a lógica se inverteu em “God of Thunder”.

A terceira faixa do álbum “Destroyer” foi criada por Paul e gravada em demo. Porém, o produtor Bob Ezrin sentiu que ela se encaixaria melhor com a voz e o personagem de Gene, o que o fez promover uma mudança que se mostrou certeira.

O Starchild não se sentiu confortável, embora tenha respeitado, como revelou ao USA Today.

“Fiquei devastado, destruído. Achei que a música era a minha cara. Mas um dos motivos pelos quais tínhamos um produtor era justamente para resolver qualquer impasse entre nós dois.”

Hoje, Paul Stanley vê que estava equivocado e que a música realmente se encaixa melhor na interpretação de Gene Simmons.

“Olhando para trás, não poderia ter sido uma decisão mais acertada. É uma canção que define Gene e ele a cantou muito bem. Às vezes é bom estar errado.”

A versão com vocais de Stanley pode ser conferida no recente relançamento que celebra 45 anos de “Destroyer”. Outras compilações de raridades também apresentam a gravação.

Kiss e God of Thunder

Assim como “Helter Skelter”, dos Beatles, é considerada o primeiro heavy metal da história, especialistas classificam “God of Thunder” como uma música que possui as raízes do que seria desenvolvido e reconhecido como black metal nas décadas seguintes.

A faixa não chegou a ser lançada como single, mas esteve presente nos repertórios de várias turnês do Kiss e foi incluída em diversas coletâneas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
7
Share