Olivia Rodrigo e a história do suposto plágio envolvendo Paramore e “Good 4 U”

Cantora acabou cedendo direitos de composição; disco de estreia ainda tem outros casos de “inspiração excessiva” com devidos créditos

Olivia Rodrigo estourou rapidamente com seu álbum de estreia, “Sour” (2021), mas logo de cara precisou lidar com alegações de suposto plágio envolvendo pelo menos três das músicas do disco. O caso mais célebre é o do hit “Good 4 U”, que teria trechos tirados de “Misery Business”, canção de 2007 da banda Paramore.

Composta pela própria Olivia junto do produtor Dan Nigro, a música tem letra que fala sobre os efeitos do término de um relacionamento da cantora. Musicalmente, há forte influência da cena emo – provavelmente trazida por Nigro, que tocava em bandas de rock.

Porém, assim que “Good 4 U” emplacou, um mashup surgiu no YouTube a misturando com “Misery Business”. Foi quando a semelhança ficou óbvia.

Olivia Rodrigo reconhece o Paramore

Foto: Lindsey Byrnes

A conciliadora resposta veio poucos meses depois. Sem muito alarde, Olivia Rodrigo incluiu créditos de composição a Hayley Williams e Josh Farro, respectivamente vocalista e ex-guitarrista do Paramore. Os dois são os autores de “Misery Business” e, agora, também assinam “Good 4 U”.

Mesmo assim, Olivia seguiu negando as acusações de plágio. Em entrevista para a Teen Vogue, rara ocasião onde concordou falar sobre o assunto, ela citou ter sido alvo de um comportamento tóxico por parte da mídia.

“O que é tão bonito sobre a música é que você pode se inspirar muito em coisas que vieram do passado. Cada artista é inspirado por artistas que vieram antes deles. É um tipo de processo de compartilhamento bonito e divertido. Nada na música é novo. Existem quatro acordes em toda música. Essa é a parte divertida – tentar tornar aquilo seu.”

Inspiração também em Taylor Swift

Foto: Max Wanger

Curiosamente, “Good 4 U” não é o único caso de “inspiração além da conta” no álbum “Sour”. A própria Olivia Rodrigo reconheceu – e compartilhou créditos após a situação ter sido apontada.

Em “1 Step Forward, 3 Steps Back”, foram dados créditos a Taylor Swift – de quem Olivia é uma grande fã – e seu colaborador, Jack Antonoff. O motivo é a interpolação de trechos de “New Year’s Day”, de Swift.

“Deja Vu”, de Rodrigo, também cita Taylor, Jack e a também artista St. Vincent em sua lista de compositores. A faixa aproveita passagens de outra canção do catálogo de Swift: “Cruel Summer”.

Afinal, é plágio?

Como tudo parece ter se resolvido de forma muito amigável, não houve necessidade de investigações mais profundas. Então, fica difícil dizer se Olivia Rodrigo realmente plagiou Paramore ou Taylor Swift.

No caso das músicas de Taylor, há o consenso sobre o uso da já citada “interpolação” – ou seja, a regravação de um trecho exato de outra música, que difere do “sample”, onde a obra original é “colada” na nova música.

As semelhanças são fáceis de serem encontradas, mas também existem diferenças. Lucas Silveira, vocalista e guitarrista da Fresno e produtor musical, ressaltou a principal distinção em participação no podcast G1 Ouviu. Segundo ele, há uma pegada mais “raivosa” na faixa do Paramore, especialmente na bateria, na comparação ao hit de Olivia Rodrigo.

A questão realmente é complexa e possíveis casos de plágio surgem com frequência. O mais recente a fazer um grande artista parar na Justiça envolve a cantora Adele e sua música “Million Years Ago” e o compositor brasileiro Toninho Geraes, autor de “Mulheres”, sucesso do sambista Martino da Vila. A situação ainda não foi resolvida.

* Texto por André Luiz Fernandes, com pauta e edição por Igor Miranda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
1
Share