Os últimos dias de Dolores O’Riordan, a vocalista dos Cranberries

Apesar das circunstâncias inicialmente suspeitas de seu falecimento, cantora passou momentos finais em vida com vários planos e mentalmente bem

A morte de Dolores O’Riordan, aos 46 anos de idade, pegou o mundo todo de surpresa. A cantora dos Cranberries foi encontrada sem vida em um hotel em Londres, na Inglaterra, no dia 15 de janeiro de 2018.

Tudo indica que o óbito foi acidental. Durante alguns períodos de sua vida, a artista enfrentou problemas de saúde mental, mas nos primeiros dias de 2018, a vocalista estava muito bem – como algumas pessoas puderam comprovar.

Nas festas de fim de ano em 2017, Dolores O’Riordan esteve ativa nas redes sociais. Apesar de não ter passado o Natal com os filhos, que vivem com o pai no Canadá, ela viajou para vê-los no dia 26 de dezembro. Tanto a ida à América do Norte quanto o retorno ao Reino Unido foram registrados por ela em posts no Facebook.

Em 9 de janeiro de 2018, como relata o site Irish Central, o psiquiatra Dr. Seamus O’Ceallaigh, que já a acompanhava há algum tempo, conversou com a cantora. O diagnóstico era positivo.

Outro psiquiatra, Dr. Robert Hirschfield, chegou a falar com ela no dia 26, relatando que Dolores estava triste no dia de Natal, antes de ver os filhos. Porém, segundo o especialista, ela não apresentava pensamentos suicidas ou perigosos.

Os planos de Dolores O’Riordan

O ano realmente havia começado bem para Dolores O’Riordan, que seguia cheia de planos. No dia 12 de janeiro, três dias antes de sua morte, a vocalista estava em Londres e conversou com Noel Hogan, guitarrista e seu parceiro de Cranberries, sobre novos projetos e uma possível turnê em março. Ela se recuperava de uma lesão nas costas, mas estava bem, já disposta a cair na estrada.

Sua estadia em Londres também era baseada em planos: a cantora estava na capital inglesa para trabalhar em um projeto paralelo chamado D.A.R.K. e participar de uma versão de “Zombie” produzida pela banda Bad Wolves – Dolores faleceu antes de gravar a faixa, que foi lançada sem ela e teve lucros revertidos para a família dela.

No dia 15 de janeiro, horas antes de ser encontrada morta, a artista conversou com a mãe por telefone. Ela também deixou uma mensagem de voz para Dan Waite, amigo e executivo da gravadora, onde soava alegre e bem – como quase sempre, segundo ele.

O fim

Dolores O’Riordan foi encontrada morta em uma banheira de uma suíte no hotel London Hilton on Park Lane, onde estava hospedada, na região de Mayfair, em Londres. Resultados de exames e autópsias demoraram a sair e havia toda uma suspeita de que ela pudesse ter cometido suicídio, o que foi negado posteriormente.

A causa oficial da morte foi dada como acidental. O’Riordan havia ingerido álcool e desmaiou enquanto estava na banheira, afogando-se ao perder a consciência.

Exames mostraram altos níveis de álcool, mas não o suficiente para uma overdose. Outros remédios também foram encontrados em sua corrente sanguínea, contudo, todos em quantidade aceitável.

Ela deixou três filhos e uma carreira de respeito à frente dos Cranberries, que decidiu encerrar as atividades em definitivo. Um álbum de despedida, “In the End“, foi lançado em 2019 com músicas que estavam sendo trabalhadas pela artista antes de falecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
11
Share