Foto: divulgação

Tony Iommi acha fitas originais de “Born Again”, do Black Sabbath, e quer remixar álbum

Único trabalho da banda com Ian Gillan é um dos mais pesados da discografia, mas tem uma sonoridade bem abafada e grave

“Born Again” (1983), primeiro e único disco do Black Sabbath com Ian Gillan nos vocais, pode ganhar uma versão remixada. A revelação foi feita por Tony Iommi, guitarrista da banda.

A sonoridade do álbum é criticada desde a época do lançamento, despertando amor e ódio em muita gente pelo som abafado, considerado de baixa qualidade. O líder do Sabbath procurava as fitas originais das gravações do disco há um bom tempo – e só agora as encontrou.

Iommi falou sobre o assunto em conversa com o jornal francês Le Parisien. Na ocasião, ele falava sobre o recente relançamento de “Sabotage” (1975), emendando com os planos futuros para versões de outros álbuns da banda.

Além de “Born Again”, o guitarrista animou os fãs da fase do Black Sabbath com Tony Martin nos vocais: ele disse que essa fase, que contempla cinco álbuns de estúdio, deve ganhar um box set especial.

“Deve haver um box set da era Tony Martin. Também estou pensando em remixar o álbum ‘Born Again’, aquele com Ian Gillan, agora que encontramos as fitas originais.”

Black Sabbath, Ian Gillan e “Born Again”

Após a primeira saída de Ronnie James Dio da banda, no início da década de 1980, o Black Sabbath recrutou ninguém menos do que Ian Gillan, o vocalista da fase clássica do Deep Purple, em uma parceria quase mitológica. Bill Ward, baterista original do grupo de Birmingham, também retornou para o novo trabalho.

O quarteto, completo por Iommi e pelo baixista Geezer Butler, gravou e lançou “Born Again” em 1983. Décimo-primeiro da discografia, o trabalho é considerado por muitos como o mais pesado do Black Sabbath – em uma discografia onde a concorrência é grande quando se fala em peso.

Embora seja elogiado nos dias de hoje, “Born Again” recebeu muitas críticas na época em que foi lançado. Ainda hoje, vários fãs apontam que as músicas do registro soam abafadas e graves, devido ao que parece ser um excesso de distorção.

Ian Gillan está no time de pessoas que não curtiu o resultado. Em entrevista ao Loudwire, ele revelou que preservou sua amizade com Tony Iommi, compondo junto dele em outras oportunidades, mas descreveu “Born Again” como uma experiência traumática.

“Eu fiquei horrorizado com a mixagem. Sim, adorei as músicas, amo compor com Tony (Iommi), ainda somos grandes amigos e ainda escrevemos juntos ocasionalmente.”

Ainda que a produção seja creditada a Robin Black, em parceria com o próprio Black Sabbath, Ian Gillan encontrou um curioso culpado para a situação: o baixista Geezer Butler.

“Ele vai negar isso, mas Geezer foi até Londres para supervisionar a remixagem, e foi isso que ele conseguiu. Acho que ele teve alguma leve influência no som final, sendo o baixista da banda.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
129
Share